D.A.D.: volta às suas raízes em novo trabalho

Resenha - A Prayer for the Loud - D.A.D.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Anderson Pulegio
Enviar Correções  

8

Eu ainda me lembro quando ouvi pela primeira vez estes dinamarqueses do D.A.D, quando ainda se chamavam Disneyland After Dark e lançaram os dois primeiros álbuns "Call of the Wild" e "Draws a Circle", onde o som desta banda era muito difícil de rotular, pois o som era uma espécie de "cowpunk", quase nada de Hard rock, talvez apenas em uma ou outra faixa, mas era e ainda é difícil de definir o estilo da banda naqueles tempos. Depois veio o álbum "No Fuel Left for the Pilgrims" onde a banda foi para o lado mais Hard rock, mas ainda preservando alguns elementos de outrora, e também assim fizeram no seguinte álbum "Riskin' It All".

O tempo, ah o tempo!: rockstars nos anos oitenta e hojeHomossexualidade: Alguns dos gays mais conhecidos no rock

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A banda lançou vários álbuns desde então, inclusive um mais pesado "Helpyourselfish" e outros onde a banda sempre mostrou uma personalidade própria, não comparável a nenhuma banda por aí.

A banda é gigante na Dinamarca, mas pouca conhecida no Brasil infelizmente, bom, felizmente eu conheço essa banda a um bom tempo e escrevendo este review, espero ver mais pessoas conferindo o som do D.A.D.

Neste novo álbum a banda está soando muito energética, lembrando mais "No Fuel Left for the Pilgrims" e "Riskin' It All", com faixas com sonoridade bem rock n' roll, sleaze, muito bem produzido, como uma espécie de Motorhead , AC/DC, Aerosmith, mas com o toque especial do estilo D.A.D. dos primórdios que já mencionei ser difícil de rotular, as faixas "Burning Star" e "Nothing Ever Changes" mostram bem isso.

Uma sonoridade mais suja, mas ao mesmo tempo acessível pode ser ouvida na "The Real Me". Temos a boa balada "A Drug for the Heart", outros destaques são as "Time is a Train" e "Happy Days in Hell", esta última uma das minhas favoritas.

Estou feliz em ver que a banda voltou a suas raízes neste novo trabalho, eles são músicos realmente talentosos, a banda não tem um som para qualquer um, mas quanto mais você ouve, mais você consegue absorver a música do D.A.D. mais ela cresce em você.

Fonte:
https://ontheroadmetal.blogspot.com/ -




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


O tempo, ah o tempo!: rockstars nos anos oitenta e hojeO tempo, ah o tempo!
Rockstars nos anos oitenta e hoje

Homossexualidade: Alguns dos gays mais conhecidos no rockHomossexualidade
Alguns dos gays mais conhecidos no rock


Sobre Anderson Pulegio

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Goo336x280 GooAdapHor