Jeff Scott Soto - Entrevista exclusiva com o vocalista

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  

Jeff Scott Soto já cantou com algumas dezenas de bandas, como Takara, Human Clay, Talisman, Axel Rudi Pell, Boogie Knights, etc, nos últimos 15 anos, desde que em 1984 teve sua estréia em discos, cantando no clássico "Rising Force", de Yngwie Malmsteen. Dono de uma voz potentíssima e considerado por alguns um dos melhores vocalistas de todos os tempos, J.S. Soto foi entrevistado pelo Whiplash!. Entrevista concedida a Thiago Corrêa e Mário Del Nunzio. Tradução: Mário Del Nunzio.

publicidade

Whiplash! / Você é um vocalista respeitado no mundo inteiro e vem lançando discos há 15 anos. Você se acha um melhor vocalista atualmente do que quando cantou no "Rising Force", de Yngwie Malmsteen? Como você compara o jeito que canta atualmente com o jeito que cantava nos seus primeiros discos?

Jeff Scott Soto / Não diria melhor, mas mais experiente. Há coisas que eu fazia quando era mais jovem que não sonharia em fazer hoje, mas, por outro lado, há coisas que faço agora que não sonharia em fazer anos atrás. É tudo relativo... Eu era muito mais "duro" antes, e não usaria as minhas influências Soul e de R&B como faço agora. Também acredito que minhas influências se abriram muito mais, pois pude utilizá-las nos muitos projetos aos quais emprestei meu nome.

publicidade

Whiplash! / Você gravou e lançou discos com muitas bandas e artistas, como Yngwie Malmsteen, Axel Rudi Pell, Human Clay, Talisman, Takara, Boogie Knights, etc. Com quem você teve mais prazer fazendo discos, quais você acha seus melhores discos e qual deu mais dinheiro e fama?

Jeff Scott Soto / Pela primeira vez, vou admitir que muito do trabalho que fiz foi porque precisava viver, como todas as pessoas no mundo. Eu fui abençoado com uma voz que agradava a outros tanto que eles me pediam para cantar em seus álbuns. Como minhas jornadas com Takara e Axel Rudi Pell se tornaram numerosas, elas estavam supostamente limitadas a uma visita. Não posso dizer que gosto ou que até mesmo escuto muito essas gravações que fiz com outros, pois os seus álbuns são no "seu" estilo, e com minha voz apenas recitando as letras e melodias. Sem querer falar mal de ninguém, devo dizer que aparecer em alguns desses álbuns, apesar de me ajudarem financialmente, machucaram a minha reputação, fazendo me parecer com um "cantor-prostituta", que gravaria para qualquer um com um dólar. Também, eu queria ser conhecido no mundo da música, não um cantor de metal, nem de hard rock, mas um cantor "world class". Você nunca diria que Freddie Mercury é um cantor de apenas um estilo. Meu passado é o obstáculo mais difícil para superar, mas, eu tenho atuado em algo que me deu uma pequena fortuna sem ter que me prostituir mais, ainda tendo tempo de deitar e vir com a minha direção mais forte que nunca, até mesmo com a idéia de dominação do mundo! Eu gostei de todas as minhas experiências com as muitas pessoas que encontrei e tudo tem seus pontos bons e ruins, então é difícil dizer que uma experiência é melhor que outra.

publicidade

Whiplash! / A maior parte das suas bandas são de hard rock ou heavy metal. Mas o Boogie Knights é uma banda disco. Como você teve a idéia de fazer uma banda como essa e o que você acha desse trabalho?

Jeff Scott Soto / The Boogie Knights é uma banda que me permitiu ter diversão cantando e atuandi enquanto reinvento-me. E eu ainda atuo em roupas e perucas totalmente anos 70, e tocamos todos os hits de discoteca dos anos 70, e atuando como se tivéssemos inventado tudo isso. É um tipo de Spinal Tap em poliéster! Nós fazemos um show no qual mesmo pessoas que odeiam disco adoram, e isso me mantém ocupado durante o ano. Nós fizemos um CD, mas infelizmente ele só pode ser comprado online [www.boogieknights.com ]. Nós estamos tocando em Las Vegas toda semana, mas já tocamos nos Estados Unidos inteiro, Canadá e recentemente Alemanha... estamos nos tornando globais! Eu entrei na banda depois de eles já estarem fazendo isso por 3 anos. Antes do Boogie Knights, eles eram uma banda de heavy rock chamada Roxanne. Há muitas outras bandas disco que nós colaboramos, emprestando muitos amigos e colegas, tocando nos shows que estamos muito ocupados para tocar. Outros "antigos rockeiros" na nossa organização são Russ Parrish (Fight), Johnny Gioeli (Hardline, atualmente no Axel Rudi Pell) e Ralph Saenz, o último vocalista do L.A. Guns.

publicidade

Whiplash! / É verdade que você teve que parar de cantar na banda de Axel Rudi Pell por que só tinha tempo para o Boogie Knights?

