RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemTodos os rockstars que já recusaram ser condecorados pela rainha Elizabeth II

imagemDavid Coverdale lista seus 20 álbuns preferidos do rock britânico

imagemCom tempo de sobra, Bruce Dickinson também faz segurança em show do Iron Maiden

imagemPitty Purple: cantora aparece nas redes com vestido roxo e ganha elogios dos seguidores

imagemYoutuber toca clássicos do Metallica com a horrorosa bateria de "St. Anger"; veja vídeo

imagemGuns N' Roses compartilha foto incrível de show realizado em São Paulo

imagemManeskin e o grande temor que Gastão Moreira tem em relação à banda

imagemArnaldo explica por que saía do palco quando Titãs tocava hit de "Cabeça Dinossauro"

imagemBob Dylan revela como conhecer seu maior ídolo o fez deixar de venerar pessoas

imagemO revoltante motivo que fez gravadora não aceitar Jairo Guedz como baixista do Ministry

imagemAxl e o pequeno gesto com Slash comprovando que as tretas do passado ficaram pra trás

imagemO protagonismo do Sepultura em relação a Anitta, segundo João Gordo

imagemPor que Casagrande precisou de escolta de psicóloga para participar de programa de Gordo?

imagemGordo comenta por que trabalhou para Record mesmo após lançar músicas contra igreja

imagemO que esperar dos shows de Helloween e Hammerfall no Brasil, segundo os músicos


NFL Steve Harris

Professor Cão: O Livro das Bruxas de Minas

Por Ricardo Ferreira
Em 04/02/20

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

Texto por Daniel Galligani

"Cão" é um nome artístico interessante que tanto remete ao melhor amigo do homem e ao ser comum que habita ruas e casas sem causar maior espanto, mas também dá uma dimensão macabra da figura satânica evocada pelo Cão. Verdade que o nome artístico é uma antiga alcunha que o cantor e musicista Rodolfo Boccia ganhou na adolescência quando sua voz baritonal já se destacava das vozes agudas e desafinadas dos outros jovenzinhos. Contudo é importante entender que a aura que envolve o trabalho feito por Cão perpassa entre o que cativa e o que causa estranhamento; o que seduz e o que assusta; o que se mostra e muito do que se esconde.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

O Artista é dono de um modo próprio de falar, escolhe palavras pouco comuns e tem expressões usadas apenas por ele que a princípio pode causar um impacto ou até mesmo soar engraçado, mas que num segundo momento percebemos que não é um modo de falar, mas sim um método. Um método pelo qual uma pessoa introspectiva e avessa a vida frenética do consumismo assume para poder dizer parte daquilo que vê, compreende, absorve e acredita. Sendo assim, a música é quase uma extensão desse método e, da mesma forma, traz características próprias construídas na base do rock’n’roll vigoroso e repleto de belas guitarras. Escutar suas músicas é um convite a entender o cantor que, assim como a enigmática esfinge, tem como lema: "Decifra-me ou Devoro-te".

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Antes de analisarmos o som podemos observar alguns trechos das canções presentes no álbum: "O Livro das Bruxas de Minas". O Estilo das letras é gótico e retratam as dores da existência através de alegorias fantásticas.

O título psicodélico da canção "Astronautas no Azulejo" emite a sensação que nada trará claramente sobre nosso misterioso artista, porém olhando atentamente como um psicanalista Freudiano analisamos os seguintes versos: "É só aqui nos submundos inóspitos da consciência; é onde há o direito de um grito menos frágil, e um corpo menos denso, deixa a criança chorar". Ou seja, viver à margem do modelo consumista e alienado é a forma que Cão encontra de libertar suas angústias e ter um caminho que leve a alguma pureza. Cão é um alquimista que usa o som, o recolhimento, o verbo como um modelo de se alcançar a substância pura da vida. Não se afasta da natureza, uma vez que seu próprio codinome a evoca na esfera puramente física e também na metafísica. O grito sufocado é o grito animal, ancestral que está presente no discurso e nas músicas de outros cavalheiros do rock. O objetivo não é a destruição do mundo, mas sim a comunhão com a natureza humana animal.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

"Pactus" traz a questão da oportunidade em oposição à ética quando nos mostra a "festa para os decaídos" e o fogo que habita em cada um. Nela o personagem e possível alter ego de Cão tem que escolher em viver com uma chama pequena que o incomoda por ser finita e pouca, ou ajudar uma figura mefistólica a apagar as outras chamas presentes em troca de uma chama mais forte. "Trilhas do Âmago" mostra como é difícil o amor até mesmo para as pessoas que se sentem centradas ou como o artista diz: "Aqueles que pensam parar no ar feito morcego ou beija-flor são os que sofrem por amar, são os perdidos de amor"; poesia que evoca uma antítese entre o morcego e o beija-flor, a partir de uma característica comum entra as duas espécies, que é bater asas parados e suspensos no ar.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

"Maya" mostra o sentimento de isolamento e de descolamento social a partir da apatia em relação ao carnaval e ao Natal. "Noites Brancas", o conto carregado de lirismo do russo Dostoiévski é o título de uma das canções e traz também as angústias do amor unilateral e o passado, mais uma vez sendo visitado. E quão belo é ver na canção "Os sins" alguém defender a palavra "não" diante de um mundo permissivo e de egos inflados que não admitem tal palavra, como crianças mimadas. Nessa música mais uma vez a natureza profunda é evocada e personificada com a ajuda da própria ciência astrofísica (outra paixão do cantor).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Muitas pessoas afirmam que a vida é processo pelo qual temos que abrir mão das coisas que mais amamos uma hora ou outra. Cão parece sentir amargamente o tempo passando e sua música é uma ode ao tempo que nos impulsiona e nos consome. Em "Rosa dos Rumos" vemos os versos: "Como é perder um dia, um minuto, um trem? Como é perder na vida, um dia alguém?".

Por fim, Cão desprende-se ainda mais das convenções sociais, das preocupações mundanas na música "Lemúria", porém, o amor que tanto o consome quanto o justifica, ainda está presente na solução por ele encontrada que é se isolar nos "montes do Sião". Em Cão o isolamento e o misticismo são instrumentos alquímicos.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Uma vez comentadas as letras passamos ao som que tão bem as acolhem. A voz de cão é aveludada e pontuada entre o baixo profundo e o barítono. Seu timbre tem notas mais sérias e ríspidas, ou irônicas e engraçadas, na medida em que ele quer enfatizar uma ideia contida na letra. Por isso Maya é mais leve e engraçada (sem ser boba) do que Trilhas do Âmago que propõe uma reflexão sobre o amor, a dor do amor. As guitarras são precisas e muito presentes como nos bons rock’n’rolls. Solos rápidos e melodiosos, distorções gostosas de ouvir para quem é fã do gênero. Sabendo-se que Cão compôs seu estilo ouvindo muito Ramones e ao mesmo tempo muito heavy metal podemos admitir que ele tem a urgência e o carisma do primeiro e a densidade e os riffs do segundo. É um casamento entre o punk e o heavy num meio tom que pode agradar qualquer fã dos dois estilos porque não foi criado pra ser uma mistura, mas sim é uma mistura que nasceu organicamente nos caldeirões do bruxo Cão.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

As faixas:

01-Astronaves no Azulejo
02-Pactus
03-Trilhas do Âmago
04-Maya
05-Noites Brancas
06-Os Sins
07-A Serpente Antiga
08-Rosa dos Rumos
09-Lemúria

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Van Halen: o constrangedor encontro de Eddie com o Nirvana

A importância da revista Playboy na vida de alguns rockstars