RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemRolê aleatório: Geoff Tate e Rhapsody se divertem em aeroporto no aeroporto

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemMike Portnoy comprou "Piece Of Mind", do Maiden, em excursão escolar

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemA medida extrema que Dio pensou em tomar por não curtir "Rainbow in the Dark"

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco


Armored Saint: Baixando de armadura para a glória do Deus Metal!

Resenha - Win Hands Down - Armored Saint

Por Fábio Leonardo
Postado em 14 de julho de 2015

Nota: 10

Digo, sem dúvida, que estamos diante de um dos grandes lançamentos do ano. Não é brincadeira. ARMORED SAINT chega com seu décimo registro e a despeito das declarações desanimadas de John Bush a respeito de como todos estão velhos e sem querer o compromisso de ficar saindo em turnês e gravando álbuns, aqui estão eles. E como estão!

Win Hands Down é bem mais agitado que seu antecessor. As músicas estão mais quebradas, mais técnicas e, o elemento-chave, mais felizes. Nada simplório, cadenciado e sombrio como "La Raza" amigo: As passagens de bateria, os solos, os vocais de John Bush, tudo nos transparece pelo menos 20 ou 30 anos de rejuvenescimento.

Do inicio ao fim, o registro nos passa a sensação gostosa de que eles se divertiram gravando isso. Todos os músicos parecem inspirados, em seu melhor momento e a todo o tempo eles te contagiam com essa atmosfera. É por isso não falei deste ou daquele músico como o maior destaque: Todos encontram sua vez. A banda esta mais entrosada do que nunca. Tudo parece certo aqui. até mesmo o tempo de duração do álbum. É como se você mergulhasse e saísse após a última música como se acabado de levantar de uma montanha russa. Isso sim é algo que poucas bandas fazem ou fizeram até hoje.

Sobre as músicas, o que dizer? Tente não fazer as pessoas a seu redor te acharem louco ao sair cantarolando o refrão de "Win Hands Down"; Tente não sair pulando com as quebradas criativas de bateria ao som do "Huh! Hah" de "Mess"; e duvido que seu pescoço não comece a doer de tanto bangear com o galopar das guitarras de "That Was Then, Way Gack When". Dada hora, as coisas se acalmam como nos ecos dedilhados e o teclado discreto de "Muscle Memory" ou com o piano arrastando os vocais suaves de Bush em "Dive" (a faixa que mais remete à cadência sombria nos mostrada em "La Raza").

Eu poderia destacar cada música e seus elementos marcantes sem parecer maçante, porque este é um álbum de tamanho certo, que nos possibilita a fazer isso. Mas deixo como destaque a que atingiu meu coração logo de cara. "With A Full, Herd Of Steam" te engana com o início lentinho, mas se transforma na principal amostra do clima empolgante deste registro. Da bateria rápida ao estilo NWOBHM ao dueto maravilhoso que Bush faz com esta menina (ainda não encontrei quem é, mas estou quase certo de que se trata de Mia Coldheart do CRUCIFIED BARBARA. Alguém me corrija se estiver errado).

Repito: Fortes candidatos a melhor do ano, lhes digo. Ouçam sem medo. Deixo com vocês aquela que destaquei como melhor do álbum. E que o santo de armadura baixe em vocês também.

Amém.

Nota: 10 (O primeiro do ano, bem merecido).

Win Hands Down - Armored Saint
01. Win Hands Down (5:08)
02. Mess (4:38)
03. An Exercise In Debauchery (6:03)
04. Muscle Memory (7:16)
05. That Was Then, Way Back When (5:10)
06. With A Head Full Of Steam (5:20)
07. In An Instant (7:38)
08. Dive (4:43)
09. Up Yours (5:26)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Armored Saint: 10 músicas para conhecer a banda de John Bush, ex-vocalista do Anthrax


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal