Dave Mustaine: difícil ser anarquista com um Mercedes na garagem

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Portelada, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  

Em março de 2014 o frontman do MEGADETH, Dave Mustaine, refletiu sobre sua carreira, influências musicais e como ele começou sua banda, no programa Taking Shock, da Bloomberg Television. Você pode assistir o vídeo deste segmento no link abaixo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre se ele se tornou menos intimidador em termos da música que ele desenvolve.

Mustaine: "Eu acho que enquanto você cresce, as coisas mudam um pouco. É meio difícil ser um anarquista quando você tem um Mercedes-Benz em sua garagem. Nesta manhã, eu estava pensando sobre o crescimento, com eu não tinha onde morar quando comecei minha carreira. Eu era o produto de uma família quebrada e era, basicamente, cuidado durante o dia pelo Boys Club Of America [entidade para educação de jovens]. E, você sabe, é uma dessas coisas onde você vai de ser um garoto pobre, com cupons de comida e ticket refeição para um milionário. É uma história de sucesso americana."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre os maiores desafios que as bandas enfrentam nos dias de hoje:

Mustaine: "Os rios de dinheiro secaram. O dinheiro que você gera da venda de discos sumiu. Então, para se ter sucesso e se manter nos negócios, você tem que achar outra forma de pagar as contas, o que predominantemente são as turnês e merchandising. Muitas pessoas tem acordos e parcerias e coisas assim, porque a transferência de arquivos e coisas assim – isso já é uma notícia velha – isso realmente mudou a indústria da música."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre sua vindoura performance com a Sinfônica de San Diego:

Mustaine: "Bem, a música sinfônica, a música clássica, eu acredito, mostra-se bastante no heavy metal. Muitas destas músicas medievais que eu encontrei, e a invasão britânica... LED ZEPPELIN, por exemplo, tem muito do ato de contar histórias e os arranjos clássicos de fato contam várias histórias. E também fui gradualmente ouvindo BEATLES, então vários dos arranjos do Sir George Martin com suas cordas, essas coisas realmente me fascinavam. Então sempre fui fascinado por música clássica, mas a indústria musical está morrendo. Há uma geração de pessoas que não conhecem nada sobre isso. Eu achei que seria legal levar minha guitarra lá e tocar as partes do violino com algumas distorções, e você sabe, ver todos estes filmes da Disney enquanto era criança, eu gostava da música logo antes da maçã envenenada ser mordida, ou antes que o lobo atacasse ou algo assim, onde a música fica meio assustadora. Então nós escolhemos músicas que são realmente emocionais, coloridas – um pouco de Vivaldi e Bach.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Axl Rose: a primeira ficha policial aos 18 anosAxl Rose
A primeira ficha policial aos 18 anos

Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da SpinnerÓdio musical
Os artistas mais detestados em lista da Spinner


Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

Cli336 Goo336 Goo336 Cli336 GooAdHor