Stuck Mojo: "eu era o pior guitarrista entre meus amigos"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Daniel Faria, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

A revista Hails and Horns conduziu em janeiro de 2009 uma entrevista com o guitarrista do STUCK MOJO, Richard Ward, que falou sobre suas perspectivas como músico, dentre outras coisas.

5000 acessosNightwish: Participação de Dawkins em álbum irritou alguns fãs5000 acessosSinceridade: e se as capas de discos dissessem a verdade?

Hails and Horns: Você nunca foi tímido de falar de assuntos difíceis, como no exemplo de "Whorshipping a False God" ou "For the Cause of Allah". Você se preocupa que política e religião possam ofender membros de sua audiência, ou é importante para você como um artista falar de coisas que te afetam?

Rich: "Não é que eu considere importante falar dessas coisas, eu só escrevo sobre coisas que me interessam. Se nós formos realistas, eu sou somente um guitarrista de uma cidadezinha na Georgia, então no grande esquema das coisas, nada que eu faça será considerado de alguma conseqüência. Se acontecer de eu inspirar um ouvinte para se interessar em algo, então ótimo, [e] se não, eu espero que haja um riff ou dois que eles possam curtir".

"Agora, quanto a ofender pessoas, hoje em dia você parece não conseguir evitar isso. Quando se trata de opiniões sobre politica ou problemas sociais, me parece que pessoas se tornaram hiper-sensíveis e defensivas das suas posições. Quando eu escrevo uma música sobre algo politico, isso reflete minha visão de mundo, baseada nas minhas experiências, e o prisma pelo qual eu vejo o mundo. Eu espero que pessoas discordem, porque nenhum de nós vai ver o mundo exatamente da mesma forma. Nós todos temos experiências de vida diferentes que formam nossas opiniões, e como eu vejo, não tem certos ou errados absolutos. Um respeito comum pelas opiniões dos outros é onde podemos nos concentrar".

Hails and Horns: Depois de mais de 15 anos na música, onde voce acha sua inspiração? Você se preocupa que isso está se tornando em um mero emprego?

Rich: "Eu encontro nos mesmos lugares de quando eu comecei. Dentro de mim, eu ainda sou aquele garoto de 14 anos que se perde ouvindo um grande riff, um coro memorável, e um solo de guitarra arrasador. Quando começar a se parecer com um emprego comum, eu farei outra coisa que pague bem de verdade".

Hails and Horns: Eu acho que seus colegas seriam o RED HOT CHILI PEPPERS, FAITH NO MORE, RUN DMC. Essas bandas tiveram imenso sucesso comercial, o que é algo que acredito que você também mereceu. É a hora certa para o seu estilo ganhar a atenção do mundo? Você sente inveja do sucesso de uma banda como RHCP?

Rich: "Eu nunca nem nos meus sonhos mais selvagens pensei que chegaria onde estou agora. Eu era o pior guitarrista no meu grupo de amigos, mas quando todos os meus amigos músicos foram para a universidade, começaram carreiras profissionais, e se casaram, eu só continuei tocando. Eu nunca me vi estando numa grande banda, eu só gostava de tocar guitarra e compor músicas, então isso continuou sendo o foco da minha vida. Eu não tenho certeza de quando eu realmente pensei que tinha uma chance de ganhar a vida sendo músico, mas tenho certeza que minha carreira certamente excedeu quaisquer expectativas que eu tive. Tendo dito isto, eu não tenho expectativas sobre ir adiante. Em 10 anos nós poderíamos estar maiores do que antes, ou eu poderia estar trabalhando no Burger King. De qualquer maneira, eu ainda assim tocarei e comporei música para me divertir e nunca terei inveja do sucesso de bandas boas".

Leia o texto completo (em inglês) neste link.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Stuck Mojo"

Stuck MojoStuck Mojo
"Eu era o pior guitarrista entre meus amigos!"

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Stuck Mojo"

NightwishNightwish
Participação de Dawkins em álbum irritou alguns fãs

SinceridadeSinceridade
E se as capas de discos dissessem a verdade?

Sons Of AnarchySons Of Anarchy
A obra-prima televisiva e sua fantástica trilha!

5000 acessosIron Maiden: Nado sincronizado ao som de "The Trooper"5000 acessosAngra e Detonator: "Sem nenhuma dúvida, esse cara comprou a mídia!"5000 acessosGuitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?5000 acessosPink Floyd: a banda sustentou a família da atriz Naomi Watts5000 acessosSeparados no nascimento: Tarja Turunen e Laura Muller4632 acessosMachine Head: a experiência de abrir para o Metallica

Sobre Daniel Faria

Nascido em 1977, cresceu em um lar onde rock progressivo dominava as ondas do ar. Aos 12 anos, com a compra de "Paranoid" (Black Sabbath) tudo mudou e o metal gradualmente passou a ser o som predominante em casa. Estudou Computer Science / Applied Science pela Concordia University (Montreal, Québec, Canada) e hoje vive em um vilarejo rural em Simcoe County, centro-sul de Ontario, Canada.

Mais matérias de Daniel Faria no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online