Matérias Mais Lidas

imagemCinco discos de heavy metal para ouvir sem pular nenhuma faixa

imagemTitãs: traído, o baterista destruiu o quarto; Paulo Ricardo viu na TV a traição

imagemMarko Hietala anuncia retorno ao mundo da música e fãs pedem volta ao Nightwish

imagemWandinha, da Netflix, resgata banda icônica do Rock em canção com letra sacana

imagemO maior álbum de todos os tempos, na opinião do saudoso Ronnie James Dio

imagemMetallica: se você achou caro o pacote do Titãs, fuja dos preços da turnê de Hetfield & Cia

imagemO curioso ritual do Fleetwood Mac antes de subir ao palco, revelado por Christine McVie

imagemEx-vocalista do Mötley Crüe não bota fé na aposentadoria de Mick Mars

imagemTony Iommi não queria mandar Ozzy Osbourne embora, mas demissão foi inevitável

imagem"Não há reunião do Pantera sem Vinnie e Dime", afirma espólio de Vinnie Paul

imagemIggor Cavalera diz que o metal às vezes é muito conservador

imagemFãs não perdoam e reclamam da bateria de Lars Ulrich em novo single do Metallica

imagemJohn Lennon sentia que seu filho Julian "queria que Paul McCartney fosse seu pai"

imagemA bonita homenagem que Angra fará a Andre Matos em novo álbum, segundo Fabio Lione

imagemKiko Zambianchi foi proibido de ir no Silvio Santos após apresentador errar seu nome


Stamp
Summer Breeze

Dinnamarque: divertindo, surpreendendo e impressionando em segundo disco

Resenha - Darkside of Human Nature - Dinnamarque

Por Victor de Andrade Lopes
Postado em 01 de janeiro de 2022

Nota: 9

Em 2020, celebramos o disco de estreia do quarteto mineiro de heavy metal Dinnamarque (liderado pelo vocalista e baixista Rafael Dinnamarque), que veio após quase 20 anos de estrada do grupo. Como que para compensar toda essa espera, 2021 nem acabou e a banda ataca novamente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E põe ataque nisso! The Darkside of Human Nature, segundo lançamento dos rapazes, vem com tanta força que até assusta. Não que a estreia One Spirit of a Thousand Faces fosse ruim - muito pelo contrário -, mas este álbum aqui deu um salto em qualidade a ambição que raramente se vê na cena independente do metal nacional.

Se o trabalho anterior era simplesmente heavy metal tradicional com toques de power metal, agora o grupo assume este último como rótulo e ainda investe em orquestrações, teclados mais participativos e riffs mais dinâmicos.

A abertura épica e autointitulada dá o tom dessa empreitada, mas até faixas mais breves como "In the Water", "Sacrifice" e "Rise of Fools" não deixam os elementos sinfônicos de lado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quer algo mais cru? A matadora "House of Madmen" não tem quase nada além de voz, guitarra, baixo e bateria. Quer um respiro? "Chains of Misery" é o mais próximo de uma balada que a obra tem. Quer uma surpresa? "El Matador" chega com um imprevisível clima... hispânico! Com trombetas, guitarra flamenca, castanholas e tudo. Eu não sei o que os caras estavam pensando quando resolveram fazer isso, mas foram muito felizes.

Se o disco de estreia fazia do Dinnamarque um nome "promissor", The Darkside of Human Nature os consolida como destaque nacional e já impõe um nível bem alto a ser atingido no próximo lançamento.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Abaixo, a faixa "Out of Control".

FONTE: Sinfonia de Ideias
https://sinfoniadeideias.wordpress.com/2021/12/31/resenha-the-darkside-of-human-nature-dinnamarque/

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Samael Hypocrisy


[an error occurred while processing this directive]
[an error occurred while processing this directive]
[an error occurred while processing this directive]

Históricas: Fotos de encontros inusitados entre rockstars

Raul Seixas: O clássico inspirado em Dylan que driblou censura e criticou Roberto Carlos


Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes.