Eleven Strings: Sendo versátil sem perder a essência

Resenha - AEON - Eleven Strings

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Renan Soares
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

No fim do ano de 2017, a banda paulistana Eleven Strings lançou em formato físico o disco "AEON", segundo do seu repertório, sucedendo o "Chaos and Creation". De início, a banda vem lançando as músicas desse novo trabalho aos poucos em seu canal oficial do youtube. Por enquanto, além do youtube, o álbum está disponível para audição através de vendas da versão física com a própria banda.

Uruca: Os 9 mais azarados da história do RockSupergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O "AEON" veio com uma sonoridade um pouco mais diferenciada do seu antecessor, mas ainda mantendo a pegada progressiva dos mesmos, tendo apenas o "versatilizado" um pouco e arriscado umas coisas diferentes.

Logo nas três primeiras faixas do álbum, já somos contemplados com três músicas que possuem sonoridades distintas uma das outras. Em "Titan Blood" o grupo já começa ousando se utilizando de vocais guturais (técnica que também esteve presentes em outras faixas do disco, como "Scars" e "Senseless"), coisa que você não vê presente em nenhum momento do "Chaos and Creation", tornando essa a música mais pesada do trabalho.

Em seguida, temos a faixa "Into The Ocean", onde é adotado uma pegada mais leve, indo a contraponto da primeira faixa, e se aproximando mais da sonoridade do primeiro disco.

A faixa "Maskerade" é uma a qual mais destaco do trabalho por conta da sua ideia de colocar elementos do tango dentro do metal progressivo, e o resultado saiu bastante satisfatório, sendo em minha opinião, uma das melhores músicas do disco.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Faixas como "Black Mirror", "The Maestro of Time", "Omega Theory" e "Ghosts" se aproximam mais da sonoridade encontrada em boa parte do primeiro, mas juntando também com o peso a mais que a banda se propôs a colocar nesse novo trabalho, tendo o adicional de guturais em algumas partes.

No mais, o Eleven Strings conseguiu fazer um ótimo trabalho no disco "AEON", conseguindo inclusive, superar o "Chaos and Creation", nesse novo trabalho, a banda foi versátil sem perder a essência, explorou outras áreas músicas e teve êxito, principalmente o vocalista "Evandro Braito" (que infelizmente, deixou a banda pouco tempo após a conclusão do álbum).

Para aqueles que ficaram curiosos em conferir o novo trabalho da banda, eu super recomendo, e garanto que não se decepcionarão.

TRACKLIST:

1- Titan Blood
2- Into the Ocean
3- Maskerade
4- Fenrir
5- Black Mirror
6- Scars
7- The Maestro of Time
8- Senseless
9- Hybrid Existence
10- Omega Theory
11- Ghosts




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Eleven Strings"


Uruca: Os 9 mais azarados da história do RockUruca
Os 9 mais azarados da história do Rock

Supergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal HammerSupergrupos
Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer


Sobre Renan Soares

Nascido em Recife no dia 03 de novembro de 1994, Renan adentrou ao mundo do rock/metal a partir dos 13 anos de idade e até hoje permanece fielmente no mesmo. Desde que se formou em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco, tem se dedicado a conseguir dar a relevância merecida ao nome do estilo.

Mais matérias de Renan Soares no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280