BlackForce: estréia com extrema qualidade e produção invejável

Resenha - BlackForce - BlackForce

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Samuel Coutinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

De tempos em tempos é bom dar uma atualizada no player, abrir a mente para novos sons, ampliar nosso conhecimento musical e aceitar de bom grado sugestões de amigos, colegas e músicos. Quando se tem a chance de dar uma variada em seu gosto musical, você acaba reeducando seus ouvidos para algo que, mesmo não sendo sua praia, consegue chamar a atenção pela qualidade. Foi o que os caras da BLACKFORCE se utilizaram para divulgar seu trabalho de estréia. A banda vem de cidades como Niterói/RJ e São Gonçalo/RJ e conta com Felipe Teixeira (Vocal), Matheus Leandro (Guitarra), Caio Kattenbach (Guitarra), Glauber Pontes (Baixo) e Alexandre Fernandes (Bateria). O EP intitulado "Slaves to Reality" conta com uma produção de primeira, gravado de forma independente mas com uma qualidade impecável.

Chris Cornell: relatório policial descreve últimas horas e morteLars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' Roses

Dentre muitas bandas nacionais que seguem o gênero thrash, a BlackForce veio pra somar e ajudar, sendo mais um elo para sustentar a cena underground brasileira. "Slaves to Reality" é uma boa referência para quem procura por bandas novas no seguimento thrash/death. Como diz a frase, "As melhores surpresas também estão nos menores frascos", o EP tem tempo suficiente para garantir uma boa impressão. Após a introdução "Calm Before The Storm", com uma bela atmosfera sonora com sons de tempestade acompanhada de um dedilhado de violão e sons orquestrados, a primeira faixa "Downfall" quebra todo o clima com seus riffs violentos. Bateria destruidora com batidas que chegam tocar a alma. O vocal é gutural, ótima performance do vocalista Felipe Teixeira. A faixa possui narrações retiradas de noticiários e pronunciamentos sobre a realidade do nosso país.

"Madness" possui uma pegada brutal. Logo no início o trampo das guitarras chegam como um trator arrastando tudo pela frente. A bateria é um dos destaques por proporcinar o peso adqueado, variações bem colocadas em sua execução. Solos de guitarra precisos e técnicos, aparentes, como foram na primeira faixa. Chegando no recheio do bolo, "War Has Begun" é aquela típica faixa death metal que te dá orgulho pra quem é vidrado no estilo. Bateria incrivelmente veloz, riffs mais uma vez matadores com aquela velha essência death. "War Has Begun" é um exemplo da qualidade perceptível do disco, o som não é atropelado, e por ser o primeiro trabalho dos caras, estão aprovados em questão de produção.

A última faixa, "Enslaved", começa com uma pegada ala MEGADETH, PANTERA, deixando tudo bem familiar. Assim que a velocidade aumenta, o vocal entra de forma imponente, mais uma ótima performance de Felipe Teixeira. Riffs criativos, a dupla Matheus Leandro e Caio Kattenbach garantiram neste EP um ótimo resultado de peso aliado com técnica apurada. A cozinha infernal de Glauber Pontes e Alexandre Fernandes cuidaram para que tudo ficasse o mais completo na sonoridade da banda. O EP foi gravado no Home Estúdio, da própria banda, e se mostrou ser apto a receber o devido reconhecimento. Indico!

"Slaves to Reality" (Independente) - 2016

01 - Calm Before The Storm (intro)
02 - Downfall
03 - Madness
04 - War Has Begun
05 - Enslaved

Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=dkPgnge6L8U
SoundCloud:
https://goo.gl/qfbMzF
Facebook:
http://www.facebook.com/BlackForceTM/?fref=ts




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "BlackForce"


Chris Cornell: relatório policial descreve últimas horas e morteChris Cornell
Relatório policial descreve últimas horas e morte

Lars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' RosesLars Ulrich
Jucando no camarim do Guns N' Roses

Porn Metal: Filmes para inspirar os headbangers solitáriosPorn Metal
Filmes para inspirar os headbangers solitários

Heavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capasHeavy Metal
O Diabo e personagens bíblicas nas capas

Beatles - Perguntas e RespostasBeatles - Perguntas e Respostas

Thrash Metal: 10 melhores álbuns que não foram lançados pelo Big4Thrash Metal
10 melhores álbuns que não foram lançados pelo Big4

NME: elegendo os 10 melhores frontmen do Heavy MetalNME
Elegendo os 10 melhores frontmen do Heavy Metal


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

adGooILQ