Destruction: "Não estamos copiando nossos trabalhos antigos"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ferrr Barone, Fonte: Guitar World, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Aniruddh "Andrew" Bansal, da GuitarWorld.com, recentemente conduziu uma entrevista com o vocalista/baixista Marcel "Schmier" Schirmer, dos veteranos alemães da banda thrash DESTRUCTION. Leia trechos que se seguem:

5000 acessosCretin: transexual rompe barreiras no metal extremo5000 acessosBayley, Wilson e Cherone: grandes erros na história de grandes bandas

GuitarWorld.com: Seu novo álbum, "Spiritual Genocide", saiu na América do Norte em fevereiro, mas já está disponível na Europa desde novembro de 2012. Qual foi a razão do atraso no lançamento americano?

Schmier: Se eu fosse a gravadora, teria lançado ao mesmo tempo, mas isso não nos diz respeito. Acho que a razão foi por dezembro não ser um mês para lançamentos de heavy metal, então o selo disse que não havia chance de lançar o álbum naquele mês. Então passamos para janeiro. Mas tivemos que esperar até que a Nuclear Blast encontrasse uma nova distribuidora na América. Por isso houve um atraso de três meses na América em comparação com a Europa, o que é meio ruim, mas não houve nada que pudéssemos fazer. Tudo o que pudemos foi adicionar algumas faixas bônus. Temos quatro faixas adicionais só para a América.


GuitarWorld.com: Eu ia te perguntar sobre as bonus tracks. são quatro regravações do álbum Metal Discharge, certo? Por quê vocês escolheram músicas desse álbum em particular?

Schmier: Elas não são nem regravadas, mas versões remixadas, na verdade. O Metal Discharge é um álbum legal, mas não tem o melhor som. Tentamos fazê-lo soar como um álbum 'de volta às raízes', mas não funcionou tão bem assim. O som da bateria é péssimo nesse álbum. Então foi meio que uma coisa boa para nós mostrar ao mundo que o Metal Discharge tem músicas legais se elas soarem direito, por isso pegamos músicas desse álbum. Elas foram remixadas, e como você pode ver, funcionou muito bem se você compará-las às originais. Elas simplesmente soam muito melhor.

GuitarWorld.com: Você diria que o álbum é mais atmosférico e sombrio do que alguns dos mais recentes?

Schmier: Possivelmente. É meio difícil pra mim dizer isso, criticar meu próprio trabalho. Acho que o álbum novo é rápido e ritmado, mas também oferece variedade. Se você gosta só de thrash, é claro que você está se limitando em sua fantasia thrash. Nenhuma das músicas desse novo álbum tem o mesmo tempo. Todas elas tem raízes e velocidade diferentes, então a variedade no álbum também o torna um pouco mais obscuro. Não é um álbum lento, só existe mais variedade nele. Alguns dos álbuns que fizemos no meio dos anos 2000 eram lentos. Esse tem partes ultra rápidas também.

GuitarWorld.com: Seu objetivo era fazer um álbum mais variado, com algo além de apenas thrash, ou isso foi algo que saiu naturalmente quando vocês começaram a escrever?

Schmier: Quando você começa a escrever, é claro que já sabe qual estilo quer e onde quer levá-lo. Como músico, você sempre quer criar algo novo, sabe. Senão você será criticado por se repetir. Com esse novo álbum não estamos apenas copiando nossos trabalhos antigos ou o trabalho de outras bandas de thrash. Há um monte de ideias novas, e estou orgulhoso de ainda podermos vir com isso após todos esses anos. É fácil escrever um álbum brutal, mas é muito difícil escreve um álbum brutal que tenha variedade e estilo nas músicas.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Destruction"

Metal HeavyMetal Heavy
10 clássicos para entender o Thrash Metal

Top 10Top 10
Os mais influentes álbuns de Thrash Metal

MetalMetal
Dez álbuns provam que 1986 foi o ano do Thrash

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Destruction"

CretinCretin
Transexual rompe barreiras no metal extremo

VocalistasVocalistas
Três grandes erros na história de três grandes bandas

HistóricasHistóricas
Fotos de encontros inusitados entre rockstars

5000 acessosSarcófago: Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito mais5000 acessosA História Impopular dos Rolling Stones - Livro 1 - Brian Jones5000 acessosContra-baixo: as melhores introduções do Heavy Metal5000 acessosLed Zeppelin: as misteriosas viagens à Índia2510 acessosChristiane F.: dezenove anos, gravada e produzida5000 acessosPearl Jam: Loudwire escolhe as dez melhores músicas

Sobre Ferrr Barone

Fernanda é jornalista, professora de inglês e amante de música. Começou a ouvir metal desde pequena, mas aos 11 anos se dirigiu mais ao estilo ouvindo Avantasia, Angra e Nightwish. Decidiu cantar sob a influência de Tarja Turunen. Estudou canto lírico e agora estuda belting. Já teve uma banda (que não deu certo). Ama escrever, ir a shows e ver filmes. É atualmente uma das mantenedoras do site FlooRocks, o fã-clube da Floor Jansen no Brasil.

Mais matérias de Ferrr Barone no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online