Lindemann: Projeto paralelo feito para quem tem estômago

Resenha - Skills in Pills - Lindemann

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor de Andrade Lopes, Fonte: Sinfonia de Ideias
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Formado pelo vocalista e letrista alemão Til Lindemann, do Rammstein, e o multi-instrumentista e compositor sueco Peter Tägtgren, do PAIN e do Hypocrisy, o Lindemann é um projeto paralelo feito só para quem tem estômago - ou ao menos para quem não tem frescura.

Lindemann: ouça música do projeto que reúne Rammstein e HypocrisyFotos de Infância: Cliff Burton, do Metallica

A primeira ouvida, o álbum de estreia do projeto, Skills in Pills, não difere muito do que o Rammstein faz. Depois da segunda ou terceira audição, esta impressão vai diminuindo, sem chegar a sumir. É que a foz de Til Lindemann é marcante demais, e o próprio som da dupla não fica longe do Neue Deutsche Härte que consagrou o sexteto alemão.

Disseram ambos os componentes do grupo que tinham com o álbum o objetivo de "chocar". De fato, as letras não são indicadas para membros da "família tradicional defensora da moral e dos bons costumes". Mas, para quem conhece o Rammstein, elas soam normais, ficando apenas um pouco mais engraçadas por serem cantadas em inglês e ficando assim mais acessíveis ao público em geral. Quem compreende alemão ou já usou o Google Tradutor sabe que o Rammstein sempre abordou esses temas mais tenebrosos de forma espontânea - "Pussy" que o diga.

E falando na faixa que ganhou um video clipe pornô, o álbum todo soa como uma extensão dela, como se ela tivesse sido um prelúdio ao que Til faria futuramente fora do sexteto. A diferença é que, enquanto "Pussy" falava de sexo de forma genérica e convencional, Skills in Pills explora fetiches e desejos obscuros.

O álbum começa bem com a faixa-título, uma bate-cabeça que cumpre o papel de cartão de visitas. "Ladyboy", a primeira escrita pela dupla, segue na mesma velocidade, mas já desacelera nos seus refrãos. "Fat", permeada por um riff erudito que lembra a "Tocata e Fuga em Ré Menor" de Bach, deixa clara sua mensagem já no seu título curto e - sem trocadilhos - grosso. Um elogio à adiposidade, com direito a conselhos "fofos" como: "Pessoas rindo do seu tamanho... podemos fodê-las em suas batatas fritas". Com resquícios de "Sonne", de Rammstein, o álbum desacelera um pouco com "Children of the Sun", para então dar lugar à primeira balada, por assim dizer: "Home Sweet Home".

"Golden Shower", como o nome indica, aborda a tara por urina, conhecida popularmente como "chuva dourada" em português. "Praise Abort", a primeira a ser divulgada, resume bem a tônica do disco, ficando acima da média quando se trata do elemento "choque". Um verdadeiro ode ao ódio, se me permitem o trocadilho: "eu odeio minha vida, e eu odeio você. Eu odeio minha esposa e o namorado dela também. Eu odeio odiar e eu odeio isso. Odeio muito minha vida. Eu odeio meus filhos". E o que dizer do verso "Sem filhos, a vida é muito melhor"? Uma escolha ousada para o single e clipe, que já está provocando reações polarizadas nas redes sociais. Uns pedem mais, outros detonam. "Fish On", "Yukon", "Cowboy" e "That's My Heart" completam a lista de faixas.

Em termos de trabalho instrumental, Skill in Pills faz um equilíbrio perfeito entre "isso parece Rammstein" e "isso é um trabalho diferente". Explicando melhor: você vai ficar o tempo todo imaginando os outros cinco membros tocando junto a Til, sem lembrar que é quase tudo feito por Peter. Isso é natural, uma vez que a voz do cantor é marcante e quase nunca foi ouvida fora da banda. Mas há uma evidente diferença na maneira de trabalhar os riffs e a dosagem dos elementos eletrônicos, e o fato de quase tudo isso ter ficado sob responsabilidade de Peter é uma amostra da capacidade criativa dele.

Pode soar grotesco para alguns, mas heavy metal e suas subdivisões nunca foram para os fracos, de qualquer forma. Skills and Pills serve como aperitivo até que o Rammstein lance o seu tão aguardado sétimo álbum, que deve começar a ser desenvolvido no próximo semestre, segundo o próprio Peter.

Abaixo, o vídeo de "Praise Abort".

Track-list:
1. "Skills in Pills"
2. "Ladyboy"
3. "Fat"
4. "Fish On"
5. "Children of the Sun"
6. "Home Sweet Home"
7. "Cowboy"
8. "Golden Shower"
9. "Yukon"
10. "Praise Abort"
11. "That's My Heart"


Outras resenhas de Skills in Pills - Lindemann

Lindemann: O casamento mais bizarro (e promissor) do industrial



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Lindemann"Todas as matérias sobre "Rammstein"Todas as matérias sobre "Pain"Todas as matérias sobre "Hypocrisy"


Lindemann: ouça música do projeto que reúne Rammstein e Hypocrisy

Guerra Fria e Metal: a história do Rammstein (vídeo)Guerra Fria e Metal
A história do Rammstein (vídeo)

Rammstein: entender as letras é fundamental para gostar das músicas?Rammstein
Entender as letras é fundamental para gostar das músicas?

Rammstein: Nunca mais veremos bandas como Led ou Black SabbathRammstein
"Nunca mais veremos bandas como Led ou Black Sabbath"


Fotos de Infância: Cliff Burton, do MetallicaFotos de Infância
Cliff Burton, do Metallica

Uruca: Os 9 mais azarados da história do RockUruca
Os 9 mais azarados da história do Rock

Slash: Saul Hudson explica qual a origem de seu apelidoSlash
Saul Hudson explica qual a origem de seu apelido

USA Today: as 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUAUSA Today
As 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUA

Max Cavalera: triste ver uma banda tão importante virar uma merdaMax Cavalera
Triste ver uma banda tão importante virar uma merda

Bruce Dickinson: em vídeo do Maiden, pilotando avião da 2ª GuerraBruce Dickinson
Em vídeo do Maiden, pilotando avião da 2ª Guerra

Iron Maiden: eu estava no lugar certo, na hora certa, diz NickoIron Maiden
"eu estava no lugar certo, na hora certa", diz Nicko


Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.