Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMorre aos 43 anos Andrew LaBarre, ex-guitarrista e vocalista da banda Impaled

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemHalford relembra o dia que caiu em pegadinha armada por Tony Iommi e Geezer Butler

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemAndreas Kisser explica por que o Sepultura mistura Metal com música brasileira

imagem"Éramos nós contra o mundo" relembra Bill Ward, sobre o início do Black Sabbath

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"


Stamp

Megadeth: "Steve Harris abriu meus olhos", diz David Ellefson

Por Bruce William
Fonte: Blabbermouth
Em 28/01/15

Em entrevista ao TheMusicBiz.org em 2015, David Ellefson, baixista do Megadeth, contou sobre como desenvolveu seu estilo musical no instrumento ao longo dos anos, confira abaixo um trecho:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Cresci numa área rural dos Estados Unidos. O vírus da música me mordeu, me despertou, me fez sentir vivo e compreender que eu tinha um objetivo, daí passei a procurar por toda oportunidade e cada pessoal com quem pudesse tocar. Tocava com o violinista acústico da igreja, tocava com o professor da terceira série. Eu tinha 12 anos e me chamaram para tocar em bandas de caras de 16 e conhecia todas as canções do Lynyrd Skynyrd. Tocava com todos e com qualquer um. Daí chegou um momento no meio da adolescência em que estava tocando numa banda de jazz na escola e ouvindo Jaco Pastorious, Weather Report, Spyro Gyra, Al DiMeola. Tudo que aparecia eu ouvia. Me afastei um bocado do rock & roll para desenvolver minhas habilidades. Então quando fiz dezoito completei o ensino médio e me mudei para a Califórnia onde conheci Dave (Mustaine), nesta época o Iron Maiden já tinha surgido, e Steve Harris abriu meus olhos para a função que deve desempenhar um baixista".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Sabia de baixistas que cantavam e compunham, como Geddy Lee (Rush) e Gene Simmons (Kiss), então Steve ser baixista e compositor mas não vocalista me intrigava. Gostei pois eu nunca fui um bom cantor. Fiz backing em algumas poucas bandas. Cantei brevemente quando jovem, mas nunca tive uma boa voz. Mas sou tipo Michael Anthony (Van Halen), um bom backing vocal".

"Então quando encontrei Dave Mustaine foi curioso, pois o material do Metallica que ele tocava sempre foi muito complexo porém um pouco mais simples e o Megadeth, especialmente naquele primeiro ano em 1983, vivíamos em Hollywood próximo ao Instituto de Música. E éramos muito influenciados pela escola e os estudantes. Tinha um cara com o qual tocávamos todo dia que era fanático por Uli (Jon Roth) e eu e Dave adorávamos o material antigo do Scorpions, e Dave era um grande fã do estilo de Uli e de Michael Schenker de tocar, e isto realmente ajudou a levar o som do Megadeth a um outro nível de complexidade. Então todos estes anos aprimorando e tocando todo este tipo de coisa diferente, incluindo bandas de jazz e similares, todas estas experiências agrupadas resultaram neste quadro negro chamado Megadeth onde criamos este som e estilo. E ainda mais tendo Chris Poland e Gar Samuelson, que são fãs extremos de músicos de jazz fusion, isto me fez tocar num outro nível".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Quando me perguntam o que devem fazer como músicos eu digo que devem tocar com todos os músicos que ele consiga".

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William.