Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden tocou no primeiro show de 2022

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemJen Majura disse que sair do Evanescence não foi decisão dela e recebe apoio dos fãs

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemVeja Iron Maiden tocando músicas do "Senjutsu" pela primeira vez ao vivo

imagemIron Maiden apresenta Eddie em versão samurai ao vivo; veja vídeo oficial

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemAndre Matos sempre foi de esquerda e reprovaria governo atual, diz irmão do maestro

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"


Joe Lynn Turner: o Purple não soa mais como Purple sem Blackmore

Por Nacho Belgrande
Fonte: Playa Del Nacho
Em 05/03/13

DANIEL PAVLICA do site THE ROCKTOLOGIST conversou recentemente com o lendário vocalista JOE LYNN TURNER [RAINBOW, DEEP PURPLE, MALMSTEEN]. As considerações do músico sobre sua passagem pelo Purple podem ser lidas abaixo:

Rocktologist: Olhando de hoje em dia, você considera a era "Slaves And Masters" uma oportunidade desperdiçada para o Deep Purple?

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Turner: Eu acredito que foi um dos melhores álbuns que o Deep Purple jamais fez. E nessa perspectiva, com certeza foi uma oportunidade desperdiçada. Deveríamos ter nos agarrado àquilo e ter feito pelo menos dois álbuns, provando assim para os fãs e pra nós mesmos que era um passo na direção certa. O que aconteceu depois daquilo virou história. Quando Blackmore saiu, eles pegaram Steve Morse, e a banda anda bem das pernas. Entretanto, eu não acho que a banda ainda soe como o Deep Purple, somente muito de vez em quando. Mas eu realmente acho que "Slaves And Masters" soa como um disco do Deep Purple por uma grande razão, e é Ritchie Blackmore. Ele era o coração e a alma daquela banda e por mais que todo mundo gostasse de achar que eram os pilares do Deep Purple, eu acredito que foi sempre Ritchie quem comandou o show. Blackmore é o ingrediente que mais faz falta ao que é necessário para que o Deep Purple funcione corretamente.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande.