Matérias Mais Lidas

imagemRevista Veja diz que Rock in Rio virou "túmulo do rock" e explica motivo

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemO álbum de David Bowie que Mick Jagger disse que achou "horrível"

imagemBaixista do Faith No More diz que integrantes odiavam músicas do "The Real Thing"

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemAntes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"

imagemA história da capa de "Christ Illusion", que fez o Slayer ter problemas

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagemAndreas Kisser pede doação de sangue para sua esposa Patricia

imagemRafael Bittencourt, do Angra, explica por quê está usando unhas postiças

imagemSem ter o que fazer, guitarrista do Journey comprou 150 guitarras durante a pandemia

imagemNoel Gallagher sobre sua preferida do Pink Floyd: "Adoraria conhecer Roger Waters"


Stamp

Master Of Puppets: membros de bandas comentam álbum

Por Kako Sales
Fonte: Blabbermouth.Net
Em 31/03/11

O site Noisecreep reuniu em 2011 uma "bateria" de músicos que vai do Sepultura, passando por Arsis até Unearth, para descobrir como e quando eles tiveram a primeira experiência com um dos mais importantes álbuns já lançados. Alguns trechos seguem abaixo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Andreas Kisser (Sepultura): "Eu estava com uma amiga minha que amava metal e tinha acesso a alguns álbuns importados. Ela veio até minha casa um dia com o ‘Master of Puppets’ embaixo do braço. Eu o ouvi e foi um choque total. Lembro que a primeira música que eu gostei foi ‘Welcome Home (Sanitarium)’. Isso foi em 1986 e foi um privilégio para um brasileiro ouvir aquele álbum naquela época."

Ivar Bjørnson (Enslaved): "Eu estava na casa de nosso vocalista, Grutle, para uma festa, quando ele botou o álbum para tocar – acho que eu estava tomando refrigerante, pois tinha 12 ou 13 anos de idade na época. Não foi o primeiro álbum do Metallica que eu ouvi – em minha defesa, tinha oito anos de idade quando na verdade o ‘Master of Puppets’ foi lançado. De qualquer forma, Grutle tocou o álbum enquanto curtíamos na casa dele, em algum momento em 1990 – em acho."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Chris Barnes (Six Feet Under): "A primeira vez que eu ouvi o ‘Master of Puppets’, eu era veterano na High School (Ensino Médio nos EUA), e cantando e compondo para minha banda de origem, Leviathan, e morando na periferia de Buffalo, Nova York. No ano anterior, eu tive o privilégio de assistir a um show do Metallica, da tour ‘Ride the Lightning’, no Salty Dog em Buffalo, no meio de uma galera, com 50 outros fãs malucos que arriscavam a vida comparecendo àquele show. Eu fiquei a um metro e meio de distância do Cliff Burton o show inteiro – nunca esquecerei isso."

Trevor Phipps (Unearth): "Acho que estava na 3ª ou 4ª série quando aquele álbum foi lançado e um amigo meu tinha um irmão mais velho que sempre trazia fitas cassete e vinis de metal para ouvir após as aulas. Foi um dos álbuns que nós ouvíamos enquanto jogávamos video-game na sala de estar. As primeiras audições de ‘Master of Puppets’ e ‘The Number of the Beast’, do Iron Maiden, são lembranças vívidas para mim e tenho certeza de onde eu estava sentado na primeira vez que eu ouvi aqueles álbuns. Posso assegurar que ‘Master of Puppets’ é um dos álbuns que mudou minha vida."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Leia mais relatos de músicos no site Noisecreep (em inglês).

Há 25 anos, nesse mês, o METALLICA lançava seu épico terceiro álbum de estúdio, "Master of Puppets". O disco foi lançado em 3 de março de 1986 e foi produzido por Flemming Rasmussen, que também produziu o "Ride the Lightning", de 1984, e "... And Justice for All", de 1988, para a banda. Em uma entrevista para o jornal Phoenix New Times, Rasmussen foi questionado se ele sabia que o álbum era especial enquanto estava trabalhando nele. Ele respondeu: "Claro! Desde as demos, nós já sabíamos que esse álbum seria incrível. Acho que nós todos sentíamos que esse seria o melhor álbum do Metallica, pois tínhamos um monte de músicas bem pesadas. Mesmo as instrumentais eram incríveis.!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Master of Puppets" foi o último álbum a contar com o baixista Cliff Burton, que veio a falecer num acidente envolvendo o ônibus em que estavam durante a turnê, em setembro de 1986, e foi substituído por Jason Newsted. Rasmussen falou sobre Burton: "Com certeza, ele era único, e ainda que Jason seja um grande baixista, era impossível substituir Cliff."

Muitos fãs consideram o "Master of Puppets" como o melhor trabalho do Metallica, o que a própria banda reconheceu quando tocou o álbum na íntegra numa turnê de verão em 2006 pela Europa. The Pulse of Radio perguntou ao frontman James Hetfield se a banda iria voltar a tocar outro álbum na íntegra num show. "É muito importante que o fã esteja envolvido nisso, sabe?", disse ele. "Foi mais pelo pedido dos fãs para fazermos isso do que por nós querendo fazê-lo. Você sabe, aquele foi um álbum muito importante em nossa carreira, tão histórico para tanta gente e aquiele pedido fez sentido. Mas tanto quanto, você sabe – eu adoraria tocar qualquer um e todos os álbuns, porém depende muito dos fãs quererem isso de coração, ou não."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Master of Puppets" foi o primeiro álbum do METALLICA a ganhar disco de ouro, por vender mais de meio milhão de cópias. Muitas músicas do disco, incluindo "Welcome Home (Sanitarium)", "Battery", "Leper Messiah" e a faixa-título ainda fazem parte do repertório da banda até hoje.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

In-Edit
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Metallica: Trujillo comenta diferentes personalidades dos músicos

11 de setembro: de Beatles a RATM, as músicas banidas das rádios americanas após atentado



Sobre Kako Sales

Mineiro de Januária, baterista autodidata, cresceu em ambiente familiar ligado à música popular e erudita. Seu pai chegou a fazer pequenas turnês com bandas da Jovem Guarda como tecladista no fim da década de 70. Aos 10 anos, iniciou os estudos de teoria musical e piano clássico. Teve o primeiro contato com o mundo do metal ao escutar o CD Angels Cry do Angra, aos 15 anos. Desde então tem se dedicado a conhecer, colecionar e difundir o melhor do metal brasileiro e mundial. Graduado em Letras/Inglês, principalmente por influência da língua-mãe do rock, tem como principais ícones do metal as bandas Angra, Symphony X, Dream Theater e Opeth.

Mais informações sobre

Mais matérias de Kako Sales.