Baixista do Aerosmith comenta show em SP

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: Aero Force One, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O baixista do AEROSMITH, Tom Hamilton, postou a seguinte mensagem sobre os dias em que estava em São Paulo, onde a banda tocou no mês passado como parte de sua turnê sul-americana.

Pearl Jam: banda tenta tocar Rush em homenagem a Geddy Lee mas desisteCultura inútil: Em quantas músicas Coverdale utilizou "love" (1)

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Foi um show num grande estádio, algo que queríamos fazer há um bom tempo. Já fazia treze anos que não tocávamos no Brasil, na Argentina ou no México, mas nos lembrávamos bem do entusiasmo das platéias, o que torna as coisas mais fáceis. Quando a audiência nos dá tanta energia assim, podemos relaxar e nos divertir".

"Depois do show, tivemos que dar uma corrida do palco até os carros para não ficarmos presos por horas no local, já que todo mundo sempre quer sair ao mesmo tempo. Mas tivemos escolta policial. Os policiais daqui andam com motos muito ágeis. Não sei de qual marca ou modelo são, mas parecem grandes e sujas e são muito rápidas. As ruas estavam cheias de gente, carros, ônibus e caminhões. Para que pudéssemos passar pela multidão de pedestres, eles tiveram que ligar as suas sirenes barulhentas e as luzes vermelhas brilhantes. Eles abriram caminho ziguezagueando como esquiadores na neve. O pessoal se separou calmamente, como se fosse o Mar Vermelho, e ficou se perguntando que bagunça era aquela. Alguns levantaram o dedo do meio, o que foi engraçado. As motos iam pra cima, quase acertando as pessoas quando elas avançavam. Eu mal puder ver aquilo".

"O suspense era esmagador. Eu pensei que, a qualquer minuto, alguma moto iria derrapar ou alguém na rua seria atingido, mas conseguimos voltar ao hotel sem um arranhão. Ficamos em frente ao lobby e tiramos fotos com os policiais. Eu ainda adoro a ironia daquela situação. Normalmente, quando policiais e uns doidos de cabelos compridos estão numa mesma foto, significa que alguém foi preso".




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Aerosmith"


Aerosmith: Tyler tem o maior instrumento do Rock?Aerosmith
Tyler tem o maior "instrumento" do Rock?

Rock And Roll: as 13 maiores voltas por cima da históriaRock And Roll
As 13 maiores voltas por cima da história


Pearl Jam: banda tenta tocar Rush em homenagem a Geddy Lee mas desistePearl Jam
Banda tenta tocar Rush em homenagem a Geddy Lee mas desiste

Cultura inútil: Em quantas músicas Coverdale utilizou love (1)Cultura inútil
Em quantas músicas Coverdale utilizou "love" (1)


Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

adGoo336