As regras do Power Metal - Parte I

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Flávio Bonfiglio
Enviar correções  |  Comentários  | 









Não basta apenas uma promo picture com roupas de seda e espadas para fazer uma banda de power metal. Descubra nesta esclarecedora matéria tudo o que você precisa fazer para ser um fã épico. Adaptação livre do texto “101 rules of Power Metal” da www.metalstorm.ee para português.

Leia a segunda parte desta matéria no link abaixo:
5000 acessosAs regras do Power Metal - Parte II

1. Você tem um objetivo: ser épico.

2. Não deixe nenhum som isolado. Se há um solo de guitarra, harmonize-o. Se há uma linha vocal, faça dela um coro.

3. Teclados são uma ótima maneira de adicionar milhares de texturas diferentes em uma canção. Encontre duas dessas que você goste e insira em qualquer canção que você componha.

4. No mundo power metal, qualquer coisa “do aço” é boa, e qualquer coisa boa deve ser comparada ao aço.

5. Você não necessariamente precisa cantar letras sobre Satã, o mal, e/ou trevas.

6. Você PRECISA cantar letras sobre dragões, liberdade e/ou power metal.

7. Lembra que nenhum som deve ficar isolado? O mesmo vale para os álbuns. Tudo pode ter uma sequência!

8. Lhe é permitido o direito de ser loiro.

9. Espadas aumentam sua credibilidade e sua performance. Certifique-se de carregar uma com você não importando se você sabe usá-la ou não.

10. Escolha um tema e nunca mais largue-o. Manowar são guerreiros do True Metal e eles não cantam sobre mais absolutamente nada. Rhapsody tem suas crônicas de Algalord. Hammerfall têm seu aço, seus martelos e seus templários. Running Wild tem piratas. Blind Guardian tem Tolkien. A nenhum deles é concedido o direito de cantar sobre outra coisa a mais.

11. Se você quer cantar sobre outras coisas, invente um projeto paralelo. Avantasia é o modelo perfeito.

12. Baladas são permitidas.

13. Isso não significa que suas baladas tenham que ser uma porcaria

14. Quanto mais demorada a música, mais épica. Ver regra #1

15. Mais solos significa mais épico

16. Se possível, seja Michael Kiske

17. Se isso não for possível, finja ser Michael Kiske.

18. A capa do seu álbum deve conter pelo menos um dos seguintes elementos: fogo, aço, itens mágicos estranhos com brilhinhos, homens musculosamente deformados, punhos erguidos no ar, cutelaria, criaturas mágicas (de preferência dragões) ou raios brilhantes de luz em volta de alguém/algo.

19. ‘Grim’ e ‘necro’ não aplicam-se aqui; eles apenas fazem você parecer ridículo. Agora vá imediatamente cantar sua canção de 20 minutos sobre matança de dragões!

20. Power metal depende de power chords.

21. décimas-sextas são as únicas notas.

22. A não ser que você esteja cantando, não lhe é permitido o direito de segurar uma nota por mais de 0,3 segundos.

23. Teclados têm solos, também.

24. Se você não pode de jeito nenhum ser como Michael Kiske, pelo menos que seja como o Timo Tolkki.

25. Pensando bem, não seja como o Timo Tolkki.

26. Caso você ainda não tenha percebido, “sinfônico” é sinônimo de “épico”. Ver regra #1.

27. Só porque outras 300 bandas já fizeram algo “épico” antes de você, sempre há lugar pra mais um.

28. Faixas vêm em dois ritmos: metal e baladas.

29. vocês são oficialmente o único grupo de pessoas que podem se auto-proclamar “poderosos” sem ser (muito) ridicularizados.

30. A massa tem que cantar junto. Faça refrões pegajosos.

31. Cante em Inglês, embora sua base de fãs seja composta basicamente de brasileiros, alemães, japoneses, suécos e finlandeses. Ver regra #30: Se não for pegajoso, fica difícil de cantar em uma língua que não seja sua língua nativa.

32. Toque no maior número de bandas possível. Mais projetos paralelos e mais participações especiais significam mais épico!