Jeff Scott Soto / Sim e não... Eu meio que precisava de uma desculpa para dizer não para Axel em cantar nos seus discos. Não me entenda errado, Axel e eu somos realmente ótimos amigos e eu o amo como pessoa, mas não temos nada em comum musicalmente. Ele é fã da minha voz e gostou de poder usá-la em seus discos, mas eu realmente tinha que fazer as coisas do seu jeito, minha criatividade e estilo não estavam no mesmo jogo que ele imaginava. Foi fácil dizer sim, quando ele ofereceu a quantidade de dinheiro que ofereceu, mas agora o Boogie Knights faz [monetariamente] em duas semanas o que eu faria em cada disco do Axel Rudi Pell... E nós tocamos todas as semanas durante o ano... Faça as contas!

publicidade

Whiplash! / Você dava aulas de vocal nos EUA, certo? Você ainda faz isso?

Jeff Scott Soto / Na verdade, nunca dei aulas de voz... Eu dei uma aula chamada "aconselhamento aberto", na qual a escola pegaria pessoas respeitáveis do meio que eles achassem que seus alunos gostariam de sentar numa sala por uma hora e meio que fazer uma jam ou trocar notas. Eles basicamente me perguntaram como eu canto e eu disse algo como "Eu abro minha boca e faço!".

publicidade

Whiplash! / A primeira banda que mostrou suas capacidades vocais ao mundo foi a Yngwie J. Malmsteen's Rising Force. Y. Malmsteen é conhecido como uma pessoa difícil de trabalhar junto, é verdade? O que você acha do seu trabalho com ele? O que o levou a sair da banda e o que você acha dos vocalistas que sucederam você na banda?

Jeff Scott Soto / Bom, poderia escrever um livro sobre isso, mas tentarei ser o mais breve possível. Primeiro e mais importante, você não trabalha COM Yngwie, você trabalha PARA Yngwie. Quando você se acostuma com isso, você sabe onde deve ficar e tudo mais é relacionado em trabalhar para ele e agradá-lo. Eu adorava a sua música, estilo, jeito de tocar, etc, quando eu entrei na sua banda pela primeira vez, mas, como cresci musicalmente, já que só tinha 18 anos quando entrei na sua banda, achei outras avenidas que queria explorar que nunca seriam nem mesmo discutidas com ele. Essa foi a principal razão que me levou a deixar sua banda. Houve alguns problemas internos sobre quão exigente ele era na época e quão anti-profissional a gravadora e o "management" eram com a gente. Nós permanecemos amigos hoje pois eu saí quando eu saí. Não posso realmente comentar sobre seus outros cantores porque era o mesmo cenário que eu já expliquei anteriormente, quando comentei sobre Axel Rudi Pell. Eles eram meramente marionetes sob seu controle artístico. Eu acho que são todos bons cantores, mas melhores nos seus próprios elementos.

publicidade

Whiplash! / Com Yngwie Malmsteen você gravou seus vocais mais agressivos, em músicas como "Now Your Ships Are Burned", "Disciples Of Hell", entre outras. Por que não mais você faz uso deste tipo de vocais, mesmo cantando músicas pesadas e agerssivas, como algumas que você gravou com Axel Rudi Pell, por exemplo?

Jeff Scott Soto / Como já falei, não é o meu estilo mais. Alguns "metal heads" são fanáticos até o fim, mas eu vejo mais em música do que apenas um estilo. Em outras palavras, estive lá e fiz aquilo.

Whiplash! / Quais suas maiores influências como cantor e compositor?

Jeff Scott Soto / A maioria das pessoas atualmente já sabem... Prince, Queen, Journey, Terence Trent D'Arby, Van Halen, todas essas coisas "velhas".

Whiplash! / Se você tivesse que escolher os melhores músicos com que você já trabalhou, para formar uma "banda dos sonhos", quem seriam?

Jeff Scott Soto / Eu já os tenho... Talisman! Na verdade, há outros músicos com quem trabalhei que seriam capazes de cobrir um maior espectro do que eu gostaria de fazer em uma banda dos sonhos, mas você não saberia quem eles são.

Whiplash! / O que você tem escutado ultimamente?

