Rival Sons: mais sereno sem perder a identidade

Resenha - Feral Roots - Rival Sons

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Andrew Alves
Enviar correções  |  Ver Acessos

Pouco mais de dois anos após o lançamento de "Hollow Bones" o novo disco do RIVAL SONS é recebido pelo público.

Slipknot: Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscaraMegadeth: Pepeu Gomes comenta convite para tocar na banda

O novo álbum da banda norte americana RIVAL SONS fora lançado na última sexta (25). O disco intitulado "Feral Roots" é o sexto trabalho de estúdio da banda que mescla blues e rock. Ainda que exista selvageria em alguns riffs do atual trabalho é nítida a placidez com relação ao disco antecessor "Hollow Bones" lançado em junho de 2016.

Essa mescla entre o peso e a suavidade sonora sempre se fez presente nos trabalhos de estúdio do grupo, mas em "Feral Roots" a sonoridade leve se sobrepôs. Ainda que músicas mais agitadas façam parte do novo álbum, (caso de "Do your worst", "Sugar on the bone" e "Back in the woods") o sexto disco dos "filhos rivais" se destaca por músicas com instrumental leve e uma voz majestosa de Jay Buchanan.

A faixa-título certamente é o ápice do disco. Com uma pegada soturna e avassaladora a canção prende o ouvinte do início ao fim, seja pelas viradas de bateria de Michael Miley, ou os incríveis riffs de guitarra de Scott Holiday.

O disco ganha destaque para os backing vocals, sempre usado nos discos do grupo. Contudo, dessa vez vocais de apoio feminino foram usados "Back in the woods", "Stood by me", "Imperial joy" e "Shooting stars", destaque para a última canção citada que remete à sonoridade de canções tocadas em cultos protestantes nos Estados Unidos, uma espécie de "louvor" do blues rock da banda. A faixa possui uma capacidade tocante de arrepiar, mostrando a força do RIVAL SONS.

O som "setentista" da banda ainda está presente, não como em faixas como, "Torture", "Pressure and time" e "Eletric man" que o fizeram ganhar reconhecimento mundial ao ponto de abrir a turnê final da banda criadora do heavy metal, BLACK SABBATH.

Se você é um fã dos primórdios sabe que a sonoridade modificou-se, mas a identidade ainda permanece, caso seja um fã recente esse será um bom álbum para desfrutar.

Por ser um trabalho levemente inferior aos dois últimos álbuns, minha avaliação geral para o novo disco do RIVAL SONS é de uma nota 8.

Abaixo você pode conferir as faixas do álbum "Feral Roots".

1 - Do Your Worst
2- Sugar on the Bone
3 - Back in the Woods
4 - Look Away
5 - Fearl Roots
6 - Too Bad
7 - Stood by me
8 - Imperial Joy
9 - All Directions
10 - End of Forever
11 - Shooting Stars


Outras resenhas de Feral Roots - Rival Sons

Rival Sons: com disco impressionante, banda grava melhor trabalho




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Rival Sons"


Alice In Chains: as bandas que estão mantendo o rock vivo, segundo elesAlice In Chains
As bandas que estão mantendo o rock vivo, segundo eles

Roger Glover: Greta Van Fleet e Rival Sons seriam enormes nos 70sRoger Glover
Greta Van Fleet e Rival Sons seriam enormes nos 70s


Slipknot: Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscaraSlipknot
Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscara

Megadeth: Pepeu Gomes comenta convite para tocar na bandaMegadeth
Pepeu Gomes comenta convite para tocar na banda


Sobre Andrew Alves

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336