Sonata Arctica: Relançamento de "The Days of Gray"

Resenha - Days of Gray - Sonata Arctica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

No final dos anos 90, mais especificamente em 1999, quando o metal melódico saia de seu auge, e já começava a dar sinais de desgaste, uma banda finlandesa despontou, lançando dois álbuns maravilhosos em sequência (“Ecliptica” e “Silence”), dando um novo gás para o estilo, e tornando um de seus nomes mais importantes nos anos seguintes. Todavia, o SONATA ARCTICA acabou se perdendo no caminho ao buscar mudar bruscamente sua sonoridade e criar um estilo próprio, chegando ao fundo do poço com o tenebroso “Unia”. E “The Days of Gray” (que agora retorna ao mercado nacional via Shinigami Records) marca uma tentativa da banda de resgate à sua sonoridade original, após o fracasso do disco anteiror.

149 acessosMetallica: "Fade To Black" em oito diferentes estilos5000 acessosGuns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Mantendo uma pegada mais densa, lenta e obscura, mas sem tantos experimentalismos como no trabalho anterior, “The Days of Gray” é uma obra que, se não resgata a qualidade dos primeiros álbuns da banda, busca recolocá-la nos trilhos. Além disso, o trabalho marcou a saída do guitarrista e fundador Jani Liimatainen, substituído por Elias Vuljanen.

Os destaques ficam para “Deathaura”, cheia de elementos épicos e sinfônicos, e contando inclusive com belos arranjos vocais; e o hit“The Last Amazing Grays”, a que mais se destacou do álbum.

“Flag in the Ground” é outra que vale ser citada, pois mostra bem todas as qualidades da banda , com um grande refrão, e ótimas melodias.

Porém, no geral, o disco é repleto de faixas medianas, que acabam por tornar a audição cansativa, mas que mesmo assim mostra que a banda ainda tinha muita lenha para queimar, o que foi comprovado em seus próximos lançamentos.

Enfim, trata-se de um disco, como dito, de transição, que mostra o SONATA ARCTICA ainda buscando sua sonoridade ideal, ainda experimentando, mas que tem seus bons momentos, e que resgatou grande parte de seus fãs que haviam se decepcionado com “Unia”. Vale a aquisição.

The Days of Grays– Sonata Arctica
(2017 – relançamento – Shinigami Records)

1. Everything Fades to Gray (Instrumental)
2. Deathaura
3. The Last Amazing Grays
4. Flag in the Ground
5. Breathing
6. Zeroes
7. The Dead Skin
8. Juliet
9. No Dream Can Heal a Broken Heart
10. As If the World Wasn t Ending
11. The Truth Is Out There
12. Everything Fades to Gray

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


FinlândiaFinlândia
As dez melhores bandas de Heavy Metal do país

149 acessosMetallica: "Fade To Black" em oito diferentes estilos429 acessosSonata Arctica: vídeo oficial de 3 músicas no Wacken Open Air 2017747 acessosSonata Arctica: vocalista mudou de rádio ao ouvir a sua música0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sonata Arctica"

Depeche ModeDepeche Mode
5 belos covers feitos por bandas de Rock e Metal

Sonata ArcticaSonata Arctica
Finlândia não é o paraíso que muitos pensam

Baladas do MetalBaladas do Metal
Blog elege as mais bonitas de todos os tempos

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Sonata Arctica"


Guns N RosesGuns N' Roses
A versão de Axl sobre a separação da antiga formação

Dave MustaineDave Mustaine
"Há bandas cujo nome me ofende"

MotörheadMotörhead
Em 1995, Lemmy comenta versão do Sepultura

5000 acessosLed Zeppelin e o lendário encontro com Elvis Presley5000 acessosFotos de Infância: Max e Igor Cavalera, do Sepultura5000 acessosMeet & Greet: Como os roqueiros de verdade se comportam5000 acessosJesus Cristo: algumas canções que levam o seu nome como tema5000 acessosShows: por que você deve comprar ingresso antecipado?5000 acessosCafé Metal: Starbucks pedindo desculpas por barista satanista

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online