Em 20/01/1983: Def Leppard lança o "Pyromania"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Até o dia 20 de janeiro de 1983, quando o DEF LEPPARD lançou seu terceiro álbum, “Pyromania”, a banda bretã só queria – confessamente – ser o próximo LED ZEPPELIN. Basta ver o nome.

770 acessosConsequence of Sound: 10 discos de Hair Metal que "não são ruins"5000 acessosMegadeth: Dave explica por que não tocar "The Conjuring"

Mas daí o produtor ROBERT JOHN ‘MUTT’ LANGE, que trabalhara no segundo disco do grupo, “High N’ Dry”, de 1981, decidiu tentar algo novo. Ele acrescentou MUITOS elementos digitais ao rock tradicional da banda, afiou as harmonias pop deles, e filtrou tudo isso através de um processador que, no fim das contas, tornou-se um sexto membro do Def Leppard.

O retorno foi imediato. Graças à MTV, três das músicas do álbum receberam execuções constantes: ‘Photograph’, ‘Foolin’ e ‘Rock of Ages’. E a banda subiu imediatamente das rádios especializadas em hard rock para as estações populares. Não é difícil de se descobrir o porquê: “Pyromania” é repleto de ‘ganchos’ [especialmente em ‘Photograph’, uma das canções mais bem produzidas do período], elaborados para exposição plena. Eles foram literalmente desenhados pra isso.

Os dois primeiros álbuns da banda – “High N’ Dry” e o disco de estreia, “On Through The Night”, de 1979, mal romperam a barreira do Top 40 nas paradas e quase não romperam a dos 50, respectivamente. Os sucessos de “Pyromania” catapultaram o disco para o #2 posto da Billboard [ameaçando ‘Thriller’, de Michael Jackson], sendo que o álbum do Def Lep já passou dos 10 milhões de discos vendidos desde então. Os três grandes singles todos chegaram ao Top 40, com mais outras quatro faixas recebendo bastante atenção das rádios também. Missão cumprida.

Você também pode culpar ao Def Leppard por todas as outras bandas preguiçosas de pop metal que brotaram na metade dos anos 80. De repente, os sintetizadores e refrões grudentos estavam por todo canto. Claro, quase ninguém faria isso tão bem quanto eles o fizeram em ‘Pyromania’ e em seu questionavelmente superior sucessor, ‘Hysteria’, de 1987. Não se percebia na época, mas o Def Leppard mudara a maneira que as bandas de rock faziam música e a sonoridade da música pop em geral. Basta ligar seu rádio e tirar a prova.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 20 de janeiro de 2015
Post de 20 de janeiro de 2016
Post de 20 de janeiro de 2017

Guns N RosesGuns N' Roses
Até agora, a banda que mais faturou com shows em 2017

770 acessosConsequence of Sound: 10 discos de Hair Metal que "não são ruins"985 acessosGanhos: veja quanto algumas bandas faturaram com shows recentes2252 acessosDef Leppard: edição deluxe celebra 30 anos do álbum "Hysteria"1065 acessosDef Leppard: nunca mais lançarão álbuns como o "High and Dry"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Def Leppard"

CuriosidadeCuriosidade
Capas de álbuns com ilusões de ótica

Deep PurpleDeep Purple
Phil Collen na contracapa de Made In Japan?

Rock Hall Of FameRock Hall Of Fame
25 bandas que ainda precisam ser nomeadas

0 acessosTodas as matérias da seção Fatos Importantes0 acessosTodas as matérias sobre "Def Leppard"

Dave MustaineDave Mustaine
"Joguei dois feitiços em pessoas, ambos funcionaram!"

DoorsDoors
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Mascotes do MetalMascotes do Metal
Os dez maiores segundo The Gauntlet

5000 acessosDébil Metal: quando os fãs assustam os ídolos5000 acessosCapas de álbuns: algumas curiosidades e histórias5000 acessosZakk Wylde e Dave Grohl: A treta por causa de canções para Ozzy5000 acessosMetallica: James dividido sobre uso de suas músicas em torturas5000 acessosLemmy Kilmister: A vida dele fazia Keith Richards parecer uma menininha5000 acessosMotorhead: a gafe nazista de Lemmy em Nuremberg

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online