Megadeth: "Steve Harris abriu meus olhos", diz David Ellefson

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruce William, Fonte: Blabbermouth
Enviar Correções  

Em entrevista ao TheMusicBiz.org em 2015, David Ellefson, baixista do Megadeth, contou sobre como desenvolveu seu estilo musical no instrumento ao longo dos anos, confira abaixo um trecho:

Metal Moderno: 5 bandas aptas a se tornarem clássicas

HailMetal.com: Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Cresci numa área rural dos Estados Unidos. O vírus da música me mordeu, me despertou, me fez sentir vivo e compreender que eu tinha um objetivo, daí passei a procurar por toda oportunidade e cada pessoal com quem pudesse tocar. Tocava com o violinista acústico da igreja, tocava com o professor da terceira série. Eu tinha 12 anos e me chamaram para tocar em bandas de caras de 16 e conhecia todas as canções do Lynyrd Skynyrd. Tocava com todos e com qualquer um. Daí chegou um momento no meio da adolescência em que estava tocando numa banda de jazz na escola e ouvindo Jaco Pastorious, Weather Report, Spyro Gyra, Al DiMeola. Tudo que aparecia eu ouvia. Me afastei um bocado do rock & roll para desenvolver minhas habilidades. Então quando fiz dezoito completei o ensino médio e me mudei para a Califórnia onde conheci Dave (Mustaine), nesta época o Iron Maiden já tinha surgido, e Steve Harris abriu meus olhos para a função que deve desempenhar um baixista".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Sabia de baixistas que cantavam e compunham, como Geddy Lee (Rush) e Gene Simmons (Kiss), então Steve ser baixista e compositor mas não vocalista me intrigava. Gostei pois eu nunca fui um bom cantor. Fiz backing em algumas poucas bandas. Cantei brevemente quando jovem, mas nunca tive uma boa voz. Mas sou tipo Michael Anthony (Van Halen), um bom backing vocal".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Então quando encontrei Dave Mustaine foi curioso, pois o material do Metallica que ele tocava sempre foi muito complexo porém um pouco mais simples e o Megadeth, especialmente naquele primeiro ano em 1983, vivíamos em Hollywood próximo ao Instituto de Música. E éramos muito influenciados pela escola e os estudantes. Tinha um cara com o qual tocávamos todo dia que era fanático por Uli (Jon Roth) e eu e Dave adorávamos o material antigo do Scorpions, e Dave era um grande fã do estilo de Uli e de Michael Schenker de tocar, e isto realmente ajudou a levar o som do Megadeth a um outro nível de complexidade. Então todos estes anos aprimorando e tocando todo este tipo de coisa diferente, incluindo bandas de jazz e similares, todas estas experiências agrupadas resultaram neste quadro negro chamado Megadeth onde criamos este som e estilo. E ainda mais tendo Chris Poland e Gar Samuelson, que são fãs extremos de músicos de jazz fusion, isto me fez tocar num outro nível".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Quando me perguntam o que devem fazer como músicos eu digo que devem tocar com todos os músicos que ele consiga".




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal Moderno: 5 bandas aptas a se tornarem clássicasMetal Moderno
5 bandas aptas a se tornarem clássicas

HailMetal.com: Os cinqüenta melhores álbuns de Death MetalHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal


Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William no Whiplash.Net.

GooAdHor Goo336 Cli336 Goo336 Goo336