Matérias Mais Lidas


Stamp

Foo Fighters: Começando bem os anos 2000

Resenha - One by One - Foo Fighters

Por Vitor Sobreira
Postado em 16 de janeiro de 2019

O Foo Fighters chegou ao seu quarto álbum de estúdio quase que nos momentos finais de 2002, certamente calando a boca daqueles que pensavam que a banda ainda se tratava de um mero projeto de Dave Grohl. Se alguém realmente pensava isso, naquela altura do campeonato, estava bem enganado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Dentre as curiosidades do trabalho, estão a participação do lendário guitarrista do Queen, Brian May, em "Tired of You" e o fato da banda ter conquistado novamente o Grammy de ‘Melhor Álbum de Rock’. Nada mal, hein?!

A arte de capa pode ser horrorosa, mas em compensação as músicas são muito boas e o álbum se inicia muitíssimo bem com as pesadas "All My Life" e "Low", e se você não sabe o que é Rock Made in USA, poderá ter uma breve noção. Ah, repare também no bom trabalho de guitarras e no vocal de Dave – devidamente acompanhado de músicos muito competentes!

Pra quem não está muito habituado a ouvir bandas nessa linha, ou mesmo a banda que é tema do texto – como eu mesmo – não é difícil notar que a sonoridade do Foo Fighters, mesmo que se baseando em supostos elementos do Grunge, do Pop, do Rock ou do Alternativo, não se prende exclusivamente a isso, sempre acrescentando um pouco mais aqui e ali. Ainda que possa soar comercial onde deve ser (um dos fatores que fez com que alçassem ao sucesso mundial), a banda se foca em criar composições de qualidade que agreguem algo válido ao seu publico, diferentemente de tantos artistas e seus sons descartáveis.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

O equilíbrio começa em "Have it All" e a radiofônica "Times Like These", onde o peso não é deixado de lado, mas momentos mais acessíveis vão surgindo sem nenhum constrangimento. "Disenchanted Lullaby" surge com um ritmo mais contido e aura viajante, mas com Dave empregando um pouco mais de drive em sua voz. Confesso que fiquei curioso pra ouvir a participação de Brian May em "Tired of You", e soou o mais natural e entrosada possível!

Quase nunca abrindo mão da acessibilidade, "Halo" não fica nessa mesmice e logo nos providencia riffs mais fortes e boas melodias no refrão, e é seguida pela ótima "Lonely as You". A audição vai passando rápido e logo nos pegamos chegando na reta final com o Rock encorpado e energético de "Overdrive", a boa "Burn Away" e a longa e trabalhada "Come Back", com seus quase oito minutos, que do mesmo jeito que o trabalho se iniciou muito bem, termina da mesma maneira, sem tirar nem pôr.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

Mais uma audição no mínimo surpreendente!

Formação:
Dave Grohl (vocal, vocal de apoio, guitarras e piano em "Come Back")
Chris Shiflett (guitarras)
Nate Mendel (baixo)
Taylor Hawkins (bateria e percussão)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

Outras resenhas de One by One - Foo Fighters

Resenha - One By One - Foo Fighters

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze 2024

Perc3ption: a arte levada ao extremo

Resenha do Álbum do Insânia ao vivo no Underground Nativa III

Sentença de Morte: Death Metal para quem curte Death Metal bem executado

Triumph Of Death, projeto de Tom Warrior, resgata ao vivo parte do passado do Hellhammer

Spiritual Cramp acerta a fórmula, mas álbum satura em 26 minutos

Estreia do Superbloom traz de volta o grunge protagonista dos anos 1990

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Osbourne: pesado, mas antes de tudo moderno

Resenha - Dark Side of The Moon - Pink Floyd

Resenha - Vovin - Therion

Resenha - P.U.L.S.E. - Pink Floyd


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.
Mais matérias de Vitor Sobreira.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS