Reviolence: Thrash Metal e Heavy Metal até os ossos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Apesar dos problemas em sua formação, é indiscutível que o paulistano Reviolence saiba como manter o foco em sua música e carreira. O resultado é "Modern Beast", um debut que vem recebendo elogios rasgados do público e crítica de várias nações. O Whiplash! conversou com o baterista Edson Graseffi, que contou tudo o que anda acontecendo com a banda, inclusive detalhes sobre o próximo disco, que já está a caminho.

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1989Presença de Palco: dicas para iniciantes

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Whiplash!: Olá pessoal. Ainda que frequentemente lembrado pelo público, a trajetória do Reviolence foi marcada por instabilidades que dificultaram o fortalecimento de seu nome na cena. Quais os motivos que tanto atrasaram sua estréia em disco?

Edson Graseffi: Antes de mais nada, obrigado pela oportunidade da entrevista. Realmente o Reviolence teve muitos problemas nos seus primeiros anos de vida. O sério problema que tive em meu joelho direito, fazendo com que eu me afastasse da música por quase dois anos foi um dos motivos para a coisa toda parar por completo.

Edson: Só depois de recuperado totalmente, remontei a banda com meu velho parceiro Maurício Cliff, em seguida tivemos problemas com algumas trocas de vocalistas, mas sempre seguimos adiante sem deixar o objetivo principal morrer, que era fazer a banda ter seu reconhecimento. Se observarmos, temos produzido bastante material novo, além de "Modern Beast", lançamos dois singles e um vídeo clipe em menos de um ano e meio. Todo esse material nos trouxe à tona, e hoje o Reviolence tem um ótimo reconhecimento do público.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Whiplash!: "Modern Beast" oferece um ótimo trabalho nas guitarras, e faixas como "Warning Hell" e a própria "Modern Beast" mostram muito vigor nos elementos clássicos do Thrash e Heavy Metal Tradicional. O que torna uma música mais interessante durante o processo de composição do Reviolence?

Edson: Realmente, nosso guitarrista Guilherme Spilack fez um ótimo trabalho com as guitarras neste disco, ele estudou por muitos anos e tem uma bagagem musical muito grande. Todo esse trabalho rendeu para ele um endorsement de uma fábrica de guitarras, acredito que seja o resultado de um trabalho bem feito.

Edson: Quanto a compor, nós sempre nos baseamos no que gostamos de ouvir, somos grandes fãs de Thrash e Heavy Metal tradicional. Então, o que torna a música mais interessante é justamente essa mistura de Thrash, Heavy tradicional e até mesmo Rock'n'Roll. Muitas pessoas erroneamente nos chamam de uma banda de Thrash Metal, o que não somos... Sempre digo que a música que o Reviolence toca é Metal.

Whiplash!: Vocês perderam seu vocalista logo após o disco ter sido lançado... Considerando a importância em divulgar "Modern Beast", não houve mesmo alguma forma de conciliar a decisão de Rod Starscream em ter um projeto paralelo? Esse foi o motivo de sua saída da banda, certo?

Edson: Independente da troca de vocalista, posso afirmar que "Modern Beast" rendeu ótimos frutos e rende até hoje. A decisão que tomamos na época foi a mais acertada para o futuro da banda.





Whiplash!: O fato de o vocalista Gerre, do Tankard, se declarar fã do Reviolence, aliado aos leitores da Roadie Crew os elegerem como a revelação de 2010, são evidências de sua boa fase. Com a mudança em sua formação, está sua agenda de shows, afinal?

Edson: Cara, só temos a agradecer a todas as pessoas que tem nos acompanhado e dado apoio, e nos ajudado fazer o nome do Reviolence a se tornar cada vez mais forte. Só o fato de o Gerre ter se tornado fã do Reviolence já faz o "Modern Beast" valer a pena; ele está sempre acompanhando nosso trabalho e tem elogiado muito essa nova fase, é uma honra ter um cara que é uma lenda do Metal como fã.

Edson: A mudança de vocalista veio reforçar tudo isso, a resposta do público foi ótima, inclusive nas apresentações que fizemos ultimamente, sempre com casa lotada. Quanto à agenda, estamos preferindo fazer menos shows, mas shows melhores, com melhor condição técnica. E possibilitar a quem vai nos assistir, ver o show que espera ver.

Whiplash!: E como encontraram o vocalista Ralph Wiltemburg? O single "King Of The Night", em que ele canta, apresenta uma personalidade e dinâmica bem diferentes, se comparado com seu antecessor...

Edson: O Ralph era um velho conhecido, se eu for olhar para trás, ele deveria ter entrado no Reviolence na época em que selecionávamos vocalistas. Quando entrei em contato na primeira vez, antes de gravarmos "Modern Beast", ele estava ocupado tocando guitarra em uma banda de Death Metal.

