Neal Nagaoka - Entrevista com Neal Nagaoka, guitarrista.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  

Neal Nagaoka é um jovem guitarrista norte-americano. Em 1998, Neal gravou e lançou, de forma totalmente independente, seu primeiro álbum solo, chamado "The Crossing", no qual ele gravou todos os instrumentos, e compôs todas as músicas. O disco apresenta composições de altíssimo nível técnico, com toques de metal, rock, neoclássico, fusion e outros estilos, lembrando o trabalho de gloriosos guitarristas dos anos 80, como Vinnie Moore e Richie Kotzen. Atualmente, o guitarrista encontra-se trabalhando em seu segundo álbum solo. Numa pausa de seus trabalhos o guitarrista concedeu essa entrevista exclusiva ao Whiplash, onde fala de sua música, suas técnicas, suas preferências musicais, dentre outros assuntos. Para quem quiser saber mais sobre o trabalho do guitarrista ou encomendar seu CD, é recomendada uma visita a seu web site

publicidade

Entrevista concedida a Mário Del Nunzio.

Colaboração de Thiago Corrêa.

Tradução por Mário Del Nunzio.

Whiplash! / Você está trabalhando em um novo disco solo agora, certo ? Já começou o processo de gravação ?

Neal Nagaoka / Sim, já comecei o processo de gravação para meu segundo CD, há algum tempo. Ainda preciso compor mais algumas obras musicais para este segundo trabalho solo, porém, espero concluí-lo em breve. O CD, a exemplo de meu primeiro álbum solo, será totalmente instrumental.

publicidade

Whiplash! / Você está novamente gravando o álbum totalmente sozinho ou há outros músicos trabalhando com você ?

Nagaoka / Bem, estou fazendo todos os intrumentos novamente.

Whiplash! / No seu primeiro álbum há bastantes toques neo-clássicos, e também de rock e fusion. Você continuará com esses estilos no novo álbum ?

Nagaoka / Sim, meu novo álbum terá elementos de todos esses estilos e, provavelmente, de alguns outros estilos também, já que estive escutando coisas de outros estilos, que estão me influenciando na composição desse álbum.

publicidade

Whiplash! / O que você pensa de seu primeiro trabalho, agora ? E no que você acha que seu segundo álbum pode superar o primeiro ?

Nagaoka / Boa pergunta. Acho que as músicas do primeiro álbum têm boas e más qualidades. Por exemplo, em algumas músicas, queria ter feito um trabalho mais adequado e melhor em relação à mixagem, já que não fiquei satisfeito com algumas coisas nesse aspecto. Tecnicamente, acho que meu jeito de tocar progrediu, então, acho que o segundo álbum será melhor nesse aspecto.

publicidade

Whiplash! / "The Crossing" foi um álbum totalmente independente. Quais foram as principais dificuldades na gravação do álbum ?

Nagaoka / Foi um álbum totalmente independente, deveras. Um dos problemas que tive foi com minha ADAT quando estava mixando. Ela comeu algumas fitas, então tive que dar um jeito de repará-las. Gostaria de poder refazer algumas músicas, mas o que foi feito está feito.

publicidade

Whiplash! / "The Emerald Book" é uma muito bela e bem composta obra. Como foi o processo de composição dessa obra em especial ?

Nagaoka / Essa é uma totalmente acústica. Sou muito fã de Steve Morse, então achei que seria interessante colocar no CD algo como isso. Foi inspirada por uma composição de Steve Morse que chama-se "Modoc".

Whiplash! / O álbum " The Crossing" começa com um bastante interessante tema e solos bastante técnicos na canção "Wham Bam Thank You Maam". Você a usou como abertura para demonstrar sua capacidade técnica como guitarrista e compositor ?

publicidade

Nagaoka / Bem, acho que a música tem uma boa introdução, então decidi usá-la como abertura do disco, não para mostrar minha técnica ou algo do tipo, mas apenas porque acho que fica bem no começo.

Whiplash! / Você acha que o álbum "The Crossing" poderia ter ficado melhor com um baixista e um baterista reais ?

Nagaoka / Oh, sim, definitivamente! Meu jeito de tocar baixo não é tão bom. Em algumas músicas um baixista real, definitivamente, ajudaria a deixar o "groove" melhor. Um baterista real também seria deveras bom, porém não tinha como ter um no momento.

publicidade

Whiplash! / "The Octagon" deixa clara sua ligação com jazz e fusion. Como você superou as dificuldades desses estilos musicais ? Poderia dar algumas dicas sobre isso ?

Nagaoka / Acho que o aspecto fusion aparece naturalmente, por ter feito uma escola muito ligada ao jazz, como é Berklee. Também sou muito fã de Greg Howe, então, queria ver se poderia escrever uma música com mudolações de tons, mas ainda com algum peso e densidade.

Whiplash! / Li comentários muito positivos sobre seu trabalho, de guitarristas como Rob Johnson, Neil Zaza e Joy Basu. Como você se sente em relação a isso ?

