No Gracias: "Para nós, 2016 ainda não acabou"!

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Rister, Fonte: Insanity Records, Press-Release
Enviar correções  |  Ver Acessos

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

Independente de ideologias partidárias, não se pode negar que todos ainda sofrem os reflexos dos acontecimentos ocorridos em 2016. Tempos de tormenta, onde o ódio exacerbado e a cegueira seletiva parece tomar conta de pessoas de todas as classes sociais. As mudanças que eram esperadas após o impeachment (ou golpe) surgiram, mas foram para pior. Isso já era denunciado na música "2016", da banda NO GRACIAS, que retrata os fatos e as possíveis consequências desde fatídico ano.

Big Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferidaSeparados no nascimento: Eddie e Seu Madruga

"Esse que mundo quer? Esse espera o quê? Esse o que constrói? Onde quer viver? Conservador do quê? Por qual ideal se move? O coxa que merda de mundo pensa manter?", um trecho da letra já questionava quais os motivos e quem realmente ganharia com a destituição da presidente eleita de forma democrática em 2014.

Assista o vídeo:

O desemprego segue subindo e as propostas para mudanças nas leis da previdência e trabalhistas se mostraram péssimas para os trabalhadores. O prometido crescimento econômico não aconteceu e o caos toma conta das ruas do país com greves e sucateamento dos serviços públicos.

O vocalista e guitarrista, Pablo Gusmão Rodrigues, fala sobre a temática da canção: "A ideia veio pelo ano conturbado que foi 2016. A letra dessa música é bem direta e reflete o que víamos e, aliás, continuamos vendo. Estávamos vendo aquela palhaçada de um monte de políticos corruptos com discursos moralistas, incluindo um imbecil homenageando torturador; o STF casuísta em suas "interpretações" do texto constitucional, e sendo permissivo com uma escalada de abusos jurídicos insuflados pela grande mídia, o que também agravava a crise econômica pela forma como as empresas em si (e não apenas seus dirigentes) eram inviabilizadas, gerando desemprego. Enquanto isso as pessoas faziam declarações de ódio nas redes sociais.Era difícil para nós não nos manifestarmos diante desse cenário" - explica Pablo.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "No Gracias"


Big Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferidaBig Four
Astros da cena Heavy escolhem banda preferida

Separados no nascimento: Eddie e Seu MadrugaSeparados no nascimento
Eddie e Seu Madruga

Músicas ruins: As 100 piores segundo o Aol Radio BlogMúsicas ruins
As 100 piores segundo o Aol Radio Blog

Os mais feios: Gene Simmons, Lemmy Kilmister, Alex Van Halen...Os mais feios
Gene Simmons, Lemmy Kilmister, Alex Van Halen...

Rolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutosRolling Stone
As melhores músicas com mais de sete minutos

Kerry King: gostaria de tocar com Zakk WyldeKerry King
"gostaria de tocar com Zakk Wylde"

Johnny Depp: nunca mais deve beber em noitadas com Keith RichardsJohnny Depp
Nunca mais deve beber em noitadas com Keith Richards


Sobre Mateus Rister

Jornalista, assessor de comunicação/imprensa e músico. Apaixonado por Rock And Roll, cinema e contracultura. Dono do blog insanityrecords.com.br e incentivador de cenário musical autoral.

Mais matérias de Mateus Rister no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336