Rex Brown: o nome Pantera ainda invoca muito respeito

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Ver Acessos

O ex-baixista do PANTERA e do DOWN, REX BROWN, lança sua autobiografia esse mês, e ele próprio sentou-se para discutir alguns pontos cobertos no livro em uma nova entrevista.

Led Zeppelin: tudo sobre o hit "Stairway To Heaven"Slayer: assista Ivete Sangalo cantando "Dead Skin Mask"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Foi mais catártico pra mim do que qualquer outra coisa", ressalta Rex sobre sua experiência ao escrever "Official Truth, 101 Proof: The Inside Story of Pantera".

"Foi muito mais difícil do que eu esperava, mas eu acho que ficou ótimo. Escrever um livro não é fácil, cara. [risos] Tentar colocar todas aquelas palavras ali, todas as histórias, e tudo mais em 320 páginas foi realmente difícil. Poderiam ser mais de 900 páginas, mas nos certificamos que não fosse, entende? Quanto a ser estranho, eu nunca diria que foi estranho, porque eu tinha uma historia pra contar, e ela finalmente está saindo pra todo mundo semana que vem."

"Éramos quatro indivíduos completamente diferentes, mesmo no começo, mas tínhamos aquela obstinação de sermos o melhor que pudéssemos ser", ele ainda fala sobre ele e seus colegas do Pantera. "Nós só estivemos em uma jornada louca que nos levou ao topo e que foi surreal algumas vezes. Não foi sempre bom e divertido, mas no fim das contas, você menciona o nome Pantera e o montante de respeito que o nome traz é algo que eu tenho certeza que todos temos muito orgulho até hoje."

"Eu não tenho nenhum arrependimento. O único arrependimento que tenho é com o que aconteceu com Dime, mas eu não tenho controle sobre aquilo. É uma pena que uma porra dum desequilibrado decidiu fazer aquilo pra alguém tão especial nesse mundo. E é uma vergonha maior ainda não sabermos nunca o que poderia ter acontecido. Como eu disse no livro, se Dime estivesse junto, acredito que ainda estaríamos fazendo um som juntos. Pra falar francamente, eu não tenho nenhuma porra de arrependimento. Você pode sempre olhar pra trás e ver que poderíamos ter feito as coisas de modo diferente, mas a vida é assim no geral. Você vive e aprende."

Entrevista na íntegra [em inglês]:
http://tinyurl.com/bxujao9




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Pantera"Todas as matérias sobre "Rex Brown"


Slayer: Kerry King revela seus 5 álbuns favoritos com guitarrasSlayer
Kerry King revela seus 5 álbuns favoritos com guitarras

Guitar World: 11 Álbuns Essenciais do Thrash MetalGuitar World
11 Álbuns Essenciais do Thrash Metal


Led Zeppelin: tudo sobre o hit Stairway To HeavenLed Zeppelin
Tudo sobre o hit "Stairway To Heaven"

Slayer: assista Ivete Sangalo cantando Dead Skin MaskSlayer
Assista Ivete Sangalo cantando "Dead Skin Mask"


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adGoo336