Motorhead: Lemmy fala sobre saúde, novo álbum e muito mais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Paulo Giovanni G. Melo, Fonte: Loudwire, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 30/09/14. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Mr. Lemmy Kilmister, lendário frontman do MOTORHEAD, foi o convidado do programa de rádio Full Metal Jackie. Lemmy conversou um bom tempo com Jackie sobre sua saúde, planos de novo álbum e outros assuntos.

247 acessosMotörhead: nova cerveja IPA da banda se chama Born To Loose5000 acessosKing Diamond: Alguém já o viu sem a maquiagem?

Jackie: Lemmy, o primeiro e único, no programa mais uma vez. Como você está?

Lemmy: tão distante e muito bem, você sabe.

Jackie: feliz por ouvir sua voz, obrigado por vir ao programa.

Lemmy: valeu.

Jackie: Lemmy, existe uma famosa anedota sobre o MOTORHEAD trazer de volta alguém de um coma. De que maneira o MOTORHEAD tem sido uma fonte de cura para você, pessoalmente, através de seus problemas de saúde?

Lemmy: bem, primeiramente, eu tinha que sair da cama e ir tocar. [risos] Essa foi uma boa terapia, sair em turnê. Fizemos duas turnês desde que fiquei doente.

Jackie: como foi estar de volta e tocar com problemas de saúde?

Lemmy: minhas pernas ainda estão um pouco duras, e não há o que fazer. É coisa da velhice. Estou bem, porém, ainda preciso afrouxar o cinto.

Jackie: há mais de 20 discos de estúdio no catálogo do MOTORHEAD, mais de 30 se contarmos os álbuns ao vivo. Quanto sua opinião mudou ao longo do tempo, sobre o quanto você gosta ou não de qualquer um de seus álbuns?

Lemmy: gostei de quase todos eles. Eu não gostava do lado B do "Iron Fist", mas adorava o restante dele. Tenho muita certeza... senão não o teríamos liberado.

Jackie: já é quase um ano desde o lançamento de "Aftershock". Alguma ideia sobre o próximo álbum do MOTORHEAD? Quaisquer letras ou riffs incríveis na manga?

Lemmy: não, nada. [risos] Nós nunca estamos prontos. Nós vamos para o estúdio ensaiar cerca de um mês antes. Escrevo as letras lá. Em janeiro estaremos no estúdio para começar.

Jackie: então você entra no estúdio, começa a escrever e vê o que dá?

Lemmy: não temos um planejamento. Nunca tivemos um planejamento. [risos]

Jackie: você sempre me disse que não há planos. O MOTORHEAD é uma das poucas bandas que mantêm uma qualidade atemporal consistente de sua música. Qual é o elemento chave para algo soar bom 5, 10 e até 40 anos depois?

Lemmy: realmente eu não sei te dizer isso. É uma das coisas que procuramos fazer. Nosso material durou. Muitas pessoas têm se mantido conosco, muitos fãs leais e isso é algo enorme. Ultimamente, muitos novos também. Crianças também contam, temos jovens de 15 anos e crianças de 10 anos em nossos shows. Isso realmente é demais. Já contagiamos outra geração.

Jackie: como você se sente quando vê os pais trazendo os filhos aos shows e levando o MOTORHEAD ao público jovem?

Lemmy: espero que tenham trazido tampões de ouvido com eles. [risos]

Jackie: você nunca usou tampões de ouvido?

Lemmy: não.

Jackie: nenhum problema de audição?

Lemmy: não.

Jackie: acho que você é uma anomalia, um super humano.

Lemmy: parece que não, estive no hospital duas vezes este ano.

Jackie: eu acho que você já viveu muito mais do que a maioria. Estou feliz por você estar melhor.

Lemmy: também estou muito feliz, tenho sorte.

Jackie: algumas pessoas olham para você como um exemplo, por causa de sua tenacidade, honestidade, retidão e sabedoria. Quem eram seus exemplos e porquê?

Lemmy: minha mãe sempre me disse para dizer a verdade. Quando for questionado, responda. Não evite a verdade. Ela me ensinou muito bem. Neste negócio, muitas vezes as pessoas não estão prontas para a verdade até que elas a vejam por elas mesmo.

Jackie: onde estão os músicos que você viu e teria gostado de seguir os passos?

Lemmy: quando comecei, não havia nenhum Rock n'Roll. Começou com Little Richard, Eddie Cochran, Fats Domino, Buddy Holly. Todos aqueles caras foram minhas influências.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Phil CampbellPhil Campbell
"Até hoje não sei afinar uma guitarra de ouvido!"

247 acessosMotörhead: nova cerveja IPA da banda se chama Born To Loose626 acessosSaxon: novo álbum pode trazer música com Lemmy925 acessosBrazilian Tribute To Motörhead: Torture Squad e Hatefulmurder0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motorhead"

Lemmy KilmisterLemmy Kilmister
O encontro inusitado com Max Cavalera em Londres

SoundcheckSoundcheck
Bandas que mandam bem até na passagem de som

MotörheadMotörhead
Pela 1ª vez, Mikkey Dee visita estátua de Lemmy

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Motorhead"

King DiamondKing Diamond
Alguém já viu Kim Petersen sem a maquiagem?

Axl RoseAxl Rose
Texto analisa rivalidade com Kurt Cobain, do Nirvana

GibsonGibson
Os 10 maiores bateristas de todos os tempos

5000 acessosMegadeth: O recadinho provocante da vocalista do Huntress5000 acessosCenografia: os pedestais mais bizarros do Rock e Metal5000 acessosOs Headbangers não praticantes5000 acessosJesus Cristo: algumas canções que levam o seu nome como tema5000 acessosMatt Sorum: como é sair da zona de conforto após 25 anos com Duff5000 acessosCorey Taylor: "agradeça pelo que tem", ele diz para Chester

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 01 de outubro de 2014

Sobre Paulo Giovanni G. Melo

Mineiro de Belo Horizonte. Fã de Hard Rock e Heavy Metal, especialmente a partir dos anos 80, não dispensa um disco ao vivo destes estilos. Entre várias de suas bandas preferidas estão Ratt, Aerosmith, Buckcherry, The Cult, Whitesnake, Whitecross, Guns N´ Roses e Motley Crue.

Mais matérias de Paulo Giovanni G. Melo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online