Germ: além do Black Metal experimental

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Franceschini, Fonte: Blog Arte Metal
Enviar correções  |  Comentários  | 

No Metal o experimental nunca foi bem quisto, raras são as exceções. O músico profissional Tim (Austere, Grey Waters, Woods of Desolation, Nazxul, etc) consegue atingir essa raridade. Além de um amante da música extrema, o australiano, que leva esse projeto sozinho, compõe e grava músicas pop e eletrônica. Um pouco disso acaba afetando o Germ que se envereda por um Black Metal viajante, com diversos elementos incomuns ao estilo. Conversamos com ele, que vem divulgando o álbum “Loss” e trabalhando em mais um álbum desse surpreendente projeto.

5000 acessosKiss: as 10 músicas mais "demoníacas" da banda5000 acessosHeavy Metal: Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o Loudwire

Tim, conte-nos como surgiu a ideia do projeto Germ?

Tim: Eu tive a ideia do Germ há muito tempo. Eu acho que eu queria criar algo que combinasse os gêneros da música que eu amo. Eu realmente nunca pensei sobre como o público iria aceitar a música, mas tem funcionado bem até agora!

Você é um músico profissional e participa de diversos projetos que envolvem música pop, dentre outros estilos. De que forma, ou seja, o que o Germ representa para você? É a sua prioridade?

Tim: Sim e não. Germ virá sempre do meu coração, como ele é, e sempre será, minhas ideias e visão. É claro que às vezes compor músicas para outros artistas será prioridade, pois isso geralmente envolve um prazo muito estrito, mas o Germ é o que há de mais próximo de mim, com certeza.

E como esses seus projetos influenciam na sonoridade do Germ?

Tim: Eu acho que diretamente eles realmente não me influenciam tanto assim, eu acho que escrever diferentes estilos de música é o que realmente está me ajudando a evoluir como músico e compositor. É claro que às vezes eu realmente gosto de um elemento de outra coisa, e talvez lembro que aquilo serve para Germ, mas não há nenhuma influência real direta.

A sonoridade do Germ em “Loss” mescla diversos gêneros como pop, Dark Metal, Atmospheric e Black Metal. É uma mescla atípica, mas que funciona. A que você acha que se deve este fato?

Tim: Obrigado! Como eu disse anteriormente, eu nunca realmente pensei sobre qualquer outra pessoa compondo para o Germ. Foi uma reação muito positiva para a maior parte, e eu acho que um monte de pessoas concorda que funciona, embora, claro, há algumas pessoas que ainda não estão convencidas disso. Eu acho que é bom, no entanto. Eu acho que algo como Germ nunca pode agradar a todos.

Essa mescla poderia fazer com que as composições de “Loss” soassem muito experimentais e inacessíveis, mas aconteceu o contrário. Quando compôs o trabalho você esperava este reconhecimento todo?

Tim: Eu estava esperando as pessoas dizerem que ele é uma merda completa, sintetizadores demais (risos). Eu realmente não acho que eu tenha criado nada muito experimental, eu acho que algumas pessoas não estão acostumadas a ouvir tais elementos com guitarras distorcidas e vocais gritados. Seja qual for o caso, é claro que eu estou feliz que as pessoas possam ouvir algo nessas músicas!

Há algum conceito por trás dos temas de “Loss”? Fale-nos um pouco sobre o conceito geral do trabalho, tanto lírico quanto do som.

Tim: Não há nenhum "conceito" real como tal. Mas eu acho que todos os temas têm algo em comum. Coisas como a perda, a traição, o vício, o desespero, etc, todos eles têm um sentimento negativo.

Há alguma possibilidade do Germ se apresentar ao vivo?

Tim: Muitos têm me perguntado isso! Eu adoraria responder que sim, mas, infelizmente, neste momento não posso. Por o Germ ser um projeto solo, seria uma empreitada muito difícil encontrar os músicos adequados dispostos a trabalhar comigo ao vivo. Talvez no futuro pense mais sobre isso, mas por agora o Germ permanece apenas como um projeto de estúdio.

Como tem sido a divulgação do trabalho do Germ?

Tim: Eu não faço um monte de promoção a mim mesmo, além de coisas como manter a página no Facebook para Germ atualizada e dar entrevistas. Eu acho que eu prefiro deixar a Eisenwald (gravadora) e as pessoas da PR (Infektion Production) cuidar da promoção. Eu prefiro muito mais compor músicas a ficar postando coisas na internet.

Quais os planos para o projeto?

Tim: Eu tenho um novo álbum escrito, e eu estou atualmente no "ajuste final", alguns acertos das músicas antes de eu entrar no estúdio para gravá-las. Espero fazer isso no início do ano seguinte, no entanto, como é sempre o caso do Germ, eu não tenho certeza de quanto tempo o processo de gravação irá tomar. Talvez o próximo álbum seja lançado em 2013, talvez 2014, não tenho certeza ainda.

Muito obrigado Tim. Pode deixar uma mensagem.

Tim: Obrigado pela entrevista. Eu apenas gostaria de agradecer a todos do exterior pelo apoio, e, por favor, fiquem de olho em www.facebook.com/germofficial para notícias e atualizações!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Germ"

KissKiss
As 10 músicas mais "demoníacas" da banda

Heavy MetalHeavy Metal
Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o Loudwire

Led ZeppelinLed Zeppelin
Perguntas e respostas e curiosidades

5000 acessosBruce Dickinson: vocalista elege seus 5 álbuns preferidos5000 acessosOzzy Osbourne: "o morcego era quente e crocante"5000 acessosO que os fãs de rock e suas vertentes pedem para beber em um bar?5000 acessosOzzy Osbourne: Madman revela pacto de suicídio com esposa Sharon3325 acessosAvenged Sevenfold: baterista de 10 anos detonando "Nightmare"5000 acessosRegis Tadeu: a experiência única de ouvir os álbuns do Rammstein

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online