Kisser: O produto de exportação depois da Bossa Nova é o Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva, Fonte: GShow
Enviar correções  |  Ver Acessos

O guitarrista do SEPULTURA, Andreas Kisser, concedeu uma entrevista ao programa SuperStar, da Rede Globo, em que falou, entre outros assuntos, das bandas de rock que estão se apresentando na atração, do preconceito com o Heavy Metal e das parcerias com artistas como ZÉ RAMALHO. Parte da entrevista você confere aqui:

Oops!: 10 erros eternizados em gravações de clássicosGastão Moreira: A coleção do VJ, apresentador e jornalista musical

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

SuperStar: Pensando aí em toda essa bagagem, que dicas você daria para as bandas do SuperStar?

Andreas: O programa é muito interessante e acho que dá uma superprojeção. Só a oportunidade de mostrar o trabalho pro país todo já é uma vitória. Vale muito ouvir o que Ivete, Fábio Jr. e Dinho tem a falar. Eles são três mestres da música brasileira e as bandas tem a oportunidade de ouvir os conselhos deles. Um "não" não acaba com a carreira de ninguém. É duro, mas as bandas não podem abaixar a cabeça.

SuperStar: Há algum tempo se diz que no Brasil, temos poucas bandas de rock, mas no SuperStar cinco bandas são rockeiras. Você acha que o cenário está mudando?

Andreas: Está cheio de bandas de rock por aí! Eu tenho um programa de rádio e o que vejo de bandas novas é espetacular. O que falta é espaço na mídia. As próprias bandas já consagradas reclamam um pouco de espaço. Quando algum artista pop está em alta, só toca isso. Mas o Brasil é um país muito diverso. Não é só procurar o igual. Com todo respeito aos outros estilos, o rock e o metal precisam ser respeitados. Hoje em dia, lá fora, os gringos falam em Senna, Pele e SEPULTURA e aqui a gente é ignorado. O produto de exportação depois da Bossa Nova é o Heavy Metal.

SuperStar: E como estão os projetos novos?

Andreas: Estamos finalizando o dvd do Rock in Rio (RIR), em que abrimos o palco Mundo e deve sair em julho. Também estamos preparando um documentário comemorando os 30 anos de estrada. O diretor Otavio Juliano está acompanhando a gente para mostrar a história e por que a gente está aqui. Estamos em turnê com o disco que saiu no ano passado, e indo pra Europa em Junho.Também estamos confirmados para o RIR de 2015, em Las Vegas.

SuperStar: Por último... É difícil olhar para a banda e imaginar quatro caras metaleiros levando uma vida comum...

Andreas: A gente tem uma vida normal! Gosto de curtir um futebol, ficar com a família, tenho contas pra pagar como todo mundo (risos)! Sou casado há mais de 20 anos com a mesma mulher, tenho três filhos. Quando a gente vai pra algum lugar que dá pra curtir um pouco, eles vão junto. Minha mulher já me acompanhou em shows na Índia, África, Havaí. Quando a gente volta da estrada, a família te dá o equilíbrio, te chama pra realidade. Quando se é mais novo, é muito fácil acreditar nas coisas. Você pode entrar em alguns buracos e não sair depois.

Leia a entrevista na íntegra no site abaixo:

http://gshow.globo.com/programas/superstar/So-na-web/noticia...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Sepultura"


Sepultura: Yohan Kisser fala sobre como é tocar com o paiSepultura
Yohan Kisser fala sobre como é tocar com o pai

Sepultura: Korn, Andreas e Derrick em uma versão da lendária Roots Bloody RootsSepultura
Korn, Andreas e Derrick em uma versão da lendária "Roots Bloody Roots"


Oops!: 10 erros eternizados em gravações de clássicosOops!
10 erros eternizados em gravações de clássicos

Gastão Moreira: A coleção do VJ, apresentador e jornalista musicalGastão Moreira
A coleção do VJ, apresentador e jornalista musical


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

adGoo336