Corey Taylor: a tecnologia está arruinando demais a música

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fabio Outsid3r, Fonte: Bloody Disgusting, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Jonathan Barkan do Bloody Disgusting recentemente conduziu uma entrevista com Corey Taylor (SLIPKNOT, STONE SOUR). Conferimos alguns trechos do bate-papo a seguir:

932 acessosSlipknot: novo vídeo do doc que chega aos cinemas em Setembro5000 acessosIron Maiden: a fotografia de "The Final Frontier"

Blood Disgusting: Qual é a sua opinião sobre os estilos de música de hoje comparados com os estilos de 5 anos atrás, 10 anos atrás, talvez até antes disso?

Corey: É meio que deprimente, cara. (Risos) Realmente é. Tem tantas coisas que perderam o sentido nos dias de hoje. É como se fosse um cruzamento estranho entre os anos 60 e 80. Era como os singles que eram sucesso nos anos 60. E então toda a música pop realmente estranha, ruim e forçada dos anos 80. Então agora temos pessoas que realmente não tem habilidades, porque a tecnologia as esconde, indo e lançando estes singles ruins no mercado, e porque isto é tudo que é, as pessoas basicamente comem como se fossem hamburgueres. Tornando muito, muito comercializado. O que não me chatearia tanto se as pessoas realmente tivessem talento. Quando eu ouço algo e a primeira impressão é que se tornou uma porcaria, eu desligo e jogo fora pela janela do meu carro. Como se fosse algo bem ofensivo pra mim. Eu estava tendo uma conversa na noite passada porque estava passando o Grammy, e eu falei que 3 de 4 pessoas indicadas eram todos artistas auto-sintonizados. A esta altura do campeonato, você jamais deveria ser autorizado a ser indicado para nada que tivesse uma categoria de voz. Você deveria ser indicado para uma categoria instrumental porque o computador fez todo o trabalho pra você. Se você soa mais como um teclado do que um ser humano, você não deveria ser autorizado a sair com um daqueles troféus por aí. É claro, eu estou na minoria quando se trata disso, o que me deixa ainda mais puto.


Bloody Disgusting: Então, você acha que a geração jovem de hoje é preguiçosa ou facilmente persuadida e como você acha que isto prenuncia o futuro da indústria musical e o futuro da música propriamente dita?

Corey: Acho que sempre haverá metade da geração que é preguiçosa. Mas eu acho que isto faz da outra metade trabalhar ainda mais duro. Eu acho que esta geração que está crescendo realmente curtindo esta música pop será o mesmo que estas pessoas que cresceram ouvindo Rick Astley. Se tornando decorativo, até onde a música pode ir. Mas eu acho que a tecnologia está arruinando demais a música, está criando uma geração que está indo completamente 180 (graus) disto. Eu acho que geração faminta destruirá completamente qualquer pensamento de tentar isso. Eu acho que nós teremos mais rock'n'roll feito em casa vindo por aí. Eu estou pulando entre o pop auto-sintonizado e todos estas malditas bandas indies hipsters que estão em todo comercial, isto é deprimente na música agora. Mas eu acho que é, tipo, como eu. Quando eu estava crescendo nos anos 80, muito desta merda pop era exatamente tipo, "O que é isso?" E então eu encontrava minha música na cena thrash, na cena hardcore punk, então eu tinha todo este ambiente que me impelia a querer fazer este tipo de música que eu faço hoje. Então eu acho que metade da geração virá à superfície nos próximos 5 anos.

Bloody Disgusting: Então como o trabalho que você tem feito com SLIPKNOT e STONE SOUR reflete o que a música significa para você?

Corey: Eu acho que reflete no fato de que eu ainda posso fazê-la. Se eu tocar uma nota errada, você vai ouví-la. Eu estou realmente muito orgulhoso do fato de que em qualquer lugar, em qualquer hora, eu posso fazer música. Muitas pessoas não podem fazer isso. Eu acabei de voltar de uma tournê onde era basicamente só eu e minha guitarra, e se eu fizesse merda, eu saberia completamente. E eu deixaria o público saber. Eu acho que o lado humano é refletido na música que eu faço, com ambos SLIPKNOT e STONE SOUR. Eu tenho que ter isto. Para todas as máquinas que existem por aí, você tem que ter uma alma. Você tem que ter um lugar para voltar. E eu sei que existem muitas bandas de metal que usam tecnologia para esconder merdas porque 9 entre 10 vezes você não pode distinguir uma banda de outra por causa da mixagem, pela maneira de como a bateria está sendo mostrada, pela maneira como o som da guitarra está sendo montado. Então eu sei que é um problema que realmente infecta toda face da indústria. Mas para cada 9 destas bandas, existe uma banda como o SLIPKNOT e o STONE SOUR que realmente tenta ficar fora disso. Se funciona, funciona, se não funciona, não funciona. Então para mim, a maneira que eu faço música é apenas a reflexão de como eu penso que a música deveria ser feita. Onde você senta num estúdio, e você faz música, e você usa tecnologia a seu favor, não para esconder os erros brilhantes.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 20 de novembro de 2012

SlipknotSlipknot
Novo vídeo do documentário que chega aos cinemas em Setembro

368 acessosCorey Taylor: versões acústicas na rádio WAAF de Boston540 acessosSlipknot: Jon Sudano "melhora" a música com letra do Shrek0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Slipknot"

SlipknotSlipknot
A banda é satânica? O que diz Corey Taylor?

MetallicaMetallica
"Eles eram bons em tudo", diz Corey Taylor

SlipknotSlipknot
Mick Thomson: "Nós não iremos nos repetir como artistas!"

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Slipknot"0 acessosTodas as matérias sobre "Stone Sour"

Iron MaidenIron Maiden
A fotografia estranha de "The Final Frontier"

Para tocarPara tocar
O que são tablaturas e como usá-las?

GuitarristasGuitarristas
Os 10 maiores dos anos 80 segundo a revista Fuzz

5000 acessosSexo e Satã: as mensagens subliminares em capas de Rock / Metal5000 acessosAC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de Angus5000 acessosAs regras do Metal Neoclássico5000 acessosO peso da emoção: a trajetória de Blaze Bayley5000 acessos30 Seconds To Mars: Jared Leto comenta sobre o Coringa de Heath Ledger5000 acessosMetallica: Newsted arrebenta nos vocais de Creeping Death em 1992

Sobre Fabio Outsid3r

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online