"Master Of Puppets": membros de bandas comentam álbum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Kako Sales, Fonte: Blabbermouth.Net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

1378 acessosMotörhead: Kirk Hammett posa com guitarra de "Fast" Eddie Clarke5000 acessosIron Maiden: fãs não estão preparados para "Empire of The Clouds"

Em honra ao 25º aniversário de lançamento do álbum clássico do METALLICA, o site Noisecreep reuniu em 2011 uma “bateria” de músicos que vai do Sepultura, passando por Arsis até Unearth, para descobrir como e quando eles tiveram a primeira experiência com um dos mais importantes álbuns já lançados. Alguns trechos seguem abaixo.

Andreas Kisser (Sepultura): “Eu estava com uma amiga minha que amava metal e tinha acesso a alguns álbuns importados. Ela veio até minha casa um dia com o ‘Master of Puppets’ embaixo do braço. Eu o ouvi e foi um choque total. Lembro que a primeira música que eu gostei foi ‘Welcome Home (Sanitarium)’. Isso foi em 1986 e foi um privilégio para um brasileiro ouvir aquele álbum naquela época.”

Ivar Bjørnson (Enslaved): “Eu estava na casa de nosso vocalista, Grutle, para uma festa, quando ele botou o álbum para tocar – acho que eu estava tomando refrigerante, pois tinha 12 ou 13 anos de idade na época. Não foi o primeiro álbum do Metallica que eu ouvi – em minha defesa, tinha oito anos de idade quando na verdade o ‘Master of Puppets’ foi lançado. De qualquer forma, Grutle tocou o álbum enquanto curtíamos na casa dele, em algum momento em 1990 – em acho.”

Chris Barnes (Six Feet Under): “A primeira vez que eu ouvi o ‘Master of Puppets’, eu era veterano na High School (Ensino Médio nos EUA), e cantando e compondo para minha banda de origem, Leviathan, e morando na periferia de Buffalo, Nova York. No ano anterior, eu tive o privilégio de assistir a um show do Metallica, da tour ‘Ride the Lightning’, no Salty Dog em Buffalo, no meio de uma galera, com 50 outros fãs malucos que arriscavam a vida comparecendo àquele show. Eu fiquei a um metro e meio de distância do Cliff Burton o show inteiro – nunca esquecerei isso.”

Trevor Phipps (Unearth): “Acho que estava na 3ª ou 4ª série quando aquele álbum foi lançado e um amigo meu tinha um irmão mais velho que sempre trazia fitas cassete e vinis de metal para ouvir após as aulas. Foi um dos álbuns que nós ouvíamos enquanto jogávamos video-game na sala de estar. As primeiras audições de ‘Master of Puppets’ e ‘The Number of the Beast’, do Iron Maiden, são lembranças vívidas para mim e tenho certeza de onde eu estava sentado na primeira vez que eu ouvi aqueles álbuns. Posso assegurar que ‘Master of Puppets’ é um dos álbuns que mudou minha vida.”

Leia mais relatos de músicos no site Noisecreep (em inglês).

Há 25 anos, nesse mês, o METALLICA lançava seu épico terceiro álbum de estúdio, “Master of Puppets”. O disco foi lançado em 3 de março de 1986 e foi produzido por Flemming Rasmussen, que também produziu o “Ride the Lightning”, de 1984, e “... And Justice for All”, de 1988, para a banda. Em uma entrevista para o jornal Phoenix New Times, Rasmussen foi questionado se ele sabia que o álbum era especial enquanto estava trabalhando nele. Ele respondeu: “Claro! Desde as demos, nós já sabíamos que esse álbum seria incrível. Acho que nós todos sentíamos que esse seria o melhor álbum do Metallica, pois tínhamos um monte de músicas bem pesadas. Mesmo as instrumentais eram incríveis.!

“Master of Puppets” foi o último álbum a contar com o baixista Cliff Burton, que veio a falecer num acidente envolvendo o ônibus em que estavam durante a turnê, em setembro de 1986, e foi substituído por Jason Newsted. Rasmussen falou sobre Burton: “Com certeza, ele era único, e ainda que Jason seja um grande baixista, era impossível substituir Cliff.”

Muitos fãs consideram o “Master of Puppets” como o melhor trabalho do Metallica, o que a própria banda reconheceu quando tocou o álbum na íntegra numa turnê de verão em 2006 pela Europa. The Pulse of Radio perguntou ao frontman James Hetfield se a banda iria voltar a tocar outro álbum na íntegra num show. “É muito importante que o fã esteja envolvido nisso, sabe?”, disse ele. “Foi mais pelo pedido dos fãs para fazermos isso do que por nós querendo fazê-lo. Você sabe, aquele foi um álbum muito importante em nossa carreira, tão histórico para tanta gente e aquiele pedido fez sentido. Mas tanto quanto, você sabe – eu adoraria tocar qualquer um e todos os álbuns, porém depende muito dos fãs quererem isso de coração, ou não.”

“Master of Puppets” foi o primeiro álbum do METALLICA a ganhar disco de ouro, por vender mais de meio milhão de cópias. Muitas músicas do disco, incluindo “Welcome Home (Sanitarium)”, “Battery”, “Leper Messiah” e a faixa-título ainda fazem parte do repertório da banda até hoje.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

MotörheadMotörhead
Kirk Hammett posa com guitarra de "Fast" Eddie Clarke

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

MetallicaMetallica
Grandes bateristas de verdade respeitam Lars Ulrich

RoadrunnerRoadrunner
Os melhores frontmen de todos os tempos

Purple, Metallica, Guns, AC/DCPurple, Metallica, Guns, AC/DC
Entre os 666 maiores clássicos

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"0 acessosTodas as matérias sobre "Sepultura"0 acessosTodas as matérias sobre "Arsis"0 acessosTodas as matérias sobre "Unearth"


Iron MaidenIron Maiden
Fãs não estão preparados para "Empire of The Clouds"

Led ZeppelinLed Zeppelin
As crianças da capa de "Houses Of The Holy"

SlipknotSlipknot
Joey Jordison diz que foi demitido por telegrama cantado

5000 acessosHeavy Metal: Os melhores covers segundo a Metal Hammer5000 acessosKerrang: os melhores singles já lançados5000 acessosDream Theather: a parafernália de Petrucci e Myung5000 acessosEdu Falaschi: fax com convite de seleção para o Iron Maiden5000 acessosGuns N' Roses: amigo da banda conta como aconteceu a reunião5000 acessosMetallica: fã se emociona ao conhecer Lars Ulrich

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 01 de abril de 2011
Post de 17 de julho de 2014
Post de 27 de janeiro de 2017
Post de 27 de janeiro de 2017


Sobre Kako Sales

Mineiro de Januária, baterista autodidata, cresceu em ambiente familiar ligado à música popular e erudita. Seu pai chegou a fazer pequenas turnês com bandas da Jovem Guarda como tecladista no fim da década de 70. Aos 10 anos, iniciou os estudos de teoria musical e piano clássico. Teve o primeiro contato com o mundo do metal ao escutar o CD Angels Cry do Angra, aos 15 anos. Desde então tem se dedicado a conhecer, colecionar e difundir o melhor do metal brasileiro e mundial. Graduado em Letras/Inglês, principalmente por influência da língua-mãe do rock, tem como principais ícones do metal as bandas Angra, Symphony X, Dream Theater e Opeth.

Mais informações sobre Kako Sales

Mais matérias de Kako Sales no Whiplash.Net.