RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemIron Maiden e a decisão de Vladimir Putin que arruinou o título de uma canção clássica

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemPrika Amaral comenta mudanças da Nervosa: "povo tem que parar de me massacrar na Internet"

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagem"Bobo é aquele que não se enquadrar no pensamento dos jovens", diz Marcello Pompeu

imagemNervosa anuncia a saída da vocalista Diva Satanica


Summer Breeze

The Dirt: uma análise após o "boom" inicial

Por Alexandre Veronesi
Postado em 18 de abril de 2019

Nota: 7

Cinebiografias musicais estão definitivamente em alta. Após o estrondoso sucesso de "Bohemian Rhapsody", obra que retrata a carreira da banda Queen, aclamada pelo público (mas não tão bem aceita pela crítica especializada), e "Lords Of Chaos", que narra o conturbado início da cena Black Metal norueguesa, já estamos na iminência do lançamento de "Rocketman", filme do pianista e cantor Elton John, sem falar da recém anunciada vindoura película que contará a história do Sex Pistols, ícone da música Punk. A bola da vez é "THE DIRT", original Netflix baseado no livro autobiográfico de mesmo nome, do ano de 2001, que conta a história do lendário grupo de Heavy Metal / Hard Rock MÖTLEY CRÜE, formado por Nikki Six (baixo, membro fundador), Tommy Lee (bateria), Mick Mars (guitarra) e Vince Neil (vocal).

publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |

O roteiro segue aquele padrão já muito bem estabelecido em filmes do gênero: início, ascensão, queda e redenção. Ao contrário de seu primo famoso (no caso, "Bohemian Rhapsody"), "THE DIRT" faz questão de evidenciar todos os excessos relacionados a sexo, álcool e drogas que renderam ao Mötley Crüe a reputação de ser uma das bandas mais insanas da história do Rock. Agindo em pról das polêmicas, o longa infelizmenteacaba deixando a música um pouco de lado, pois apesar de conter boas recriações de shows e videoclipes, faltam, especialmente, cenas da banda em processo de criação e composição, o que deveria ser primordial em uma obra desta natureza.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A direção ficou a cargo de Jeff Tremaine, conhecido por seu trabalho em Jackass, famosa série exibida na MTV no início dos anos 2000, e que ganhou 4 longas-metragens, todos dirigidos por Tremaine. Isto provavelmente explica o fato de "THE DIRT" conter um grande número de cenas altamente espalhafatosas, como quando Tommy Lee corre alucinadamente (de cueca) pelos corredores de um hotel, além do famigerado momento em que Ozzy Osbourne cheira uma carreira de formigas e lambe urina do chão (a sua própria, e também a de Nikki Six). Toda essa necessidade em elevar a loucura sempre a níveis exacerbados e extremos faz com que a obra seja parcialmente exagerada e caricata. Por outro lado, a cômica cena de abertura do filme, e os takes que mostram o dia-a-dia de Lee durante a turnê, por exemplo, funcionam muito bem e podem até arrancar alguns risos do espectador.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O elenco, como um todo, é somente funcional, e o trabalho de construção dos personagens acaba sendo bastante questionável em determinados casos, como no de Tom Zutaut, futuro executivo do ramo musical, à época funcionário da Elektra Records, responsável por intermediar a relação entre gravadora e banda, que é mostrado aqui como um sujeito bobo, ingênuo e relativamente inexpressivo.

Entre os destaques do enredo, temos as cenas da trágica morte de Nicholas 'Razzle' Dingley, baterista do Hanoi Rocks, em acidente causado por um Vince Neil completamente embriagado; a overdose de heroína sofrida por Nikki Six, quando sua vida ficou por um fio; e o triste falecimento de Skylar, filha de Neil, aos 5 anos de idade, em decorrência de um câncer nos rins. Diversos acontecimentos, é claro, são romantizados, como o retorno do vocalista ao grupo, que se dá no terceiro ato do filme. Porém, são apenas liberdades poéticas, e não possuo ressalvas em relação a isto.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Em suma, "THE DIRT" não é um filme para se amar, nem para se odiar. Um tanto aquém das expectativas, sim, mas é divertido, bem-humorado, e entrega uma dose satisfatória de entretenimento ao fã de cinema e Rock n' Roll. Vale a pena conferir!

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Motley Crue: Vince dá sua versão do racha da banda em 1992


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Alexandre Veronesi

Colaborador sem descrição cadastrada.
Mais matérias de Alexandre Veronesi.