Nightwölf: não é do Mortal Kombat, mas faz o Heavy ganhar de Fatality

Resenha - Unleash the Beast - Nightwölf

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Willba Dissidente
Enviar correções  |  Ver Acessos

A fera rompeu as correntes e vai sedenta atrás dos detratores do Metal! Com clima medieval, "Unleash the Beast", primeiro EP do NIGHTWÖLF, é True Metal com influências de Thrash, Speed, Hard Rock Setentista e Extremo; mas sem sair da seara do tradicional. Formada em 1987, perdão, 2017, em Brasília, Distrito Federal, e notadamente influenciada pelo JUDAS PRIEST do "Painkiller", com produção lembrando Cris Tsangarides em diversos momentos, a banda apresenta um registro sem modismo ou concessões que fará a alegria dos heabangers que curtem em especial o finalzinho dos anos 1980 e começo da década de 1990.

Cults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendasReligião: os rockstars que se converteram

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sabe aquele disco que quase todas as músicas irrompem com riff devastador de guitarra e tem um solinho ardido logo de cara, estilo "Rock You To Hell" do GRIM REAPER? Ou onde o mais moderno que se ouve são os timbres de guitarra e os bumbos duplos estilo PRIMAL FEAR ou o ACCEPT atual? E que o vocalista é certeiro e canto bem alto como no JUDAS PRIEST? Adicione uma dobra de guitarra, à la IRON MAIDEN aqui, um andamento influenciado no MANOWAR ali e uma dose de identidade própria. Em suma, o som do NIGHTWÖLF, totalmente gravado (em parceria com Wa Farias) e composto pela própria banda (exceto a intro em parceria Ricelly Lopez) é o bom e velho Heavy Metal preservado, registrado com a qualidade de hoje para as gerações futuras.

Exuberante, ágil e forte, o EP abre com a introdução "Lua e Sangue" (em tradução livre) e do som épico e medieval vêm um duelo de guitarras dobradas para a Fera começar seu banquete em nome do Metal. Na faixa-título já se nota um baixo bem pesado, que segue por todo o disco, de fundo aliado a vocais cantados em notas altas e solos com arpejos em que cada guitarra faz sua mágica de cada vez. "Shadowmaker" segue a mesma fórmula com algumas alterações: as virada a de bateria marcando os riffs, a parte meio "Wasted Years" do IRON MAIDEN antes do solo e talvez o refrão que será cantado com maior empolgação ao vivo e com certeza as linhas de baixo mais notórias. "Perpetual Crime", guardem esse nome, é a faixa mais oitentista do disquinho e destaque absoluto. Aqui foi usado aquele recurso do refrão sendo tocado em fade out para se encerrar a canção.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Estamos chegando à reta final de "Unleash the Beast", mas uma conclusão saltará aos ouvidos mais atentos. Os cinco integrantes da banda tem habilidade técnica acima da média, mas o que contou mesmo para o disco ser tão legal foi o bom gosto e a finesse das composições. "Halls of Hell", "Drops do Inferno" em tradução livre, é ainda mais cadenciada que a faixa anterior, mas mantém a característica do bumbo-duplo (de fato, esse som tem a levada de bateria mais bacana do CD) e das duas guitarras solando distintamente nesse estilo de True Metal cantado em inglês. Refrão mais épico do presente trabalho em meio aos riffs mais inspirados do disco fazem de "Holy Machine" um fechamento perfeito para esse álbum que não deixou a desejar por um momento sequer.

Fonte: Metal-Archives
Fonte: Metal-Archives

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É impossível não ver a capa belíssima de Bebeto Daroz de um lobisomem com visual headbanger destruindo um castelo medieval, com direito a guerreiros armado e magos, e esse não ser um disco que é o mais Heavy Metal possível. Exatamente "Unleash The Beast" o é e faz jus à capa. A única dúvida é se existem inscrições ou mensagens subliminares nas muralhas que a fera destrói ao se libertar. Não há ceticismo ou descrença que os brasilienses estão inspirados e tem em mãos um material mais forte que o guerreiro homônimo do Mortal Kombat. Fatality em prol do Heavy Metal!

Recomendado para fãs de: TROPA DE SHOCK, COMANDO ETÍLICO, BATTALION, BREAKOUT, SWEET DANGER, HAZY HAMLET.

Quem quiser comprar o CD deve enviar um e-mail para [email protected] ou contatar o grupo nos links listados no final. "Unleash the Beast" vem em formato papersleeve (como se fosse um mini-lp) e CD original de mídia prateada prensada e pode ser adquirido por R$ 10,00 mais o frete. Inclusive, só não ganhou nota 10 porque faltou um encarte com as letras das músicas e fotos da banda.

Além do CD físico, "Unleash the Beast" pode ser ouvido em diversas plataformas musicais como Spotify, Youtube, Deezer etc.

NIGHTWÖLF:

Jack Znake - Vocals.
Adan Hessen - Guitarra.
Roan Rafael - Guitarra.
Guilherme de Almeida - Baixo.
João Videira - Bateria.

Discografia:

Halls of Hell (Single, Digital, 2019).
Unleash the Beast (EP, cd, 2020)

Unleash the Beast - Nacional - Independente - 26 minutos.

01 . Lunam et Sanguis (Intro-Instrumental) (01:19).
02 . Unleash the Beast (05:03).
03 . Shadowmaker (04:32).
04 . Perpetual Crime (04:21).
05 . Halls of Hell (05:09).
06 . Holy Machine (05:17).

Site relacionado:
https://nightwolfmetal.bandcamp.com/




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Nightwölf"


Cults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendasCults
10 álbuns influentes que fracassaram nas vendas

Religião: os rockstars que se converteramReligião
Os rockstars que se converteram


Sobre Willba Dissidente

Willba Dissidente é fã das bandas de hard rock dos anos 70 e 80 e de metal oitentista dos mais variados países. Quem quiser saber mais deve acessar seu canal no youtube. Obrigado! Stay Hard (True As Steel)!

Mais matérias de Willba Dissidente no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280