Stauros: Um grande trabalho que traz a banda de volta

Resenha - Vale das Sombras - Stauros

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Jefferson Guedes Giammelaro
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A volta ao Heavy Metal com o trabalho "Vale das Sombras"; O novo e ótimo trabalho da banda STAUROS, que tem músicas que com certeza se tornarão clássicas para a banda. Esse retorno conta com a base da formação do EP "Marcas da Desilusão", que são 3 integrantes de outro clássico trabalho chamado "O Sentido da Vida".

Edu Falaschi: músicas surpresas do Almah em show do Tropical ButantãOzzy Osbourne: Sharon conta como o Madman tentou assassiná-la

Lançado em Dezembro de 2014, de forma independente, foi gravado entre Agosto e Outubro do mesmo ano e é o oitavo trabalho lançado pela banda (entre EP's e Discos/CD's), que conta com os irmãos Alessandro e Renato Lucindo (guitarristas) membros originais e fundadores, unidos com Celso de Freyn que é conhecido como o vocalista da "era em português" da banda. Juntos anotam a discografia da banda no clássico "O Sentido da Vida", o fantástico EP "Marcas De Um Tempo" e o EP "Marcas da Desilusão". No baixo novamente tiveram a participação de Raphael Dafras (banda ALMAH ) que desta vez participou de forma efetiva gravando o instrumento em todas as faixas, além do ótimo baterista Lucas Fontana, que participa pela primeira vez de um CD da banda.

Obs: A banda STAUROS lançou o CD "Praise" que também é todo em português, mas Celso não participa dos vocais neste trabalho.

Teaser do trabalho:

Este trabalho foi marcado por uma divulgação antecipada do projeto, assim, antes da gravação foi lançado um combo para a compra antecipada do trabalho, permitindo a vários fãs da banda participar contribuindo com sua parcela de ajuda; a banda conseguiu uma parte da verba necessária, mas ainda assim abaixo do que eles planejavam e precisavam para todo o processo, mas com esforço dos membros da banda conseguiram concluir o projeto.

A base de músicas do CD (como não poderia ser diferente) é a do EP "Marcas da Desilusão" que também foi um grande trabalho (você pode conferir a resenha no link abaixo), mas por mais que a base das músicas sejam as boas músicas do EP, eles ainda melhoraram em vários detalhes as músicas já lançadas.

Resenha - Marcas da Desilusão - Stauros

A capa do CD é muito boa novamente, muito bem trabalhada, cheia de detalhes e sombria como o título do trabalho, dando assim um ar temático para o trabalho físico. O encarte contém todas as letras e detalhes deste trabalho.

"Vale das Sombras" - A primeira canção do CD é muito forte, traz riffs de guitarras muito bons principalmente na "segunda parte" da música, vocais que se apresentam desde o primeiro momento em que aparecem atacando notas altas, vocal heavy metal bem agressivo. O baixo e a bateria são muito eficazes e fazem essa música ser coesa e muito boa.

"Indiferentes" - QUALIDADE!!! Uma ótima música, com certeza entre as 3 melhores do CD e assim como outras deste trabalho, não poderá faltar nas apresentações ao vivo dos próximos shows. Um clima de heavy quase power metal durante a música. A introdução é fortíssima e a batera muito forte mostra a qualidade técnica que Lucas Fontana possui, com pedais duplos e ótimas viradas. Grande solo e o baixo com ótimas linhas, música que pode entrar para as grandes canções da banda.

"Ainda Há Tempo" - Introdução muito melódica, com um solo muito bonito, típica música que tem tudo para funcionar ao vivo, e novamente os vocais merecem destaque, além claro dos ótimos riffs presentes nesta canção.

"Cidade de Refúgio" - A primeira balada do CD, é uma canção muito bonita, nos créditos faz menção e é dedicada a filhinha de Celso de teve sérios problemas de saúde. É uma linda canção, com linda harmônia. Uma das melhores do CD.

"Estrada de Sangue" - Assim como na primeira versão começa com o baixo e batera, mas nesta o baixista do ALMAH faz uma linha impressionante com muito técnica. A música ficou com mais pegada e mais firmeza. E o solo continuo muito bom, em geral melhor que a versão do EP.

"Apostasia" - A MELHOR! "Só" é a melhor do CD, Power/Heavy metal em alta velocidade, com certeza vai se tornar um clássico do STAUROS e não poderá ficar fora de nenhum set-list da banda. Para os saudosistas esta música lembra muito o que a banda NARNIA fazia/faz muito bem. A bateria (fantástica) e o baixo (preciso) fazendo com perfeição a base para as guitarras destruírem com arpejos, velocidade, melodia. Técnica em cima de técnica, sem deixar o principal que permeia a banda que é a expressão nos solos. Nesta por exemplo, temos trechos com duetos de guitarra e ainda parte de solo com melodia clássica. Fantástica. Celso num dos melhores vocais do CD, alcança notas altas e tem o vocal muito agressivo na música, para mim um novo clássico da banda.

