Dream Theater: James LaBrie fala sobre problemas nas cordas vocais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: LSS / Ultimate Guitar
Enviar Correções  

O vocalista James LaBrie falou, em entrevista ao podcast "LSS - Lead Singer Syndrome" (transcrição via Ultimate Guitar), sobre os problemas que afetaram sua voz no passado. O cantor sofreu uma intoxicação alimentar em 1994, o que causou o rompimento de suas cordas vocais.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Eu me recuperei, levou quase 7 a 8 anos para uma recuperação completa. [...] Consegui recuperar, diria, 95% do meu alcance. Mas embora eu fosse capaz de chegar à estratosfera sem problemas e gritar ao máximo, eu não ficava confortável fazendo aquilo mais", afirmou LaBrie.

O cantor destacou que, embora existam vários álbuns gravados após 1994 que destaquem seu alcance vocal, não era como antes, quando ele poderia cantar músicas como "Take The Time" e "Child In Time" - esta, do Deep Purple - logo aós acordar. "Foi horrível. Foi um período muito obscuro de minha vida. Não estou tentando dar tapinhas em minhas próprias costas, mas, antes disso, eu apenas acordava e cantava como ninguém, sem esforço. E, do nada, tenho que me esforçar, a minha voz está rachando, fica muito frágil", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

LaBrie pontuou que tudo foi como um "pesadelo". "Tive que dizer a mim mesmo: 'você precisa segurar firme e descobrir como fazer isso'. Quando acabamos a última turnê em dezembro, havíamos acabado de passar dois anos viajando. São muitos shows e, em cada noite, eram três horas. E, algumas vezes, eu ficava muito doente, com sinusite, resfriados fortes, gripes, coisas assim. Hoje em dia, não importa se você diz: 'vou cantar apenas 80%'. Realmente preciso me cuidar, porque fico muito doente", afirmou.

Por fim, James disse que os trolls da internet ficam dizendo coisas como: "que p*rra há de errado com LaBrie?". "No fim, você é apenas um humano, com sentimentos, fica triste e pensa: 'você não faz ideia do que eu passei'. É um instrumento orgânico e você tenta tirar o melhor dele. Não importa qual cantor seja, todos eles passaram por isso, com pessoas os cortando de todos os lados. É uma situação horrível. Mas penso: que seja... você não vai satisfazer todo mundo. Não precisam saber pelo que você passa. Se ficam melhor criticando alguém quando estão mal, que seja. Espero nunca conhecer pessoas assim, pois são apenas superficiais", pontuou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ouça a entrevista na íntegra a seguir (em inglês).




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Covers: alguns dos mais legais feitos por bandas de MetalCovers
Alguns dos mais legais feitos por bandas de Metal

Doors: Perguntas e respostas e curiosidades diversasDoors
Perguntas e respostas e curiosidades diversas


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

CliHo Goo336 GooInArt Cli336