Sagrado Inferno: debut Bíblia do Diabo fez valer a longa espera

Resenha - Bíblia do Diabo - Sagrado Inferno

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mário Pescada
Enviar Correções  

8

Formada em 1983 em Belo Horizonte, o SAGRADO INFERNO chegou a dividir a cena metal da capital mineira ao lado de grupos como SEPULTURA, SARCÓFAGO, MUTILATOR, OVERDOSE e outros, uma época bem rica e que marcaria gerações para sempre.

Black Metal: cinco bandas do lado depressivo do satanismo

Exemplos: 10 músicos com deficiências ou problemas de saúde

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em 1984, gravaram uma demo, porém, em 1987, aconteceu um acidente fatal com o guitarrista Silvinho, ocasionando a dissolução do grupo pouco depois.

O tempo foi passando, as coisas foram se acertando e então a banda ressurge para, enfim, gravar e lançar seu debut, o bom "Bíblia do Diabo" (2019), pela Cogumelo Records.

A banda, que canta em português e leva som menos veloz do que seus antigos conterrâneos, manteve seu som carregado de peso. Tem gente que chama de heavy, outros de doom, mas a banda mesma se bem rotulou como "metalzão brasileiro".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Todos os músicos mandam bem em seus instrumentos, um trio da pesada que não precisa de virtuosismo para cativar o ouvinte. Markin (guitarra/vocais), apesar da pouca idade, tem tudo para se tornar um grande frontman do metal nacional: bons vocais, bases criativas e solos bem encaixados.

Uma última curiosidade sobre os músicos: Marquinhos (baterista) é o único membro da formação original que ficou na banda e é pai de Markin e Lucas (baixo).

A gravação é outro ponto alto: baixo e bateria, apesar de destacados, não competem com a guitarra e os vocais, e vice-versa, dá para ouvir bem todos os instrumentos.

Os destaques vão para a pulsante "Feiticeira", "Pena de Morte" com seu baixo marcadão, "Devorador de Almas" com tempos de bateria mais quebrados, "Codex Gigas (Bíblia do Diabo)" que você canta junto o refrão, "Laranja Mecânica" que termina numa grande e viajante jam session e a bônus "Perseguição", conhecida faixa do underground e já regravada pela também mineira WITCHHAMMER no seu disco "Ode To Death" (2006).

Demorou um bocado, mas "Bíblia do Diabo" (2019) fez valer a longa espera e merece ser ouvido por qualquer um que goste de um som pesado e honesto.

O disco pode ser adquirido na loja virtual da Cogumelo Records.

Confira o clipe para a faixa "Sua Doença Não Tem Cura".

Formação:
Markin: guitarra/vocais
Lucas: baixo
Marquinhos: bateria

Faixas:
01 Feiticeira
02 Pena de Morte
03 Estupro Mental
04 Devorador de Almas
05 Codex Gigas (Bíblia do Diabo)
06 Ataque Terrorista
07 Sua Doença Não Tem Cura
08 Bicho Homem
09 Laranja Mecânica
10 Sagrado Inferno (bônus)
11 Perseguição (bônus)
12 Vida Macabra (bônus)




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Black Metal: cinco bandas do lado depressivo do satanismoBlack Metal
Cinco bandas do lado depressivo do satanismo

Exemplos: 10 músicos com deficiências ou problemas de saúdeExemplos
10 músicos com deficiências ou problemas de saúde


Sobre Mário Pescada

Mineiro, leitor compulsivo, ouvinte de todas as vertentes do rock - do blues ao grindcore. Valoriza mais a honestidade e entrega em cima do palco do que a técnica. Guarda os flyers dos shows que vai como se fossem relíquias.

Mais matérias de Mário Pescada no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline WhipDin