"Tudo O Que Eu Preciso" - Ótima balada gravada no violão, com um dos melhores solos de guitarra do CD, um solo com muito "feeling", trazendo expressão e emoção. Muito boa!

"Não Desista" - Tão boa quanto a versão do último EP da banda, tem poucas alterações, mas você consegue perceber a participação do som de um piano, deixando a melodia ainda mais suave. A famosa power-balad, muito bem executada.

"Marcas da Desilusão" - A "title track" do último EP é uma música com ótimos riffs. A canção melhorou muito com a nova linha da bateria, que realmente deu uma nova pegada e somado ao novo solo de Renatinho deixou a música bem superior à versão do EP já citada.

"Esperando em Ti" - A belíssima balada no violão, também estava presente no último EP da banda. Como disse na outra resenha, o solo é muito bom, mistura velocidade, melodia e emoção, música credenciada como uma das melhores do trabalho.

"City Of Refuge" - Versão em inglês da música "Cidade de Refúgio" faixa 4 do CD.

Obs: Todos os links do áudio e vídeo do Youtube foram encontrados na rede e não possuem nenhum vínculo com o autor da resenha.

Um destaque especial geral para Alessandro que é um ótimo guitarrista e leva os créditos na criação de muitas músicas, este CD é recheado de ótimas harmonias e ótimos riffs e assim como Renatinho, Alessandro tem uma grande capacidade de composição e também toca muito bem ao vivo. A banda STAUROS tem uma ótima dupla de guitarristas e que se completam.

Lista de músicas do CD:

1- Vale das Sombras
2 - Indiferentes
3 - Ainda Há Tempo
4 - Cidade de Refúgio
5 - Estrada de Sangue
6 - Apostasia
7 - Tudo O Que Eu Preciso
8 - Não Desista
9 - Marcas da Desilusão
10 - Esperando em Ti
11 - City Of Refuge

Um trabalho que traz de volta a banda ao cenário Heavy Metal brasileiro; STAUROS fez um grande trabalho e que tem uma ótima qualidade.

Stauros "Vale das Sombras" é:

Vocal: Celso de Freyn
Guitarra solo: Renatinho
Guitarra base: Alessandrinho
Baixo: Raphael Dafras (ALMAH)
Bateria: Lucas Fontana

Gravado no Silent Music Studio
Produzido por Karim Serri
Participação no teclado de Diego Maciel

Você pode adquirir este trabalho na loja virtual do Stauros:

http://www.staurostore.com.br

Site oficial:

http://www.staurosoficial.com.br


Outras resenhas de Vale das Sombras - Stauros

null




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Stauros"Todas as matérias sobre "Almah"


Edu Falaschi: músicas surpresas do Almah em show do Tropical Butantã

Edu Falaschi: No Kazagastão, o teste para o Iron Maiden, o Angra e maisEdu Falaschi
No Kazagastão, o teste para o Iron Maiden, o Angra e mais

Metal Nacional: a união condensada em uma única fotoMetal Nacional
A união condensada em uma única foto

Ed Motta: brasileiros que tocam no exterior discutem desabafoEd Motta
Brasileiros que tocam no exterior discutem desabafo


Ozzy Osbourne: Sharon conta como o Madman tentou assassiná-laOzzy Osbourne
Sharon conta como o Madman tentou assassiná-la

Separados no nascimento: sou só eu, ou eles são parecidos?Separados no nascimento
Sou só eu, ou eles são parecidos?

Lars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' RosesLars Ulrich
Jucando no camarim do Guns N' Roses

Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do SepulturaHeavy Metal: as 10 capas mais "de macho" de todos os temposPaul Di'Anno: Steve Harris não aceitou muitas de minhas cançõesNWOBHM: os 25 maiores álbuns do gênero entre 1980 e 1982

Sobre Jefferson Guedes Giammelaro

Um cara que gosta muito de música e que sabe que ela pode ser muito mais que apenas sons (ou barulho), mas sim algo que pode mudar vidas. Casado, cristão, guitarrista, colecionador de CDs e um cara que gosta muito de divulgar, reviver e ajudar na caminhada de novas e antigas bandas que não são apenas passageiras, mas que acrescentem algo na jornada... Buscando voltar à essência! Twitter: @je_ggg.

Mais matérias de Jefferson Guedes Giammelaro no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336