Keep Them Blind: entrevista com Renato Osorio

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por George Ramos
Enviar correções  |  Ver Acessos

Renato Osorio é um dos guitarristas mais virtuosos do metal gaúcho, tocou nas bandas Hibria, Scelerata, Magician e Fighterlord e atualmente faz parte da banda Keep Them Blind, além de também trabalhar como produtor musical. Confira abaixo a entrevista que fiz com ele.

Hibria: primeiro single da nova formação será lançado em 22 de novembro.USA Today: as 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUA

E aí Renato. Faz bastante tempo que fiz uma entrevista contigo. Muita coisa aconteceu de lá pra cá não é? Conta aí o que tem feito ultimamente...

Verdade, George... alguns anos passaram, desde a última entrevista. Pois então, passei os últimos 3 anos envolvido em diversas produções, entre trabalhos meus e de outros artistas, aqui na cidade de Porto Alegre. Nesse meio tempo, construí um estúdio (Dry House Studio, também conhecido como Estúdio do Renatão), que é um espaço adequado pra essas gravações e produções rolarem. Tenho me focado em desenvolver um trabalho solo (devagarinho venho juntando o material), e tocado em alguns projetos.

Ano passado você juntamente com o Iuri, Ivan e Eduardo anunciaram suas respectivas saídas do Hibria. O que você tem a dizer sobre isso? Havia algum aspecto dentro da banda que estava te desagradando?

O Hibria foi um momento muito legal da minha carreira. Com a banda lancei e produzi álbuns dos quais me orgulho muito, e fiz shows em lugares até então inimagináveis. A formação se dissolveu por diferença de interesses, apenas...a banda realmente demanda muito envolvimento de tempo e acredito que os outros membros também tivessem vontade de se dedicar a outras coisas. Eu, no caso, estava focado em montar o Estúdio, ter um espaço adequado pra desempenhar meu trabalho.

Você acha que a decisão por parte de um dos membros em deixar a banda de alguma forma influenciou os outros?

Provavelmente, sim. O fato de ter uma formação estabilizada acaba organizando as tarefas e funções dentro de um grupo. No momento em que uma peça resolve não fazer mais parte, a dinâmica toda acaba se alterando.

Ainda sobre o Hibria o que você acha que o futuro reserva agora que o Abel está reformulando a banda? Gostou da escolha do novo vocalista e baixista?

Sim, achei a escolha dos novos membros extremamente acertada. Desejo muita sorte ao Abel e aos novos membros.

Recentemente você lançou um single solo chamado "Shut Up" que contou com a participação dos seus dois companheiros de Hibria, Benhur Lima e Eduardo Baldo. O que você tem a dizer a respeito do processo de composição dessa música?

Shut Up surgiu de forma muito natural, experimentando padrões novos, em casa. Desenvolvi algumas ideias com cordas soltas, e achei que aquilo daria um instrumental interessante. Mandei as idéias pro Dudu...ele curtiu, desenvolveu alguns arranjos, e fez a gravação em Los Angeles mesmo, no estúdio em que está trabalhando (Riot Van). O Benhur veio conhecer meu estúdio, apresentei o som lá mesmo, e topou na hora também. Fica fácil tirar um resultado bom quando se tem uma cozinha desse naipe!

Além do single você também lançou dois covers, um do Gary Moore e outro de um medley dos Beatles. Neles você se aventurou nos vocais também. Conta aí como foi essa experiência, foi algo muito desafiador?

Sempre cantei em todas as bandas que toquei, mas normalmente eram backing vocals, ou linhas complementares. Tenho um grande apreço por gravar e dirigir cantores. Modéstia a parte, tenho uma percepção muito boa pra afinação e quesitos interpretativos. O lance do Hibria sempre tocar com monitores in-ear também me ajudou bastante no desenvolvimento das habilidades vocais. Essas 2 versões que gravei podem ser encontradas no meu canal do Youtube (link no final da entrevista) e são uma prévia do que pretendo fazer também com meu material autoral.

Além de guitarrista você também é produtor musical. Pra você qual a importância de um produtor atualmente?

Um produtor musical qualificado agrega muito a qualquer registro. A ideia de deixar mais palatável a proposta do artista, a revisão de arranjos e aspectos que não estão soando de forma adequada para uma gravação, a escolha de timbres apropriados e a busca do take ideal....se o produtor realmente for capacitado e se envolver com o trabalho, o resultado final fará muita diferença. Se pensarmos que o mercado atual é altamente competitivo, é um investimento que vale a pena.

Acabou de ser anunciada a sua entrada na banda Keep Them Blind, que também conta com o Benhur, que foi seu companheiro de banda no Hibria. Como surgiu esse convite?

O Keep Them Blind é um projeto muito foda, capitaneado pelo mega brother e excelente batera Thiago Caurio (Astafix). O Benhur havia me mostrado as primeiras gravações da banda, ainda em 2014, e eu tinha curtido o som demais. Como eu estava sem banda, e eles sem guitarrista, o convite foi natural. Eu e o Thiago gravamos algumas jams, e isso acabou sendo o esboço de um novo single, que lançaremos em breve, acompanhado de um videoclipe muito legal.

Muito obrigado por ceder seu tempo respondendo essa entrevista. Deixa um recado pra galera que acompanha teu trabalho...

Muito obrigado a ti, George, pelo convite. Agradeço demais aos que leram até aqui, e aos que acompanham meu trabalho regularmente. Abraços, beijos e bons sons! Podem me acompanhar através das redes sociais.

Facebook:
facebook.com/renatofosorio




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Keep Them Blind"Todas as matérias sobre "Hibria"


Hibria: primeiro single da nova formação será lançado em 22 de novembro.

Power Metal: 20 bandas para quem é fã do estiloPower Metal
20 bandas para quem é fã do estilo

Heavy Metal: site elege as dez melhores bandas do BrasilHeavy Metal
Site elege as dez melhores bandas do Brasil


USA Today: as 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUAUSA Today
As 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUA

Oh, não!: clássicos que foram estragados pelo tempoOh, não!
Clássicos que foram "estragados" pelo tempo


Sobre George Ramos

Fã de heavy metal e outros estilos. Apaixonado por bateria. Bandas favoritas: Avenged Sevenfold, Breaking Benjamin, Volbeat, Five Finger Death Punch, Hangar e Hibria.

Mais matérias de George Ramos no Whiplash.Net.

adGooILQ