Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemO dia que Serguei fez um react do clipe de "Recomeçar", o hit do Restart

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemMetade das pessoas com menos de 23 anos desconhecem Pink Floyd, David Bowie e Bon Jovi

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagem"Metal Tour Of The Year" chega ao fim e Megadeth agradece bandas participantes

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos


Fernanda Lira explica a profunda diferença entre as letras da Crypta e da Nervosa

Por Bruce William
Em 28/04/22

Fernanda Lira (Crypta, ex-Nervosa), esteve no podcast Pré-Amplifica, apresentado por Rafael Bittencourt (Angra). Dentre os diversos temas que foram discutidos, houve a questão da diferença entre as letras da Nervosa e da Crypta:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Na Nervosa eu focava muito na questão social porque o Thrash Metal - apesar das pessoas aparentemente terem esquecido - o Thrash Metal tem essa veia social, essa crítica ali na letra, então era muito confortável pra mim fazer isso porque eu já sou assim por natureza", explica Fernanda a partir das 2 horas e 44 minutos de vídeo. "Daí, pra Crypta eu adaptei, quis trazer mais pra uma questão psicológica, de autoconhecimento, de superar as dores, que são coisas que todos passam em algum nível, principalmente nesta questão da pandemia", completa.

Mais adiante, às 3 horas e 24 minutos de vídeo, Fernanda conta como surgiu a ideia do nome Crypta: "A gente queria um nome curto, curtinho, um nome 'feminino', só que quem cria nome de banda hoje em dia está ferrado porque não tem nada que já não tenham usado", explica, revelando depois alguns nomes que chegaram a pensar: "Saturn, porque eu amo Saturno", conta Fernanda entre risos, admitindo que é um nome que lembra bandas de Stoner Rock. "Eu lembro que Ruína eu achei um nome muito foda, mas tem o In Ruínas brasileiro e acho que tem outra banda brasileira que se chama Ruína".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Prossegue Fernanda: "Mas aí tudo tinha, a gente joga lá no Metal Archives, que é o Google do Metal, mas tem tudo, até Behemoth se você for ver tem cinco Behemoth por lá (risos), e aí mostra quais são ativas quais não são, enfim. Daí a gente não conseguia criar o nome, desencanamos, uma hora vai vir. E aí um dia eu e a Luana, a gente estava na Nervosa ainda, a gente teve um dia de folga numa cidade que chama Brno na República Tcheca, e se eu não estou podre dia de folga é dia de andar, conhecer o local. Essa cidade é famosa porque tem tipo umas criptas, são tipos uns ossários, e nós fomos dar um rolê por lá", relata a vocalista.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nisso ela conta que Luana, num determinado momento, parou e disse "Crypta, cara". Porque a gente tinha ficado naquela se o que estávamos vendo era um ossário ou uma cripta. Bateu. Daí a gente foi lá no Metal Archives e tinha Cripta. Tinha com 'i', tinha 'crypt', e tinha duas bandas chamadas Crypta não ativas, a mais recente terminou em 2011. E a gente certificou, não queria colocar um nome que já estava usado, até por questões legais. E realmente eram bandas que não estavam mais na ativa, a gente foi ver no registro, negócio de patentes, não tinha nada e aí virou Crypta, hoje nominho registrado", finaliza.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Confira os trechos citados acima no vídeo abaixo, trazendo a entrevista completa, com quatro horas de duração.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Vulcane: banda lança single e videoclipe com participação de Fernanda Lira


Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William.