Zombie Cookbook: conversa com artista de Outside The Grave

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Débora Brandão, Fonte: Metal Media, Press-Release
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 16/06/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O que leva um artista sério a trabalhar com mentes insanas como as dos músicos do ZOMBIE COOKBOOK? Por que uma pessoa desceria até a terra dos mortos para trabalhar?

5000 acessosHall Of Shame: as melhores músicas ruins da história do Metal5000 acessosPsicografia: uma suposta carta do espírito de Cássia Eller

Para responder estas e outras perguntas, nós da Metal Media fizemos uma espécie de questionário para o artista Charles Silva, responsável pela arte em forma de quadrinhos de ‘Outside The Grave’, novo álbum do ZOMBIE COOKBOOK.

Charles, inicialmente, gostaríamos que você nos passasse uma ideia do teu trabalho até o momento. Como você se classifica neste vasto mundo do Design e da Ilustração?

R: O desenho foi minha motivação para entrar e terminar a faculdade de design gráfico em 2007. Desenvolvi, na época de estudante, alguns trabalhos pessoais e desenhos animados misturando técnicas 3d, rotoscópia (N.E.: Rotoscópia é uma técnica usada na animação onde usa-se como referência a filmagem de um modelo vivo, aproveita-se então cada frame filmado para desenhar o movimento do que se deseja animar) e tradicionais. Época boa!!! Atuei no mercado de ilustração digital e design de embalagens. Hoje possuo um escritório de arquitetura, engenharia e computação gráfica, o Z1 Studio, e uma grife de roupas para jogadores de poker, a Dealer Clothing. Posso ser classificado hoje como um designer prostituído quase aposentado! Hoje trabalho na área comercial e no gerenciamento de projetos nas minhas duas empresas com outros sócios.

No passado, ao trabalhar com design (e ainda hoje) foi necessário seguir alguns padrões visuais de mercado: “alinha aqui”, “essa cor a mulher do cliente não gostou”, “está muito morto”, “está muito colorido”, “tá estranhooo”!!! Ou seja, a pesquisa é esquecida e quem paga decide. Este mercado estou tentando abandonar. Essa prostituição mercadológica acaba quando surgem trabalhos realmente diferentes e com liberdade de criação, como o Zombie Cookbook.

Como pintou a ideia de trabalhar com o ZOMBIE COOKBOOK? Houve alguma motivação extra?

R: Meu amigo, sócio e vocalista da banda não tinha dinheiro e me chamou para desenhar, como eu sempre desenhei retrato para convites de casamento... hauhauahua brincadeira...

Cara, sempre curti Zombies, sei lá, deve ser coisa de infância com o filme “A Volta dos Mortos Vivos” e jogos como “Resident Evil”, “Silent Hill”. Quando o Lucas convidou para fazer o encarte, curti muito a ideia e chamei outro amigo, Igor, para desenvolvermos realmente uma história visual para banda.

O conceito da arte é muito legal, um encarte/pôster que através de quadrinhos vai contando a história da banda, de como os meninos morreram e viraram zumbis. Qual foi o pontapé inicial? Como surgiu?

R: A própria banda já possuía uma história, no começo era para ser bem o titulo do CD “Outside The Grave” apenas na capa, todos saindo da catacumba, mas não, achei muito pouco para uma banda com tantos diferenciais, e resolvemos pirar mais mesmo!


A ideia que envolve o surgimento da banda precisa ser informada para todos e nada melhor que através de uma das artes mais antigas da humanidade: quadrinhos. A marca da banda é foda: entranhas desenham o nome, porra, isso é identidade! Não as mesmas fontes cheias de pontas e confusão visual das bandas de Death Metal.

Definimos junto com a banda que esse diferencial precisa ir para os palcos, onde todos cantam como cozinheiros zumbis, com aventais, roupa de chefe gourmet, maquiagem, praticamente verdadeiros zumbis, essa é a essência da banda e a identidade. O surgimento da banda tem ligação com o som e palco.

Agora que temos uma explicação do conceito, nos fale um pouco sobre a arte em si. Quais foram as técnicas utilizadas para a confecção do encarte?

Após definir as sequências de desenhos, pesquisamos alguns quadrinhos antigos e atuais, praticamente uma mistura de ‘Walking Dead’ e ‘Marvel Dead’. Marcamos para fazer as fotos das sequências como referência para a finalização dos desenhos. O lugar foi perfeito, uma cervejaria abandonada, onde também existia uma cozinha industrial. Compramos o figurino em uma loja gastronômica e em uma tarde de muito calor, cerveja e mortes, definimos todas as sequências. Cara a banda realmente suou para fazer a melhor expressão, morrendo e matando!

Eu fiz uma seleção das melhores fotos e iniciei os concepts, lápis, borracha, papel e algumas magic color, escutando o som claro. Após desenhar todas as sequências, finalizei os desenhos com naquim, digitalizando os mesmos e fazendo a pintura digital no photoshop. Defini com a banda cores realmente vibrantes e vivas para as sequências em que o ‘fura bucho’ mata toda a banda. Após o ritual gótico a banda praticamente arrebenta o chão ( a capa do CD), e muda toda a atmosfera da história, criando um ambiente de morte. Cada mordida explode sangue e vísceras das vítimas! Muito bom desenhar algo assim, foi um prazer.

O verso do encarte segue toda a identidade zumbi, com os integrantes da banda fazendo um som com membros dos góticos mortos. Resumindo, ficou lindo!

O que você leva de experiência trabalhando com os mortos-vivos? Há alguma pretensão de trabalhos futuros? Vendo o trabalho da animação que foi feita por você e tua equipe, há a possibilidade de termos um clipe animado de mortos-vivos?

R: Realmente o resultado foi animador, foi minha primeira experiência com encarte, espero convite para outros. Novamente saliento o empenho e dedicação da banda, rapaziada gente fina, sem frescura nenhuma. Fazia muito tempo que eu não desenhava, muito bom fazer isso novamente. Vou guardar os desenhos originais, a banda vai longe.

Animação é algo que se encaixaria perfeitamente com a proposta da banda, seria um prazer fazer, sei do meu limitador tempo, mas isso poderemos resolver com mais pessoas no trabalho.

O importante é o resultado e acrescentar qualidade e, com certeza, o Zombie Cookbook pode fazer barulho em qualquer lugar do mundo, sem deixar a desejar nada a ninguém.

Deixamos agora um espaço livre para que você possa falar:

R: Parabéns Zombies, o CD está foda. Agradeço o empenho de toda banda, mulheres e namoradas, Igor, valeu a força com as fotos e ideias. À banda deixu o meu “boa sorte”, porque o restante vocês estão fazendo o melhor dentro das possibilidades e dificuldades que a nossa cultura e país oferece. Quero fazer o próximo CD, hauhauaha, Zombies !!!! Só na cabeça!

O ZOMBIE COOKBOOK prepara o lançamento do álbum para o segundo semestre deste ano e um trailer, com as músicas em pré-mix, pode ser visto abaixo.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

No início de 2012, o ZOMBIE COOKBOOK disponibilizou o single ‘Scared Stiff’ para download gratuito, que contém a música ‘I Sell The Dead’, espécie de hit mórbido da banda em versão diferente da do vinil ‘Cinetrash’, primeiro lançamento do grupo.

“Queremos que vocês sintam com esse single só um gostinho do que será o ‘Outside The Grave’, algo como um dedo, um pedacinho da orelha ou até mesmo um pouco de pele arrancada com os dentes”, comenta Dr. Stinky, vocalista.

Mais informações sobre o single 'Scared Stiff' e o link para download, abaixo.

http://metalmedia.com.br/newspress_br/?p=6972

Contato para shows e merchandise: zombie.cookbook666@gmail.com

Sites Relacionados:
http://www.myspace.com/zombiecookbook
http://www.metalmedia.com.br/zombiecookbook
http://www.orkut.com.br/Community?cmm=109316467
http://www.facebook.com/zcbofficial

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Zombie Cookbook"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Zombie Cookbook"

Hall Of ShameHall Of Shame
As melhores músicas ruins da história do Metal

PsicografiaPsicografia
Uma suposta carta do espírito de Cássia Eller

Fãs de RockFãs de Rock
Você conhece o estilo de se vestir de cada um

5000 acessosCristina Scabbia: cantora fala sobre seus seios e Playboy5000 acessosOzzy Osbourne: comendo oferenda de macumba no Rock in Rio5000 acessosBlack Metal: o cotidiano fascinante dos fãs adolescentes5000 acessosMetallica: Em fotos, a evolução de James Hetfield5000 acessosMachine Head: frontman fala sobre depressão em blog5000 acessosMetallica: Ultimate Classic Rock elege as 10 piores músicas

Sobre Débora Brandão

Responsável pela Metal Media Management, cresceu ouvindo clássicos do Rock n' Roll e Heavy Metal por influência de seus pais. Em 2007 iniciou sua carreira na área da música trabalhando em uma gravadora nacional e fundando uma assessoria de comunicação voltada a bandas de Rock/Metal. Hoje, com grandes nomes no Roster, a Metal Media é uma das empresas que mais apoia e acredita no Metal Nacional.

Mais matérias de Débora Brandão no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online