Matérias Mais Lidas


Stamp

Os tensos momentos após encontrar o corpo de Chorão, segundo Kleber Atalla

Por Gustavo Maiato
Postado em 16 de fevereiro de 2022

O vocalista Chorão, do Charlie Brown Jr., morreu no dia 6 de março de 2013, aos 42 anos de idade. A primeira pessoa a encontrar o corpo do cantor sem vida foi seu motorista e amigo Kleber Atalla, que relatou como foram os tensos momentos que ocorreram após o episódio.

Charlie Brown Jr - Mais Novidades

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em entrevista ao Podcast À Deriva, com trechos reunidos pelo Cortes Podcast, o motorista explicou que após o desaparecimento de Chorão, procurou ajuda de um segurança do cantor para conseguir entrar no apartamento em São Paulo em que ele estava.

"Foi muito difícil essa situação. Eu xinguei muito ele, dizendo que não era a hora de ele partir. Eu que encontrei o corpo dele. Quando chegamos no apartamento, não tínhamos a chave. O apartamento era blindado. A própria empresa que faz a blindagem demora umas 10 horas para abrir. Não tem uma chave-mestra. O segurança achou uma chave e me ligou. O Chorão estava sumido. Todos estavam desesperados. Não dava pra entrar nem por cordinha, porque ele morava na cobertura. Aí conseguimos entrar, segui o caminho da sala para a cozinha. Olhei e vi o Chorão deitado no chão, de bruços, com uma poça de sangue no chão. Não entendi nada, será que ele deu um tiro na cabeça? Foi o que pensei, porque ele tinha arma. Eu sabia que ele não ia fazer isso. Me aproximei, coloquei a mão e ele estava gelado já. Eu falei para o segurança que ele tinha morrido", disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em outro trecho, Atalla afirmou que precisou lidar com polícia, imprensa, IML e com o fato de ele próprio ser acusado de ter fornecido as drogas que foram encontradas com Chorão na ocasião.

"Liguei para o advogado e expliquei a situação. Ele falou para chamar a polícia. Falamos com o delegado, para não precisar chamar o 190. Isso causaria tumulto. Eu disse que trabalhava com o Chorão e falei que ele estava morto no apê, cheio de drogas. Acabou que um policial militar ouviu e chamou a imprensa. Eles ganham por vazar esse tipo de coisa. Isso era 5h da manhã. Estava um tumulto na porta. Veio o IML e levou o corpo embora. Eu não mexi em nada no cenário. Estava cheio de drogas", comentou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - DEN
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por fim, o amigo de Chorão disse que conseguiu explicar que não foi ele quem forneceu as drogas, mas que a situação o abalou muito emocionalmente.

"O delegado disse que poderia ser luta corporal. Eu disse que não matei ele. Só chegamos e o cenário estava daquele jeito. Os filhos da puta do IML têm peso na palavra e chamaram o departamento de homicídios. O delegado era um senhorzinho. Expliquei que ele tinha morrido sozinho. O pessoal da equipe ia fazer uma coleta. Eu precisava dar um depoimento. Fiquei preocupado se precisava chamar meu advogado. Chegamos na delegacia e estava cheio de polícia. Pediram para eu sentar e eu conhecia o advogado. Tinha encontrado ele no mercado outro dia. A situação ficou mais amena. De qualquer forma, não deu em nada. Eles queriam saber de onde vinha a droga. Eu só escutando a conversa. Expliquei que nunca levei droga para ele e não sabia quem levava. Emocionalmente, estava acabado. Mas eu tinha que ficar firme e forte, porque estava como suspeito. Não de ter matado, mas de ter levado drogas. Eu envelheci demais nesses dias", concluiu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Assista ao episódio completo abaixo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze 2024

João Gordo: relembrando quando "cheirou buzina" com Chorão, do Charlie Brown Jr.


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Gustavo Maiato

Jornalista, fotógrafo de shows, youtuber e escritor. Ama todos os subgêneros do rock e do heavy metal na mesma medida que ama escrever sobre isso.
Mais matérias de Gustavo Maiato.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS