Sebastian Bach: músicas, álcool e Skid Row

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Portelada, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O ex-vocalista do SKID ROW, Sebastian Bach, foi entrevistado na última sexta, dia 23, pelo programa de rádio "Friday Night Rocks", em Nova York. Alguns trechos dessa conversa podem ser vistos abaixo, traduzidos da transcrição feita pelo Blabbermouth.net

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre sua alegação no Twitter, que ele estava em estúdio gravando um "projeto ultra secreto que revolucionaria a música popular como a conhecemos":

Bach: "Sabe o que é engraçado? Nós entramos nesta nova forma de mídia onde os sites fazem reportagens sobre tweets. Eu uso o twitter o dia todo e gosto de brincar com as pessoas. Eu sento lá entediado. Mais ou menos assim (faz ruídos de ronco)."

"Estou trabalhando em algo. Eu estou trabalhando em dois projetos, mas não posso lhe falar sobre eles ainda, o que é uma droga. Nós temos que esperar até essa semana, então tudo vai ser anunciado. Ambos são coisas minhas e adicionadas ao meu catálogo, mas uma delas é totalmente nova. Eu não posso lhe dizer o que é. É chato que eu não possa falar sobre isso [...]."

Sobre seu trabalho atual:

Bach: "Essa semana eu vou anunciar dois projetos gigantescos, e tenho um contrato de gravação na mesa da Frontiers (eles acabaram de me dizer). 'Só nos entregue algo com 13 músicas que você goste', mas eu sou super crítico com qualquer coisa que contenha meu nome e tudo tem que ser espetacular."

"Meu próximo disco com certeza vai ser um disco solo."

Sobre sua sobriedade:

"Eu estou sóbrio há 17 dias seguidos. Tive um deslize, e antes desse deslize eu estava sóbrio há 10 dias. Então é como se eu estivesse sóbrio há 27 dias com um pequeno deslize."

"Estou em festas por minha vida inteira e algumas coisas aconteceram que realmente me chocaram. Duas especificamente. O baterista de minha banda solo, Mark 'Bam Bam' McConell morreu com... ele não tinha nem 50 anos. Ele foi o melhor amigo de bebedeiras da minha vida."

"Eu entrei na banda MADAM X quando eu tinha 17, e ele só era 5 anos mais velho do que eu."

"Quando eu estava na MADAM X, eu vim de uma banda de Toronto chamada KID WIKKID. Eu bebia só cerveja nessa época. Bebia cerveja normalmente. Então eu entrei na MADAM X e comecei a andar com Mark, e virou nossa rotina após cada ensaio, cada show ou ao final de cada dia, nós bebíamos toneladas de cerveja. E era divertido. E todos faziam isso. Estamos falando de 1985 ou 1986. Esta era nossa cena, era o que fazíamos, e eu era muito novo e nunca conheci outro modo de vida. Nós fazíamos um show, enchíamos a cara e rumávamos para a próxima cidade e acordávamos para fazer tudo de novo. Fizemos isso por anos. E claro, com o SKID ROW, nós fizemos turnês com o PANTERA, estávamos com eles em sua primeira turnê, e o GUNS N' ROSES, e o MÖTLEY CRUE e o AEROSMITH e o BOM JOVI. todas essas bandas sabiam como se divertir."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Eu toquei com Mark por anos, mas não podíamos ficar juntos, porque ele estava levando tudo longe demais."

"Eu nunca fiz um show bêbado. Eu nunca tomei um gole de álcool antes de subir no palco. Sempre fui sóbrio, porque aquilo significava tudo para mim e eu queria ser o melhor possível, mas após o show eu sempre compensava."

"Então ele estava triste porque paramos de tocar juntos, e estava no meu Facebook dizendo: 'Hey, Baz, ouvi que você estava tentando parar de beber. Eu sei que é difícil, mas segura firme, você consegue.' E então do nada recebi uma ligação avisando que ele estava em um hospital. Os médicos afirmaram que ele só tinha alguns dias de vida, que seus órgãos estavam falhando. Dois dias depois ele faleceu."

"O Rock and Roll deve ser divertido, e há tantos artistas que morreram por excesso de álcool, como Amy Winehouse, Jani Lane, Shannon Hoon... Eu só quero ser feliz e fazer rock."

"Ainda mais pesado para mim do que estes outros músicos é essa garota que eu realmente gosto. Eu sou um cara bem grande e ela sempre se assusta quando bebo. Ela diz que sou muito expansivo e tem medo que eu entre em uma briga, em um acidente de carro e acabe na cadeia. Ela diz que eu posso ser assim ou ficar com ela sem fazer isso. Escolho a segunda opção."

Sobre sua reunião com o Skid Row, que ainda não aconteceu:

Bach: "Tem só um cara desses cinco que não quer que aconteça. Bem simples. É isso que está acontecendo."

"Eu sempre serei o vocalista do SKID ROW, não importa o que aconteça. Não há como ser outro cara. É como John Corabi (que brevemente esteve no MÖTLEY CRUE como substituto de Vince Neil nos anos 1990). Eu o adoro, ele é ótimo, mas onde está Vince? Quero dizer, é assim que as coisas são. [...]"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Sebastian Bach"Todas as matérias sobre "Skid Row"


Megadeth: fã trolla Dave Mustaine e Sebastian Bach entra na zoeiraMegadeth
Fã trolla Dave Mustaine e Sebastian Bach entra na zoeira

Separados no nascimento: Sebastian Bach e Fernanda LimaSeparados no nascimento
Sebastian Bach e Fernanda Lima


Nicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles PriesterNicko McBrain
Pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester

Mötley Crüe: a ousada tattoo de modelo paulista em tributo à bandaMötley Crüe
A ousada tattoo de modelo paulista em tributo à banda


Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280