Maximum Rocknroll: entrevista com a editora Grace Ambrose

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Rafael Fioravanti, Fonte: Bolha Musical
Enviar correções  |  Comentários  | 

A Maximum Rocknroll (abreviada para MRR) é uma revista mensal fundada em 1982, na cidade de San Francisco, nos Estados Unidos. Seu fundador Tim Yohannan sempre se dedicou à ética DIY do movimento e sempre fez questão de deixá-la visivelmente impressa nas páginas da revista. A Maximum Rocknroll é conhecida por focar unicamente no cenário independente, com foco na música punk e hardcore. Apesar da morte de Tim Yohannan em abril de 1998, a Maximum Rocknroll continua na ativa através do trabalho de seus voluntários, amplamente conhecidos como "shitworkers". A vontade do pessoal do Bolha Musical é de trazer ainda mais detalhes dessa revista para os fãs brasileiros, e, para isso, o jornalista musical Rafael Fioravanti foi conversar com Grace Ambrose, a atual editora da Maximum Rocknroll.

5000 acessosKiko Loureiro: tocando Iron Maiden com garotas do Iron Maidens5000 acessosEdu Falaschi: fax com convite de seleção para o Iron Maiden

Bolha Musical: Grace, como você faz a seleção de notícias que serão publicadas na Maximum Rocknroll?

Grace Ambrose: Todo mês a gente tenta equilibrar o conteúdo. Isso significa que a gente quer incluir bandas de diferentes países e gêneros, e, inclusive, bandas que representam identidades raciais e de gênero. Eu sempre digo que se existir uma edição da Maximum Rocknroll onde eu seja fã de todas as bandas, essa edição muito provavelmente será uma edição falida! É importante pra caramba que a MRR represente variadas facetas do que significa ser punk, e não apenas o que é relevante na minha vida. Se a gente puder, a gente gosta de ajudar bandas publicando material em períodos de lançamento de novo disco ou turnê, mas isso não é uma exigência.

Bolha Musical: Qual a circulação da Maximum Rocknroll em números nos dias de hoje?

Grace Ambrose: A gente prensa 4,000 cópias da revista. É claro que o número caiu em relação ao período clássico da revista, mas vale dizer também que o número aumentou em relação ao ano anterior. A gente também vende bastante cópias digitais (mas o número eu não tenho em mãos agora).

Bolha Musical: Qual o tamanho da equipe da Maximum Rocknroll atualmente (com todas as pessoas incluídas)?

Grace Ambrose: Existem, ao menos, 100 pessoas envolvidas na produção de cada edição da revista. Alguns deles (críticos, colunistas, revisores, distribuidores) ajudam todos os meses; outros contribuem apenas uma ou duas vezes ao ano. No decorrer do ano, pelo menos 700 punks diferentes de todo o mundo estão envolvidos na produção da Maximum Rocknroll.

Bolha Musical: Grace, fale para mim: o que você sabe a respeito da cena punk/hardcore aqui no Brasil?

Grace Ambrose: Eu tenho vários penpals no Brasil que me deixam a par das coisas que estão ocorrendo no país. E claro, eu gosto das bandas clássicas, como Olho Seco, Cólera, Mercenárias, Inocentes, e Ratos de Porão. Eu acho que o Mateus, do Nada Nada, fez um excelente trabalho ao disponibilizar o velho punk Brasileiro para um número maior de pessoas. Eu compraria qualquer coisa que ele lançasse.

Para continuar lendo esta entrevista, acesse www.bolhamusical.com

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas

Kiko LoureiroKiko Loureiro
Tocando Iron Maiden com garotas do Iron Maidens

Edu FalaschiEdu Falaschi
O fax com convite de seleção para o Iron Maiden

OasisOasis
Noel Gallagher acusa Green Day de plagiar "Wonderwall"

5000 acessosDavid Bowie: muito mais assustador que Michael Jackson5000 acessosGuns N' Roses: o melhor solo de guitarra da história5000 acessosAll Star: Converse lança tênis com pedal wah-wah embutido5000 acessosKiss: o Brasil acreditava que a banda matava pintinhos nos shows5000 acessosRock In Rio 1991: 10 curiosidades sobre a 2ª edição do evento5000 acessosMotorhead: os cinco piores álbuns segundo a Decibel Magazine

Sobre Rafael Fioravanti

Rafael Fioravanti (também conhecido como Paquela) é jornalista graduado pelo Mackenzie, escritor e músico. Seus trabalhos como jornalista são mais voltados à música e à literatura. Como escritor, Rafael é autor do livro "Raízes da Cosmovisão". Já como músico, ele tem um projeto-solo chamado "Paquela" (onde ele compõe e toca todos os instrumentos) e é baixista/vocalista da banda Frente Niilista. Atualmente, o jornalista reside na cidade de SP.

Mais matérias de Rafael Fioravanti no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online