33. Calças apertadas.

34. Você não precisa desafinar suas guitarras.

35. Embora você tenha que mudá-las e ajustá-las bastante.

36. Infelizmente, você precisa em sua banda de no mínimo dois guitarristas. Afinal como você acha que serão realizados aqueles duelos de solos de guitarra poderosos?!?!

37. Teclados podem substituir um guitarrista, enquanto puderem ser realizados solos.

38. Felizmente, você não precisa de um baixista! Ou pelo menos você não precisa usar o mesmo baixista duas vezes.

39. Comece todas as suas músicas com um longo acorde no teclado.

40. Violões acústicos são permitidos, às vezes.

41. Não é uma turnê! É uma cruzada!

42. Sobreponha suas linhas vocais, centenas sobre centenas de vezes. Não se preocupe quando for cantá-las ao vivo.

43. Nunca use palavras comuns em suas músicas. Nada é épico o suficiente se você não usar palavras como “majesty,” “glorious,” “magical,” e por aí vai.

44. Magos! Você precisa de magos!

45. Embora sua vestimenta não exija corpse paint, requere-se uma capa, um monte de jóias e as já mencionadas espadas.

46. A não ser que vocês sejam o Manowar. Nesse caso vocês são muito poderosos para usar roupas.

47. Pensando bem, não sejam o Manowar.

48. Use armadura sempre que possível. Hammerfall dá uma boa idéia de modelos de armaduras aceitáveis, desde couro endurecido até cotas de malha.

49. As faixas não começam à toda velocidade. Vá aumentando aos pouquinhos até chegar a um estado de loucura épica.

50. Hail true metal!

51. Violões acústicos são usados para introduções e pontes. Após isso esmague-os com aço mágico.

52. Calças. Apertadas. Épicas.

53. Vocais agudos são vocais épicos. Vocalistas mulheres são ótimas pra isso.

54. Portanto vocalistas homens devem cantar como vocalistas mulheres. Ver regra #52.

55. Guerreiros True conseguem distinguir a diferença entre os álbuns.

56. Álbuns conceituais são totalmente épicos!. Ninguém nem sonha fazer isso.

57. Notas no encarte devem incluir histórias e relatos, podem ser da sua demanda épica sobre os dragões do mal ou sobre o seu duelo épico contra o alcoolismo enquanto você estava produzindo o CD.

58. Drogas não são metal.

59. Já cerveja pode ser inserida e servida de todos os meios true metal.

60. “Flagons of ale.” Serve bem para título das suas letras sobre histórias fantásticas, é é quase igual a “dragons,” então fica melhor ainda.

61. Já que você não pode usar de grunhidos, urros, arrotos e outros recursos vindo dos Trolls, você vai ter que cantar.

62. Por causa disso, seu sotaque será evidenciado.

63. Pra compensar, faça músicas sobre matar Trolls, de preferência com aquelas espadas que você carrega no palco.

64. Mais continuações = mais épico. Ver regra #7.

65. Vocalistas convidados, guitarristas convidados e qualquer outra participação especial de fora da sua banda faz a música soar mais épica, mesmo que a faixa seja exatamente igual às outras músicas com um solo de guitarra a mais.

666. Norsk Arysk Blak Metal! Rahhh!!!

67. Começe as músicas em mid-tempo e então, quando os ouvintes menos esperarem (coincidentemente no exato momento de todas as suas músicas) Atinja máxima velocidade com bumbo duplo e power chords.

68. Baixistas, um recado: Velocidade total!

69. Mas inclua uma linha enorme e incrível de baixo para preenchimento, Embora toda a produção sobrecarregue tanto a música que outras pessoas vão esqueçer que a banda possui um baixista.

70. Só porque você não toca Black Metal, não significa que você não pode usar Tolkien

71. Quando as idéias acabarem, abra seu livro de Dungeons & Dragons, de repente vocês são a primeira banda a falar sobre Owlbears e Kobolds.

72. Nunca saia da Europa.

73. Devido à regra #72, Japão pode ser considerado parte da Europa .

74. Oh, e a América do Sul foi colonizada por europeus, então pode ser contada como Europa também.

75. Orquestras são um ótimo artifício para seu disco. Já que você não tem dinheiro para contratar uma, procure por novos cartuchos para seu teclado.

76. Se o seu disco ao vivo não possui o povo cantando junto todas as partes harmonizadas, você não é épico o suficiente para ser digno de um disco ao vivo.