Nagaoka / Esses indivíduos são muito bacanas! Rob Johnson tem algumas coisas fenomenais. Neil Zaza é um guitarrista bastante melódico, e, no geral, um grande guitarrista. Joy é verdadeiramente muito bacana. Tem muito senso de "groove" e técnica fenomenal. Desejo tudo de melhor a eles!

Whiplash! / Considerando-se que você faz músicas instrumentais, portanto, sem parte lírica, como escolhe seus títulos ?

Nagaoka / Honestamente ? Boa pergunta. Parece ser algo espontâneo, bastante natural, contudo, muitas vezes, totalmente fora de contextos. Às vezes há algum tipo de jocosidade inserida no epíteto que representa o título da composição.

Whiplash! / Você já disse, e, ao ouvir seu álbum, fica clara a influência de Greg Howe em seu trabalho. Por favor, comente sobre ele.

Nagaoka / Greg Howe, em uma palavra: fenomenal! Meu álbum favorito ainda é "Introspection". Senti que é muito único, e fiquei impressionado desde a primeira vez que escutei!

Whiplash! / Se você pudesse chamar qualquer músico que quisesse para formar uma "banda dos sonhos", quem chamaria ?

Nagaoka / Humm, outra boa indagação. Acho que teria, na bateria, Scott Travis, mas poderia ser qualquer outra pessoa que tenha uma "pegada" pesada e mantenha o tempo de modo correto e preciso. Para o baixo, Stanley Clarke ou Stu Hamm. Para os teclados, Vitalij Kuprij.

Whiplash! / Você tem uma técnica bastante desenvolvida em vários aspectos, mas algo que se destaca a uma primeira ouvida é sua técnica de "sweep". Como você a desenvolveu ? Fez algo especial com relação a isso, ou é apenas o que você gosta mais ?

Nagaoka / Bem, devo dizer que "sweep" desenvolveu-se em minha pessoa de maneira mais fácil que "string skipping" ou "tapping" ou alguma outra técnica. Pessoalmente, gostaria de desenvolver mais meu modo de tocar com os dedos, e "tapping" também.

Whiplash! / Quanto você estuda por dia ? Tem uma disciplina de estudo rígida ?

Nagaoka / Atualmente apenas toco quando sinto vontade. Se sigo uma rotina sinto que minha criatividade fica um pouco de lado, e começo a usar os mesmo fraseados repetitivaente. Costumava seguir uma rotina disciplinada, mas atualmente não mais.

Whiplash! / Você estudou com Jennifer Batten, certo ? Como foi isso ?

Nagaoka / Sim, estudei com ela por cerca de um ano. Ela é uma excepcional professora. Acho que a mais importante lição que aprendi dela foi de relaxar quando improvisando, e, é claro, desenvolvi bastante minha técnica de "tapping".

Whiplash! / Falando sobre mulheres, a cena "shredder" é bastante limitada a elas, com poucas aparecendo. O que você acha disso ?

Nagaoka / Bem, é uma pena. Há várias mulheres guitarristas por aí que merecem muito crédito, pois são muito boas. Acho que Jennifer Batten foi uma das raras com sorte que apareceram com destaque.

Whiplash! / Você acha que sua música é só para músicos ou você acha que não-músicos podem compreender e apreciar sua arte totalmente ?

Nagaoka / Bem, eu espero que pessoas fora do meio musical possam entender e apreciar minha música também!

Whiplash! / Por favor comente sobre esses guitarristas:

Whiplash! / Jason Becker.

Nagaoka / Monstro!!! "Perpetual Burn" foi uma enorme influência em mim! Espero que ele possa melhorar algum dia.

Whiplash! / Allan Holdsworth:

Nagaoka / O que mais pode ser dito sobre ele ? Não é humano! Suas esticadas e linhas com ligado são irreais.

Whiplash! / Michael Angelo:

Nagaoka / Ainda estou impressionado sobre como um cara pode tocar uma guitarra com 4 braços. Ele pode fazer algumas coisas bastante difíceis e estranhas.

Whiplash! / Yngwie Malmsteen:

Nagaoka / Um dos guitarristas com mais paixão que eu conheço. Seu "vibrato" é o melhor ainda, e, "Rising Force" ainda é um de meus álbuns favoritos de todos os tempos.

Whiplash! / Steve Morse:

Nagaoka / Acho que é um dos guitarristas mais versáteis de todos os tempos. De rock a clássico, sempre extraordinário.

Whiplash! / Por favor, deixe uma mensagem para os leitores do Whiplash e seus fãs e músicos brasileiros.

Nagaoka / Só queria agradecer pela entrevista e agradecer a todos que compraram meu CD. Muito obrigado! Que Deus abençoe todos vocês.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Seguidores do Demônio: as 10 bandas mais perigosas do mundoSeguidores do Demônio
As 10 bandas mais perigosas do mundo

Motörhead: Amy Lee no colo de Lemmy KilmisterMotörhead
Amy Lee no colo de Lemmy Kilmister


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin