Matérias Mais Lidas

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemDave Mustaine quis tirar foto com moça que usava vestido do Megadeth, mas...

imagem"Ninguém imaginava que o Metallica seria maior que o Iron Maiden", diz Scott Ian

imagemAndreas Kisser pede doação de sangue para sua esposa Patricia

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemJohn Frusciante responde qual foi o motivo de seu retorno ao Red Hot Chili Peppers

imagemAC/DC: Angus Young comenta a capa de "Highway to Hell" e a morte de Bon Scott

imagemDave Mustaine diz que perdoa Ellefson, mas nunca mais fará música com o baixista

imagemNoel Gallagher sobre sua preferida do Pink Floyd: "Adoraria conhecer Roger Waters"

imagemCopa do Mundo do Rock: uma banda de cada país que vai disputar a Copa do Catar

imagemRaimundos: Digão acusa Instagram de censura após poucas curtidas em post


Stamp

Iron Maiden: Adrian Smith comenta loucura dos sul-americanos e cita Vasco da Gama

Por Igor Miranda
Fonte: Talk is Jericho / UG
Em 15/02/20

O guitarrista Adrian Smith falou, em entrevista ao podcast "Talk Is Jericho" transcrita pelo Ultimate Guitar, sobre o fanatismo que muitas pessoas têm pelo Iron Maiden. O músico citou a América do Sul como a região mais apaixonada pela banda, mas lamentou a presença de "caçadores profissionais de autógrafos" em meio aos admiradores.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Inicialmente, ele falou sobre aqueles que não são exatamente fãs, só querem itens autografados. "Agora, as pessoas descobrem o hotel onde você está. São caçadores profissionais de autógrafos. Eles te pegam assim que você sai e você identifica na hora, porque não parecem fãs. Eles têm malas e malas de memorabilia que desejam autografar para poder vender - e isso irrita a maior parte de nós", afirmou.

Em seguida, Smith destacou a diferença de comportamento dos fãs de verdade. "Os fãs genuínos... sabe, o garoto que bate na porta. Está tudo bem com esses. Porém, essas pessoas (os caçadores profissionais de autógrafos) estragam a situação para os fãs reais porque eu não assino nada dessas coisas, já que eles vão vender. E eles também incomodam. Em Nova York, eles podem ser realmente ofensivos e te assediam", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Logo após, o guitarrista citou a América do Sul como o local onde estão "os fãs mais fanáticos". "Eles ficam do lado de fora do hotel em grupos de centenas de pessoas, o que é uma loucura. Claro, não dá para autografar tudo", disse.

Adrian Smith citou uma situação vivida em El Salvador, país da América Central, para exemplificar. "Da última vez em El Salvador, havia uma verdadeira multidão fora do hotel. Quando vi, uma hora depois, a polícia tirou todo mundo, teve tropa de choque e tudo, o que só mostra como é lá embaixo", afirmou.

O entrevistador, então, pergunta se não é incrível o Iron Maiden ainda conseguir esse tipo de reação nos dias de hoje, já que tantas coisas mudaram na música e no rock. "Sim, é incrível", respondeu Smith. "Na América do Sul, eles são muito apaixonados. O cidadão comum não é rico, então, eles dão muita importância para o futebol, são apaixonados por esporte, quase como religião - e é o mesmo com música", completou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por fim, o guitarrista do Iron Maiden citou o Vasco da Gama, clube de futebol brasileiro que tem uma torcida organizada independente, chamada Força Jovem, utilizando o mascote Eddie em suas bandeiras e brasões. "Eles são como torcedores de futebol. Em um time, eles chegaram a pegar o Eddie como mascote deles. Acho que é o Vasco da Gama, não tenho certeza, mas um time de futebol usa o Eddie em sua bandeira", concluiu.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

In-Edit
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.