Geezer Butler: "Beatles mudou minha vida"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por André Bueno C. Moura, Fonte: Asbury Park Press, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Mark Voger, da Asbury Park Press, em março de 2007 conduziu uma entrevista com o lendário baixista Geezer Butler (BLACK SABBATH, HEAVEN AND HELL). Seguem alguns trechos da conversa:

388 acessosBlack Sabbath: em vídeo, dez grandes covers de músicas da banda5000 acessosCuriosidade: artistas que odeiam suas próprias músicas

Sobre se foi uma decisão difícil para o BLACK SABBATH dispensar Ozzy Osbourne logo depois da gravação, em 1978, do ironicamente intitulado “Never Say Die”: “Claro que foi difícil. Você nunca pensaria que pudesse chegar àquele ponto. Mas Ozzy estava realmente mal, em se falando de saúde. Os vícios estavam simplesmente tomando conta dele".

“Ele não estava mais na banda. Quando começamos os ensaios para aquele álbum em particular, ele não apareceu por cerca de quatro semanas. Então nós sabíamos que ele não estava no clima. E ele já tinha saído uma vez. Não podíamos deixar que ele saísse de novo, do nada. Então decidimos que ele tinha que ir.”

Sobre seu projeto G/Z/R (ou GEEZER), que lançou três álbuns: “Havia anos que eu não escrevia letras, então precisei tirar tudo aquilo do meu peito. Eu meio que deixei isso fluir no primeiro trabalho (“Plastic Planet”, de 1995), porque eu realmente só queria fazer um álbum pesado. Eu gostava da voz do Burt (Burton C. Bell’s), do FEAR FACTORY. Nós nos juntamos só pra ver como ficaria. Eu gostei muito do resultado, então decidi ir em frente e gravar".

“O segundo album (“Black Science, de 1997), me deixou desapontado, porque eu estava tentando ser um pouco mais ambicioso, mas com pressa pra isso. Simplesmente não funcionou como eu gostaria que funcionasse. Tem muito mais teclado no segundo álbum e muitas idéias que eu tinha na minha cabeça, mas eu não consegui passar isso muito bem pro engenheiro na época. [“Ohmwork”, de 2005, foi uma] mistura de tudo, desde muito melódico a muito pesado, um monte de estilos diferentes.”

Sobre sua inspiração inicial para se tornar músico:“Eu queria ser um Beatle. Quando THE BEATLES apareceu, eles me inspiraram completamente. Porque até lá meus irmãos gostavam de Elvis (Presley); minha irmã gostava muito dos imitadores ingleses do Elvis, como Cliff Richard e tudo o mais, e nenhum deles realmente chamava a minha atenção. Então não tinha nada para a minha geração até THE BEATLES aparecer, daí fiquei interessado em música".

“E então quando eles chegaram à América, isso mostrou que a classe média inglesa podia se juntar e fazer música que todo mundo quer ouvir. A grande ambição foi, então, chegar à América. THE BEATLES foi a primeira banda inglesa a fazer sucesso nos Estados Unidos. Então eles mostraram que era possível. Isso abriu as portas para todos os tipos de bandas inglesas".

“Porque naquele tempo na Inglaterra, parecia que muitas das bandas durariam tipo um ano ou dois, e aí acabariam. Então ser capaz de chegar à América abriria toda uma nova perspectiva na carreira, e isso mudou minha vida".

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Black SabbathBlack Sabbath
O que Geezer Butler pensa sobre o fim da banda

388 acessosBlack Sabbath: em vídeo, dez grandes covers de músicas da banda1127 acessosBlack Sabbath: assista "War Pigs" do DVD "The End Of The End"1152 acessosBlack Sabbath: "Não tenho pressa em fazer nada"128 acessosEm 30/12/1979: Tommy Clufetos (Black Sabbath, Alice Cooper)0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black Sabbath"

Regis TadeuRegis Tadeu
Depois de 40 anos, "Sabotage" ainda causa calafrios

Hard RockHard Rock
De Vanilla Fudge a Led, dez álbuns seminais do gênero

Bill WardBill Ward
"Quer aprender bateria? Ouça a Lars Ulrich!"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Black Sabbath"0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"


CuriosidadeCuriosidade
Artistas que odeiam suas próprias músicas

Heavy MetalHeavy Metal
As trinta maiores bandas de países diferentes

Câncer na línguaCâncer na língua
Entenda a doença de Bruce Dickinson

5000 acessosLinkin Park: Mike Shinoda fala como Chester se sentia5000 acessosDuff McKagan: se arrependendo de Duff Beer dos Simpsons5000 acessosCovers: alguns dos mais legais feitos por bandas de Metal5000 acessosTradução - Fear Of The Dark - Iron Maiden5000 acessosIron Maiden: os álbuns da banda, do pior para o melhor4353 acessosLamb of God: os álbuns da banda, do pior para o melhor

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 30 de março de 2013
Post de 03 de maio de 2014
Post de 04 de maio de 2014


Sobre André Bueno C. Moura

Estudante de 19 anos, Mineiro de Belo Horizonte, morou por um ano em Asköy, uma pequena ilha ao lado de Bergen, na Noruega. Fã de Iron Maiden e Bruce Dickinson, seu gosto vai da música erudita ao Black Metal; seus grupos/compositores favoritos são bem variados, passando por Black Sabbath, Masterplan, Sonata Arctica, Jethro Tull, Megadeth, Arch Enemy, Chico Buarque, Elis, Beatles, Dio, Deep Purple, Judas Priest, Scorpions, Schubert, Grieg e o bom e velho Tchaikovsky.

Mais matérias de André Bueno C. Moura no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online