Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemSummer Breeze Open Air Brasil acontece em abril de 2023 em São Paulo

imagemLady Gaga: "o Iron Maiden mudou a minha vida!"

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemAlice Cooper diz que em sua equipe "todo mundo é tratado como a banda"

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemDavid Bowie recusou (mais de um) convite para produzir o Red Hot Chili Peppers

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemDave Mustaine cutuca Kiss e bandas "preguiçosas" que usam playbacks


Stamp

Paganini e o Heavy Metal: a onipresença do "Capriccio nº 24" no Heavy Metal

Por Bruno Rocha
Em 01/10/16

Certo dia estava eu em casa ouvindo o álbum "The Four Seasons Of Life", o primeiro álbum solo do então guitarrista do HELLOWEEN Roland Grapow. Durante um trecho do solo da música "The Winner", meu irmão chega e fala: "Isso é um plágio de 'Angels Cry', do ANGRA!".

Eu sabia que aquilo não era um plágio, até porque aquela frase de guitarra me soava familiar, e mais ainda, não era nada original do shreder Roland Grapow, muito menos de Kiko Loureiro, Rafael Bittencourt ou de qualquer outro guitarrista contemporâneo. Identifiquei padrões clássicos ali. Com o passar do tempo notei que aquela mesma frase de guitarra aparecia em outras músicas de outras bandas. Com minha mente ficando aberta a novas experiências musicais, descobri de fato do que se tratava a dita frase de guitarra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nicolo Paganini foi um virtuoso violinista que viveu entre os séculos XVIII e XIX e que foi o maior da sua época, cravando seu estilo como base para as abordagens modernas de violino. É celebrado por ser um dos violinistas mais técnicos da história. Esse fato, ao lado de seu comportamento esculhambado e de sua postura fria, lhe rendeu a fama de "Violinista do Diabo". Sua obra-prima "24 Capricci Per Violino Solo" é um conjunto de 24 peças para violino divididas em três grupos de 6, 6 e 12. Seus "Capricci" são tomados como base de diversas composições de vários artistas, principalmente o "Capriccio nº 24". O Heavy Metal, gênero que absorve muito bem influências do clássico, não me deixa mentir.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Dois exemplos já foram introduzidos no começo da matéria: ANGRA e ROLAND GRAPOW. Com o seu debut "Angels Cry", de 1993, o ANGRA resolveu inovar dentro do Power Metal ao somar elementos de música brasileira e também do clássico. Confira o trecho clássico mais ubíquo do Heavy Metal na versão da faixa-título presente no vídeo abaixo.

Já Roland Grapow (MASTERPLAN, LEVEL 10, ex-HELLOWEEN, SERIOUS BLACK) é um nome mais que conhecido no lado melódico do Metal. Em 1997 ele lança seu primeiro álbum-solo "The Four Seasons Of Life", trazendo toda a sua técnica e suas influências neo-clássicas. O trecho de "Capriccio nº 24" de Paganini é executado na faixa nº 2 do álbum, "The Winner", que conta com a participação do também renomado guitarrista AXEL RUDI PELL. Ouça à seguir.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Falando de música clássica e Heavy Metal, não podemos deixar de citar YNGWIE J. MALMSTEEN, o pai do Metal Neo-Clássico, gênero com músicas predominantemente instrumentais onde os guitarristas derramam toda a sua técnica em solos e músicas calcadas em bases clássicas. É notório que Yngwie tem como uma de suas principais influências Nicolo Paganini. No seu álbum "War to End All Wars", de 2000, a faixa nº 1 "Prophet Of Doom" traz o conhecido trecho do "Capriccio nº 24". Confira abaixo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Saindo da gélida Suécia e indo mais para o Leste e rumo para mais frio ainda, chegamos à Rússia, terra de algumas das melhores e mais subestimadas bandas de Heavy Metal do planeta. A banda ARIA, o conhecido "Iron Maiden russo", lança em 1989 um clássico de sua extensa discografia, "Igra S'Ognyom" (Playing With Fire). A faixa-título conta a história de um violinista que é baseada na de Paganini, o "Violinista do Diabo". O riff inicial da música é exatamente um trecho do "Capriccio nº 24". Veja e ouça na versão à seguir um dos melhores épicos do Heavy Metal, e aproveite para conhecer o ARIA, se você ainda não teve esse prazer. Note também os hologramas acima do palco, onde um violinista encarna o Cramulhão.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ainda na Rússia, a banda de Heavy/Power Metal GRAN-KURAZH lança em 2008 o álbum "Navoy Nadejdi Svet" (Light Of New Hope). A faixa nº 11 do álbum se chama exatamente "Skripka Paganini" (Violin Of Paganini). Depois do solo do teclado e de uma curta ponte, entra o famoso trecho do "Capriccio nº 24". Ouça!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para a saideira separei uma versão somente com guitarra, sob responsabilidade do guitarrista russo (Rússia de novo?) Sergey Gorbunov. Este, em 1994, lança o EP "Sataniskye Pecii" (Satanic Play), sob o nome de sua banda ROCK SYNDROM. A faixa nº 2 é a sua versão, bastante personalizada, diga-se de passagem, do "Capriccio nº 24" de Paganini.

Há muitas outras "Capricci" de Paganini revisitadas por bandas de Heavy Metal. Porém, a de nº 24 é com certeza a mais onipresente. Consegue lembrar de mais alguma música com um trecho deste clássico?

Mais informações sobre Paganini e sua presença no Heavy Metal podem ser consultadas no link abaixo:

http://www.territoriodamusica.com/rockonline/noticias/?c=39118

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Angra e Detonator: "Sem nenhuma dúvida, esse cara comprou a mídia!"


Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Bruno Rocha

Cearense de Caucaia, professor e estudante de Matemática, torcedor do Ferroviário e cafélotra. Entrou pelas veredas do Heavy Metal na adolescência e hoje é um aficionado e pesquisador de todos os gêneros mais tradicionais desta arte e de suas épocas. Tem como forte o Doom Metal, não obstante o sol de sua terra-natal.

Mais matérias de Bruno Rocha.