Metallica: Eles mudaram a história da música em 1983

Resenha - Kill'Em All - Metallica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Noé de Souza
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Antes de se tornar esse gigante que todo mundo conhece, a banda era formada por James Hetfield (vocal e guitarra), Lars Ulrich (bateria), Ron McGorvney (baixo) e Dave Mustaine (guitarra). Antes de James assumir os vocais, a banda convidou John Bush (Armored Saint), que recusou. Então, para não mexer em time que está ganhando, o próprio Hetfield resolveu tocar e cantar, ao mesmo tempo. O ano era 1983.

340 acessosLars Ulrich: Há muita música boa por aí que não tem penetração5000 acessosIron Maiden: a música "Wasting Love" é um Plágio?

O Metallica já havia gravado Hit The Lights para a coletânea Metal Massacre, da Metal Blade, e depois lançou duas demos (Hit The Lights e No Life ‘Till Leather). O dono da Metal Blade, Brian Slagel, bem que tentou bancar o custo da banda para gravar seu primeiro disco, porém ele não tinha dinheiro suficiente. Foi aí que entrou nessa história o Johnny ‘Z’ Zazula, que ouviu a demo e resolveu “adotar” a banda. Para que a gravação acontecesse, ele resolveu fundar sua gravadora, Megaforce. Enquanto isso, James e Lars foram ver uma apresentação do Trauma, e ficaram impressionados com a performance de um certo baixista, com aparência de hippie, mas que tocava virtuosamente bem, como se fosse guitarrista.

Pois bem, Cliff Burton cedeu a proposta dos dois, que resolveram chutar o Ron pra fora. Mas os problemas começaram a atormentar, com as bebedeiras de Dave Mustaine. Em abril, os três (James, Lars e Cliff) mandaram o guitarrista pra casa, de ônibus. Para preencher a lacuna deixada por Mustaine, foram ver um show do Exodus e viram em Kirk Hammett a pessoa certa para o posto. Em uma entrevista feita, em 2004, Kerry King (Slayer) disse que o substituto ideal seria o Gary Holt. Se isso acontecesse, a história seria outra...

Com a formação estabilizada, o Metallica rumou de São Francisco para Nova York, ao lado do casal Johnny e Marsha Zazula, e do produtor Paul Curcio, para gravar aquele, que seria O Disco que tomaria os rumos da música pesada. Inicialmente, ele chamaria Metal Up Your Ass, e na capa sairia uma mão empunhando uma espada saindo de um vaso sanitário cheio de sangue. Johnny Z viu que aquilo chocaria ainda mais os fãs (e a crítica) e resolveu abortar essa ideia. Ao invés de Metal Up Your Ass, o nome mudou para Kill’Em All, sugestão de Cliff Burton.

Musicalmente, o que se ouve no disco é uma avalanche de riffs, solos frenéticos e cozinha precisa. Esse era o início do Thrash Metal Bay Area. A começar com os riffs de Hit The Lights chamando para a pancadaria. O vocal de James ainda beirava na faixa dos quase vinte anos. Enquanto a The Four Horsemen falava dos quatro cavaleiros do Apocalípse. Essa música tem a co-autoria de Dave Mustaine, que no seu disco do Megadeth, Killing is My Business..., chamava Mechanix, com uma letra bem diferente.

Motorbreath é um Thrashão cavalgado, composto por Hetfield. Boa pra bater cabeça. Jump In the Fire foi escolhida para ser o primeiro single. Enquanto a (Anesthesia) Pulling Teeth apresentava ao mundo o Cliff Burton. Whiplash fala sobre bater cabeça. Essa música fez o Motörhead ganhar um Grammy. Clássico do Thrash Metal, rápido agressivo e de uma velocidade acima da média.

Phantom Lord, outra de co-autoria de Mustaine, segue a mesma risca. No Remorse é um chamado para a guerra. O Cannibal Corpse fez fama ao regravar esse clássico. Mas o melhor estava por vir.

Falar de Seek And Destroy é chover no molhado. Seu riff é um dos mais famosos do Metal. Seu andamento cadenciado e bem característico marcaram história. Até hoje, a banda fecha suas apresentações com essa música. O final não poderia ser diferente. Metal Militia fecha Kill’Em All com chave metálica, ao som das marchas militares.

Com esse disco, o Metallica fez sua primeira tour, com a banda Raven, intitulada Kill’Em All For One Tour, que varreria os EUA, e depois pela Europa abrindo para o Venom, no Seven Dates of Hell Tour, no qual a banda tocou para 7 mil pessoas no festival Aarsdshok, na Holanda.

Esse era só o começo para o Metallica.

Formação:
James Hetfield - vocal/guitarra
Lars Ulrich - bateria
Cliff Burton - baixo
Kirk Hammett - guitarra

Tracklist:
1. "Hit The Lights"
2. "The Four Horsemen"
3. "Motorbreath"
4. "Jump In The Fire"
5. "(Anesthesia) Pulling Teeth"
6. "Whiplash"
7. "Phantom Lord"
8. "No Remorse"
9. "Seek And Destroy"
10. "Metal Militia"

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Kill'Em All - Metallica

2396 acessosMetallica: 33 anos depois do Kill'Em All5000 acessosMetallica: em 1983, quatro garotos repletos de energia


Lars UlrichLars Ulrich
Há muita música boa por aí que não tem penetração

1399 acessosMetallica: reveja performance completa em São Francisco0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

MetallicaMetallica
Fotos inspiradas pelo Queen de marca luxuosa de roupa

Ela Voltou!Ela Voltou!
Shana Campos, a Miss & DJ gaúcha que adora Metallica

Rock e MetalRock e Metal
5 músicas que melhor criaram suas "atmosferas"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"


Marc Ferr?Marc Ferr?
A música "Wasting Love", do Iron Maiden, é um Plágio?

Fotos de infânciaFotos de infância
Angela Gossow, do Arch Enemy, muito antes da fama

MotorheadMotorhead
A dieta que mantinha Lemmy jovem e viçoso

5000 acessosGaleria de fotos: 13 motivos para gostar de Rock N Roll5000 acessosSteven Tyler: vocalista admite que já queimou a rosca5000 acessosIron Maiden: "Tenho inveja dos fogos do Slipknot",diz Bruce5000 acessosRatos de Porão: O elogio de João Gordo aos garotos do Restart5000 acessosAC/DC: as 10 melhores músicas da banda com Bon Scott5000 acessosOzzy Osbourne: Madman revela pacto de suicídio com esposa Sharon

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 05 de março de 2016


Sobre Rodrigo Noé de Souza

Nasci em 1984. Esse ano não é só o início de uma nova democracia, mas também é o ano em que vários discos foram lançados, como Powerslave (IRON MAIDEN), Stay Hungry (TWISTED SISTER), W.A.S.P., Don´t Break The Oath (Mercyful Fate), Slide It In (WHITESNAKE), 1984 (VAN HALEN), The Last In Line (DIO) e, o meu favorito de todos, Ride the Lightning (METALLICA). Sou um aficcionado por Metal, desde AC/DC e ZZ Top, até Anaal Nathrakh e Krisiun. Sou Jornalista, blogueiro, facebookeiro, o que for. Quem quiser saber o que eu escrevo, acessem meu blog: www.esporropublico.zip.net.

Mais matérias de Rodrigo Noé de Souza no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online