Jeff Scott Soto / Não acho muitas coisas novas que me satisfaçam, então eu escuto bastante coisas velhas, quer dizer, se você considera os anos 70 velhos. Meus últimos favoritos são o primeiro disco solo de Corey Glover (Living Colour), o último do King's X e Seal.

Whiplash! / Você cantou em tributos ao Queen e ao Deep Purple. Como essas bandas influenciaram você, como você foi convidado a participar desses tributos e o que você acha das músicas que você gravou comparando-as com as originais?

Jeff Scott Soto / O tributo ao Purple eu fiz porque me pediram. Não sou muito fã da banda e nem sou familiar com muitos de seus discos. O tributo ao Queen, entretanto, quase implorei para entrar quando ouvi que estava sendo feito. Conhecendo Bob Kulick bem, liguei para ele e perguntei se podia estar envolvido com isso de algum jeito, mesmo que fosse apenas para cantar uma nota de backing vocal, eles podiam contar comigo! Fiquei honrado quando eles perguntaram se faria "Save Me", pois era bem natural para mim cantá-la e fazer uma homenagem a Freddie Mercury. Fiquei bem feliz com o resultado final, especialmente depois de escutar algumas atrocidades no disco.

Whiplash! / Por favor, comente sobre essas bandas/artistas com quem você trabalhou:

Whiplash! / Yngwie J. Malmsteen's Rising Force.

Jeff Scott Soto / Uma inesquecível experiência de aprendizado. Estou feliz que fui escolhido para viver.

Whiplash! / Eyes.

Jeff Scott Soto / Uma banda com bastante potencial, mas muitas direções diferentes e sem capacidade suficiente.

Whiplash! / Takara.

Jeff Scott Soto / Muito bons amigos.

Whiplash! / Axel Rudi Pell.

Jeff Scott Soto / Muito bons amigos.

Whiplash! / Talisman.

Jeff Scott Soto / Provavelmente o melhor grupo de gente para sair, fazer festa com, tocar e gravar com. Talento misturado com diversão.

Whiplash! / Human Clay.

Jeff Scott Soto / Uma versão jurássica do Talisman, usado para matar o tempo.

Whiplash! / O único disco ao vivo que você gravou foi "Made In Europe", do Axel Rudi Pell, certo? O que você acha da sua performance ao vivo? Muitos vocalistas não conseguem fazer ao vivo o que fazem em estúdio, o que você acha disso?

Jeff Scott Soto / Não, tem também o "Five Out Of Five" do Talisman, e "Live In 85" de Yngwie Malmsteen [N. do E.: "Live In 85" é um vídeo, não disco ao vivo]. Não escutei o disco do Axel Rudi Pell desde que o recebi, mas talvez o escute essa semana. Mas, eu concordo que muitos vocais não fazem o que eles fazem em estúdio, mas isso tem uma razão meio óbvia. Muitos deles não pensam sobre as consequências de tentar fazer toda noite um show, numa turnê, então é claro que eles têm que achar um jeito de fazer noite após noite algo. Eu que o diga!

Whiplash! / Falando sobre Axel Rudi Pell, foi com ele que você gravou mais discos na sua carreira, certo? O que você acha do seu trabalho com ele e o que você acha de Johnny Gioeli, que o substituiu na banda de Rudi Pell?

Jeff Scott Soto / Já disse o que acho do meu trabalho com ele anteriormente. Sobre Johnny, ele é um cantor bluesy sensacional, mas, assim como meu trabalho com Axel, soa meio forçado para ele cantar esse estilo. É difícil escutá-lo sabendo que ele está fazendo algo que não era o seu formato usual.

Whiplash! / Há algum artista com quem você não trabalhou que você gostaria de trabalhar? Quem?

Jeff Scott Soto / Muitos! Obviamente, começando com as influências, citadas acima, mas terminando com muitos para mencionar.

Whiplash! / Você nasceu nos EUA, mas a maior parte de músicos com quem você trabalhou são europeus. Por que você acha que isso aconteceu?

Jeff Scott Soto / Isso obviamente começou com meu envolvimento com Yngwie e saiu tudo de lá. Todos com quem trabalhei gosta do fato que eu trago minhas raízes norte-americanas e conheço as tradições e costumes europeus.

Whiplash! / Se você quer dizer algo mais, o espaço é seu. Por favor, deixe uma mensagem para seus fãs brasileiros.

Jeff Scott Soto / Obrigado a você e todos interessados nesta minha louca carreira.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Metallica: Perguntas, respostas e curiosidades diversasMetallica
Perguntas, respostas e curiosidades diversas

Simplicidade é para os falsos: o nome de banda mais complicado do mundoSimplicidade é para os falsos
O nome de banda mais complicado do mundo


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin