Sepultura: em 1993, banda alcança o topo do mundo

Resenha - Chaos A.D. - Sepultura

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

Não há dúvidas que o Sepultura é a maior banda brasileira de metal que já existiu (muito por conta dos seis primeiros lançamentos, é bem verdade). Porém, há pouco mais de duas décadas, o grupo era também um das maiores bandas de metal desse monumento mastodôntico conhecido como Planeta Terra.

A História Impopular dos Rolling StonesCâncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Os primeiros discos trazem um thrash/death rápido, brutal. Não havia muita moda, era porrada atrás de porrada, tudo embalado por uma velocidade absurda. Porém, em 1993, a sonoridade do grupo passou por uma grandiosa mudança: obviamente o peso era a base de tudo, mas começaram a aparecer algumas passagens mais alternativas, batidas tribais, com toques de hardcore e até mesmo da música brasileira. O mundo conheceu o clássico, versátil e fundamental "Chaos A.D.".

Apostando em letras críticas e mudanças marcantes, o Sepultura conquistou o mundo. Até hoje "Refuse/Resist", "Terrytory", "Propaganda", "Slave New World" e "Biotech Is Godzilla" continuam atuais e influenciam músicos mundo afora. Aliás, cabe aqui ressaltar que "Chaos A.D." tem uma importância gigantesca para o surgimento de inúmeras bandas e discos do que anos depois veio a ser chamado de new metal. Vale lembrar também a ótima "Kaiowas", mostrando toda a "brasilidade" da banda".

É claro que o disco conta com outras faixas de destaque, como a quase instrumental "We Who Are Not as Others", "Nomad", "Manifest" e o cover sensacional para "The Hunt", do New Model Army.

"Chaos A.D." abriu as portas para o Sepultura chocar e conquistar de vez o mundo. Poucas vezes o universo da música presenciou algo tão pesado, original e bem feito quanto o material apresentado no disco lançado em 1993.

Anos depois, o Sepultura mostraria com "Roots" que estava preparado para se consagrar como a maior potência sonora do planeta, mas como todos sabem, as coisas não funcionaram tão bem.

De qualquer forma, o legado da banda ficou escrito, e atualmente, os membros restantes se esforçam para manter o nome em evidência. Podem fazer um bom trabalho, mas nenhum chegará perto do impacto causado por "Chaos A.D.", um álbum subversivo, pesado e desafiador, já que em 1993 o metal não estava tão em alta.

Uma obra prima que deve ser não apenas ouvida, mas cultuada!

Clássico, necessário, fundamental, obrigatório!

Ano de lançamento: 1993

Faixas:

"Refuse/Resist"
"Territory"
"Slave New World"
"Amen"
"Kaiowas"
"Propaganda"
"Biotech Is Godzilla"
"Nomad"
"We Who Are Not as Others"
"Manifest"
"The Hunt"
"Clenched Fist"

Formação:

Max Cavalera: guitarra/vocal
Andreas Kisser: guitarra
Igor Cavalera: bateria
Paulo Jr. baixo


Outras resenhas de Chaos A.D. - Sepultura

Sepultura: Combinando referências musicais dos fãs de todo o mundoSepultura: 21 anos do mais puro Caos do Terceiro MundoSepultura: os paradigmas quebrados por "Chaos A.D."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Sepultura"


Sandy: O filho dela, Theo, gosta de SepulturaSandy
O filho dela, Theo, gosta de Sepultura

Hard & Metal: dez músicas que soam melhor ao vivoHard & Metal
Dez músicas que soam melhor ao vivo


A História Impopular dos Rolling StonesA História Impopular dos Rolling Stones

Câncer na língua: entenda a doença de Bruce DickinsonCâncer na língua
Entenda a doença de Bruce Dickinson


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

adGoo336