RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagemMax Cavalera escolhe seus álbuns "não metal" preferidos

imagemJoe Satriani revela o guitarrista que ele ouve e diz: "Eu jamais alcançarei isso!"

imagemOzzy Osbourne aparece em público pela primeira vez após anunciar aposentadoria das turnês

imagemManowar no Brasil? Banda posta bandeira brasileira e fãs ficam empolgados

imagemA inesperada opinião de Bell Marques (ex-Chiclete com Banana) sobre o rock progressivo

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemRamones: C.J. conta que Johnny se recusou a visitar Joey em seu leito de morte

imagemThiago Bianchi explica sucessão de problemas durante show de Paul Di'Anno

imagemO dia que João Gordo xingou Ayrton Senna por piloto se recusar a dar entrevista a ele

imagemO clássico da banda Evanescence que a vocalista Amy Lee odiava

imagemA icônica reportagem de Glória Maria em que Raul Seixas disse que foi atropelado por onda

imagemA nostálgica canção de Raul Seixas que propõe abolir a divisão entre o bem e o mal

imagemZakk Wylde tira o corpo fora ao ser questionado sobre cancelamento de shows do Pantera

imagemSlipknot lança novo single, "Bone Church", e também vídeo de "Yen" em versão Director's Cut


Stamp

Bob Dylan se justifica pela venda de livros com autógrafo fake por R$3 mil

Por André Garcia
Postado em 29 de novembro de 2022

Aos 81 anos de idade, Bob Dylan protagonizou uma das polêmicas do ano com o recente lançamento de seu novo livro, The Philosophy of Modern Song. Uma edição limitada foi vendida prometendo 900 exemplares autografados pelo autor. Os compradores, entretanto, se sentiram enganados por terem desembolsado $600 (cerca de R$3 mil) e recebido o livro com uma assinatura digitalizada e impressa.

Foto: William Claxton - Sony Music
Foto: William Claxton - Sony Music

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Conforme publicado pela Ultimate Classic Rock, ficar com fama de pilantra na internet deve tê-lo incomodado. Afinal de contas, o cantor para justificar o ocorrido fez algo para ele raro: emitir um comunicado através de suas redes sociais.

"Chegou a meu conhecimento a polêmica sobre os exemplares autografados da edição limitada de Philosophy of Modern Song. Eu assinei à mão cada publicação ao longo dos anos, isso nunca foi problema."

"Entretanto, em 2019 eu tive um quadro grave de vertigem, que se estendeu pelos anos de pandemia. Requer uma equipe de cinco pessoas trabalhando juntas para me ajudar a fazer essas sessões de assinaturas, e não conseguimos encontrar uma forma de trabalho segura para completar minha tarefa, já que o vírus estava fora de controle. Por isso, durante a pandemia, foi impossível assinar qualquer coisa — e a vertigem não ajudou. Com os prazos contratuais findando, a ideia do uso do autopen me foi sugerida, com a garantia de que aquilo era feito 'o tempo todo' no mundo da arte e literatura."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"O uso de máquina foi um erro de julgamento que quero sanar imediatamente. Estou trabalhando junto à [editora] Simon & Schuster e meus parceiros de galeria para isso."

"Com meu mais profundo pesar, Bob Dylan."

Lançado no último dia 1 de novembro, The Philosophy of Modern Song passou 12 anos em produção, e é composto por 66 ensaios sobre música.

Bob Dylan

Considerado um dos maiores artistas vivos, iniciou sua carreira musical aos 19 anos, em 1960, quando se mudou para Nova Iorque. Na efervescente cena folk de Greenwich Village ele ganhou notoriedade interpretando clássicos do gênero, lançando seu álbum de estreia, autointitulado, em 62.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nos anos seguintes, ficou famoso por seus álbuns de protesto e por canções instantaneamente reconhecidas como verdadeiros hinos. Logo, as massas o consideraram o porta-voz de sua geração, mas a messiânica adulação veio acompanhada de algo que fez com que ele renunciasse a tudo aquilo: expectativas alheias que o restringiam criativamente.

Em 1965, pela primeira vez ele chocou aos fãs com uma inesperada metamorfose — o violão e as canções de protesto deram lugar à guitarra e fluxos de consciência inspirados em poetas beatniks. Após um acidente motociclístico quase fatal em 66, terminou a década em reclusão.

Nos anos 70, voltou a emplacar álbuns reconhecidos como obras-primas, como "Blood on the Tracks" (1975). Além disso, o trovador americano seguiu mudando de estilo musical (e até mesmo de personalidade) como uma cobra troca de pele. Um ótimo exemplo disso foi sua fase cristã em 1979.

Dali em diante, seguiu por rumos mais cult que mainstream, com constantes lançamentos e turnês. Com o passar do tempo, ele investiu também na carreira literária, que o rendeu o Nobel de Literatura em 2016. Sua publicação mais recente, The Philosophy of Modern Song, foi seu primeiro livro desde 2004. Já na música seu trabalho mais recente é o álbum "Rough and Rowdy Ways" (2020).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Exilio Angel

Rolling Stone: lista das melhores músicas sobre sangue


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre André Garcia

Sou redator e tradutor freelancer e escritor, autor do livro de contos Liber IMP. Ouço rock desde pequeno, leio coisas sobre bandas desde sempre e escrevo sobre ela já tem anos. Cresci como fã de Iron Maiden e paladino do rock, mas já me tratei. Hoje sou fã de nomes como Beatles, David Bowie, The Cure, Kraftwerk e Velvet Underground, e de cenas como a Londres psicodélica, a Nova Iorque proto-punk e a Manchester pós-punk. Escrevo notas e notícias rápidas para o Whiplash.Net visando compartilhar conteúdo relevante sobre música e cultura pop.
Mais matérias de André Garcia.