77. Se você for Europeu, use o máximo de palavras arcaicas possíveis nas suas letras! Incompreensão é épico!

78. Se você é Sul Americano, suas letras devem seguir um Inglês mais padrão, embora ninguém vai dar bola pra elas.

79. Se você é Americano dos Estados Unidos, você provavelmente não é uma banda de Power Metal de verdade. Cante letras sobre tanques, guerras, essas coisas...

80. Se você é Italiano, escreva algumas letras em Latim. Seus fãs Americanos não vão conseguir distinguir suas letras italianas e suas letras em latim, mas Latim é épico

81. Lembre-se, barbear-se é épico, cortar o cabelo não.

82. Álbuns inteiros devem ser gravados no mesmo padrão musical.

83. Tendo isso em vista, carreiras inteiras devem ser gravadas no mesmo padrão musical

84. Guitarristas, lembrem-se: dun da-da dun da-da dun da-da…

85. Faça o logotipo da sua banda bastante angular, porém perfeitamente legível

86. Mais do que um Logotipo, você precisa de um Mascote.

87. Ele não precisa ser muito diferente do Eddie, mas ele não precisa aparecer em todas as capas dos seus discos.

88. No seu primeiro show, se você sentir uma “força mística poderosa interior”, tome cuidado para não respingar no público.

89. Grave todas as suas melhores músicas em formato acústico e venda em um EP.

90. Não espere que alguém vá comprar seu EP.

91. Lembre-se, fãs de Power Metal não são gays. São pessoas completamente confortáveis com sua masculinidade.

92. Cantarole.

93. Não seja pego cantarolando.

94. Glitter não é épico.

95. Nem óleo corporal. Ver regra #47.

96. Se você ver algum fã de Black Metal no mato fingindo ser um Troll, ver regra #9 e a regra #63.

97. Nas suas notas de encarte, faça agradecimentos a absolutamente todos que fizeram turnê com a sua banda, mesmo que entre eles inclua-se Stratovarius.

98. Reclame todo o tempo do Stratovarius, embora você possua todos os itens possíveis deles e que você os escute mais do que qualquer coisa na sua coleção.

99. Power Metal deve ser puro, não misture com outros estilos de metal.

100. Repita: Ser épico.

101. Na regra #52 já tinha acabado minhas idéias de coisas engraçadas para pôr aqui, mas achei que menos do que 101 regras não seria tão épico.

Leia a segunda parte desta matéria no link abaixo:
5000 acessosAs regras do Power Metal - Parte II

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

5000 acessosAs regras do Black Metal5000 acessosAs regras do Power Metal - Parte II5000 acessosAs regras do Prog Metal5000 acessosAs regras do Thrash Metal5000 acessosAs regras do Viking Metal5000 acessosAs regras do Death Metal5000 acessosAs regras da NWOBHM5000 acessosAs regras do New Metal/Nu-metal5000 acessosAs regras do Punk Rock5000 acessosAs regras do Metal Neoclássico5000 acessosAs regras do Gothic Metal3226 acessosAs 100 regras do Metaleiro Hipster4417 acessosAs 101 Regras do Metaleiro Elitista

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

0 acessosTodas as matérias da seção Humor

As I Lay DyingAs I Lay Dying
Banda cristã comenta proximidade com o Behemoth

Guns N RosesGuns N' Roses
Transtorno bipolar, a doença de Axl Rose

Heavy MetalHeavy Metal
Estressante, perturbador e faz mal ao coração

5000 acessosStephanie Seymour: ex de Axl Rose mostra ótima forma aos 445000 acessosO tempo não para: fotos do antes e depois de alguns rockstars5000 acessosMetallica: garoto de 10 anos destrói com Enter Sandman em programa de TV5000 acessosLoudwire: as dez melhores faixas Metal de 2013 na escolha do site4204 acessosDr. Sin: a crise do rock nacional5000 acessosSepultura: Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 15 de outubro de 2012
Post de 26 de março de 2013
Post de 09 de julho de 2014
Post de 09 de agosto de 2015
Post de 06 de janeiro de 2017


Sobre Flávio Bonfiglio

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Flávio Bonfiglio no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online