Colin Hart: roadie publica livro sobre Purple e Rainbow

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Lara Paiva, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 11/09/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


Era julho de 1971, quando Colin Hart, um garoto da cidade de South Shields, Inglaterra, saiu para a sua primeira turnê nos EUA como roadie do MATTHEW’S SOUTHERN COMFORT. A turnê também contava com os grupos FACES E DEEP PURPLE. Durante a viagem, torna-se empresário do Purple, apesar do Ian Gillan (vocalista do grupo) só saber do novo funcionário ao vê-lo derramar um litro a mais de cerveja do que Rod Stewart (vocalista do Faces) havia pedido. Quarenta anos depois, a editora Wymer orgulhosamente apresenta o livro “A hart Life: The life story of Deep Purple and Rainbow's tour manager”, que conta as histórias de Hart como empresário dessas bandas de rock.
1605 acessosDeep Purple: "As pessoas não estão comprometidas em lançar álbuns"5000 acessosLegião Urbana: Eduardo e Mônica, uma análise psico-neurótica

Ele dedicou aproximadamente 30 anos de sua vida aos grandes roqueiros. Este é um fato e é sua história. Um conto que possui excesso de ganância, petulância, raiva e devoção. Porém está contrabalançado por um extremo puro de talento, carisma e, claro, musicalidade. É constantemente chamado de “simplesmente o cara” por observar todos os conceitos quebrados, maquiagens e mudanças nas formações das bandas. Começou aos 24 anos e deixou 30 anos depois, justificando-se que havia caminhado por toda estrada do rock ‘n’ roll. O livro conta a história de duas mais inovadoras, que depois foram copiadas, banda de rock vista através dos olhos, ouvidos e emoções da “mãe galo” (como Jon Lord o chamava). Hart era, para os grupos, o seu mentor, motorista, cuidador, provedor, protetor, pai e confidente. Na verdade, ele é o único que pode dizer, deste conto, que acompanhou não uma, mas duas bandas gigantescas.

Hart vivia como se estivesse numa montanha-russa, trabalhou para o Purple, durante o período de maior sucesso da banda. Ele estava no cassino que pegou fogo em Montreal, onde depois nasceria a música “Smoke On The Water”. Assistiu os lendários concertos no Japão, a saída de Gillan e Roger Glover, a audição em que fez David Coverdale se juntar para banda e o grande Califórnia Jam, festival que teve 400.000 pessoas.

Quando Ritchie Blackmore deixou Deep Purple em meados de 1975 e formou o Rainbow, Colin Hart juntou-se a ele e continuou como empresário da banda durante a sua turnê e viu as diversas formações. Ele foi, invariavelmente, o homem que tinha que dar a notícia para muitos dos candidatos que faziam o teste para a banda: "Nós vamos voltar a falar com você", apesar de nunca retornar!

Mais uma vez, estava no meio do mandato de 9 anos do Raibow. Ele viu o período do Rising (1976), a melhor formação em sua opinião. Também viu os problemas durante a gravação “Long Live Rock ‘N’ Roll”, a saída do Ronnie James Dio, a fase Graham Bonnet culminando com o primeiro festival Monsters of Rock em Donington, que foi um grande sucesso comercial durante a fase de Joe Lynn Turner.

Em 1984, quando Blackmore terminou com o Rainbow para se reunir com o Deep Purple, Hart voltou a acompanhar a trajetória daquela gigante banda de rock que estava em uma grande tour pelos EUA em 1985, no que foi a segunda maior turnê que passou por lá naquela época, só perdendo para Bruce Springsteen. Um déjà vu aconteceu na vida de Colin, a saída de Gillan, a entrada de Turner e a saída de Blackmore enquanto Steve Morse surgiu para levar a banda para o novo milênio, embora a história de Colin chegasse ao fim em 2001.

“A Hart Life” foi escrita em parceria com Dick Allix, seu amigo de longa data e foi baterista da Vanity Fare na década de 60. Hart conta a sua história desde sua vida em South Shields até se mudar para Califórnia com o Rainbow, e depois para Flórida, onde vive atualmente. Conta sobre as turnês que acompanhou do Deep Purple e Rainbow, apesar de cruzar com o caminho de Jimi Hendrix, George Harrison, Elton John, Eric Clapton, Led Zeppelin, AC/DC, Def Leppard, Scorpions e Iron Maiden, para poder citar alguns! Uma verdadeira fascinação dentro da história do rock ‘n’ roll por trás dos palcos. Inclui depoimentos do baixista Roger Glover e do sobrinho de Colin, Paul Mann, que conduziu a Orquestra Sinfônica de Londres ao lado de Deep Purple em 1999.

O livro foi publicado, originalmente, em 2008 no Japão com o título "Between A Rock & A Hard Place", este é vendido no site da editora:
http://www.wymeruk.co.uk/Store/index.php?_a=viewProd&product...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Deep PurpleDeep Purple
"As pessoas não estão mais comprometidas em lançar álbuns"

2414 acessosDeep Purple: em 1990, Jon Lord fala de Gillan e Blackmore0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

OzzyOzzy
Outros rockeiros que usaram camisetas do grêmio

Versão genéricaVersão genérica
Rod Evans e o "falso Deep Purple" de 1980

KissKiss
Versão de "Smoke on the Water" em Meet & Greet

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Deep Purple"0 acessosTodas as matérias sobre "Rainbow"

Eduardo e MônicaEduardo e Mônica
Uma análise do maior sucesso da Legião Urbana

Rodolfo AbrantesRodolfo Abrantes
"Raimundos como banda não me interessa"

MegadethMegadeth
Electra mostra para Kiko como está fera no Português

5000 acessosBeatles: tocando "Stairway To Heaven" no YouTube?5000 acessosPaula Fernandes: aos 19 anos ela ia em shows de Black Metal5000 acessosIron Maiden: Perguntas e respostas e curiosidades diversas5000 acessosFoo Fighters: tentaram cover de Yes mas era difícil, tocaram Rush5000 acessosWacken Open Air 2015: o festival acabou, agora é hora da limpeza5000 acessosKip Winger em 2007: "Metallica se tornou a piada do rock!"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Lara Paiva

Estudante de jornalismo da UFRN. Aos 12 anos começou a escutar Black Sabbath. No início, os pais pensavam que isso seria uma fase, mas a fase virou uma tórrida paixão pelo Rock and Roll.

Mais matérias de Lara Paiva no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online