Edson: Quando precisamos novamente de um vocal, ele foi logo a primeira opção, liguei e ele aceitou na hora, pois havia se desligado de sua banda antiga e queria voltar a cantar. Na verdade o Ralph traz o mesmo espírito que a banda tinha antes, mas à sua maneira, com sua personalidade e estilo próprios, além de ser um grande performer ao vivo. Nós realmente achamos nosso caminho novamente, com vocais mais agressivos e ácidos.

Whiplash!: O vídeo-clip de "King Of The Night" saiu há pouco tempo. Como rolou sua produção, e até onde este tipo de material é importante para uma banda hoje em dia?

Edson: Produzir "King Of The Night" foi muito bacana, porque o produtor Cláudio Tibérius é meu amigo há muito tempo. Ele já havia trabalhado comigo no clipe do Panzer, a antiga banda em que eu e o Cliff tocamos por muitos anos, e nós sabíamos a que resultado ele podia chegar. O Claudio é um cara que vem da cena underground, sempre esteve envolvido com Metal, além de ser um profissional da área de vídeo, onde trabalha em uma grande rede de TV.

Edson: Ele entendeu exatamente o que queríamos e o resultado ficou perfeito. Ele conseguiu extrair toda a 'doidera' que queríamos passar no clipe, isso deu uma dinâmica muito legal no vídeo. Esse tipo de material é muito importante para uma banda que quer mostrar sua música para o público, sempre foi assim. Antigamente nós dependíamos da boa vontade da MTV, que passava os clipes nacionais no meio da madrugada. Hoje, com o Youtube, a coisa se tornou mais democrática e todo mundo pode divulgar sua música, é só trabalhar e divulgar... Que e a resposta vem.

Whiplash!: No passado, os elogios dos europeus ao Reviolence foram uma constante. Agora, com "Modern Beast" sendo distribuído na Alemanha, Japão, EUA e Canadá, como está sendo sua recepção? Há chances de uma excursão por estes países?

Edson: A resposta das pessoas lá fora tem sido ótima, temos recebido muitos e-mails e mensagens nas redes sociais de fãs do mundo todo, elogiando tanto o "Modern Beast" como o novo single "King Of The Night". Outro fato interessante que aconteceu, foi o caso da empresa Merchland, que está produzindo e comercializando nosso merchandising na Alemanha, são quatro modelos de camisetas e três de bottons.

Edson: Além disso, temos um fórum oficial feito por fãs de outros países, tudo isso pode ser conferido em nosso site. Tivemos propostas de shows na Europa, mas resolvemos segurar a onda até ter o novo álbum com os vocais do Ralph. Nosso plano é de excursionarmos o ano que vem, por alguns países europeus, mas estamos ainda negociando mais este passo com alguns produtores de lá, para não cairmos nas famosas 'roubadas'.

Whiplash!: Não é novidade que há um segmento na música que está se tornando cada vez mais técnico e extremo. Assim sendo, e considerando a proposta do Reviolence, o que vocês acham que o futuro reserva ao lado mais tradicional do Heavy Metal?

Edson: Eu sou suspeito para falar porque ouço muito Metal Tradicional, mas dá para observar que este gênero foi se adequando ao passar do tempo com as novas tecnologias de gravação, os discos atuais soam mais limpos e pesados, mas a essência permanece a mesma. Veja o Saxon, por exemplo, é uma banda que teve várias fases em sua música, mas permanece soando maravilhosamente bem em todas elas. Como disse, sou suspeito para falar, mas acredito que os grandes pilares desse estilo manterão sua música influenciando sempre as bandas que surgirão.

Whiplash!: Vocês estão preparando um novo álbum. Poderia dar mais detalhes sobre o trabalho, já dá para ter uma noção de como estará soando nesta nova fase?

Edson: O novo álbum está previsto para ser lançado no segundo semestre deste ano, é apenas uma previsão, porque queremos apresentar algo realmente matador. Ele terá muita coisa rápida, que é o que gostamos de fazer, além de partes Heavy Metal. As letras possivelmente virão mais 'politizadas', falando cada vez mais sobre nosso dia a dia. No último show, tocamos uma faixa inédita e a resposta do público foi ótima... "King Of The Night" é uma boa amostra do que será o novo álbum, é só aguardar...

Whiplash!: Ok, pessoal, o Whiplash! agradece pela entrevista e deseja boa sorte ao Reviolence. O espaço é de vocês para os comentários finais...

Edson: Quero agradecer o Whiplash! por mais uma vez nos abrir a oportunidade de falar sobre nosso trabalho e por todo apoio que nos deu durante todos estes anos. Quero agradecer também a todas as pessoas que, de alguma forma, fizeram o Reviolence chegar até este momento em que banda esta vivendo, aguardem o novo disco, ele está sendo feito para vocês. Visitem nosso site e baixem o single!!! Metal até os ossos!!!!

Contato:
http://www.reviolencemetal.com
http://www.myspace.com/reviolence




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Reviolence"


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1989Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1989

Presença de Palco: dicas para iniciantesPresença de Palco
Dicas para iniciantes


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline