Eric Clapton & Steve Winwood: Live from Madison Square Garden

Resenha - Eric Clapton & Steve Winwood - Live from Madison Square Garden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Allan Lopes, Fonte: cultura-variada.webnode.com
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Os "CD e DVD Eric Clapton e Steve Winwood - Live from Madison Square Garden" (Duplo) é uma coletânea registrada a partir de três shows realizados no Madison Square Garden em 2008.

Artur Menezes: vencedor do concurso para tocar no festival de Eric ClaptonGuitarristas: Os 10 maiores dos anos 80 segundo a revista Fuzz

Para quem não conhece STEVE WINWOOD, aqui vai uma breve história de sua carreira:

STEVE WINWOOD é um cantor e multi-instrumentista britânico mais conhecido por seus trabalhos nas bandas "BLIND FAITH" e "TRAFFIC".

- BLIND FAITH foi uma banda de 1968 formada por STEVE WINWOOD, RIC GRENCH, GINGER BAKER e ERIC CLAPTON (ambos EX-CREAM). A banda lançou apenas um álbum (com o mesmo nome da banda) em 1969 no qual se destacam as faixas "Had to Cry Today", "Can't Find My Way Home" e a gospel "Presence of the Lord".

- TRAFFIC foi uma banda de 1967 formada por STEVE WINWOOD, JIM CAPALDI, CHRIS WOOD e DAVE MASON. A banda tem uma discografia grande e tem como maior sucesso a canção "Dear Mr. Fantasy".

O álbum

O álbum "Live from Madison Square Garden" é um álbum duplo gravado durante três apresentações realizadas no famoso MSG (Nova York) em 2008.

A dupla Winwood/Clapton fizeram um longo show recheado de sucessos das carreiras de CLAPTON e WINWOOD, além de covers de outros artistas como JIMI HENDRIX. As apresentações foram os primeiros concertos da dupla em cerca 40 anos.

A banda realizou uma verdadeira obra-prima, onde todos os instrumentistas desfilaram suas habilidades de forma extremamente impressionante.

STEVE WINWOOD é um artista de certa forma injustiçado, pois não é muito conhecido por aqueles que não são fãs de blues-rock. Ele possui uma das mais belas vozes que uma vez surgiu no cenário musical e além de cantar como poucos, ainda é um guitarrista acima da média e um tecladista fenomenal.

ERIC CLAPTON dispensa qualquer apresentação. Com uma carreira impecável, o Slow-Hand foi membro das bandas "YARDBIRDS", "CREAM" e a super banda "DEREK AND THE DOMINOS" (responsável pela gravação do álbum Layla and Other Assorted Love Songs). E claro sua carreira solo que é repleta de sucessos.

CLAPTON deu um show à parte, mostrando porque já em 1966 era chamado de "God" (Deus) e conseguindo extrair o máximo do que é uma Stratocaster.

O Show

O show começou com o sucesso da extinta BLIND FAITH, "Had to Cry Today" com seu riff característico. Já na primeira faixa encontramos CLAPTON e WINWOOD alternando as guitarras. Excelente.

Depois vamos passando por canções de gênios do blues/rock como J.J CALE até chegarmos na sexta faixa do primeiro disco. "Presence of the Lord" é tocada e cantada de forma incrível. WINWOOD assume o vocal e é acompanhado pelos backings de CLAPTON.

No fim do primeiro disco ainda temos "Tell the Truth" do grupo DEREK AND THE DOMINOS.

O segundo disco já começa com uma canção da CALE, "After Midnight".

A partir da faixa 5 do segundo disco temos a melhor parte do show. A própria canção nessa faixa, "Little Wing" é o ponto alto da apresentação. Uma versão que não é possível descrever em palavras e só quem fechou os olhos para escutar a música sabe como ela alcança o interior das pessoas.

A guitarra de CLAPTON chora nessa canção.

A faixa 6 é "Voodoo Chile", também de JIMI HENDRIX. A guitarra de CLAPTON mais uma vez se destaca.

Na sétima canção temos a belíssima "Can't Find My Way Home". Nessa faixa WINWOOD tem uma performance excelente.

A penúltima música, "Dear Mr. Fantasy" é canção maior de Winwood. Uma canção de sua ex-banda (TRAFFIC) que mais o representa. Aqui é possível entender porque ele é um Hall of Fame e porque é considerado o portador de uma das melhores vozes de sempre. Simplesmente sublime.

Por último temos o clássico de J.J CALE, "Cocaíne". Essa é uma das interpretações mais famosas de Clapton. Com seu riff característico, a dupla encerra o show de forma perfeita. Os teclados de WINWOOD são um destaque a mais.

Esse é um show para amantes de blues-rock e para aqueles que apreciam um instrumental bem tocado. É recomendado que você não pule para as canções mais famosas, mas aprecie todo o show.

Leia mais:
http://cultura-variada.webnode.com/news/eric-clapton-steve-w...

Set List:
1. HAD TO CRY TODAY
2. THEM CHANGES
3. FOREVER MAN
4. SLEEPING IN THE GROUND
5. PRESENCE OF THE LORD
6. GLAD
7. WELL ALRIGHT
8. DOUBLE TROUBLE
9. PEARLY QUEEN
10. TELL THE TRUTH
11. NO FACE, NO NAME, NO NUMBER
12. AFTER MIDNIGHT
13. SPLIT DECISION
14. RAMBLING ON MY MIND
15. GEORGIA ON MY MIND
16. LITTLE WING
17. VOODOO CHILE
18. CAN'T FIND MY WAY HOME
19. DEAR MR. FANTASY
20. COCAINE



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Eric Clapton"Todas as matérias sobre "Blind Faith"Todas as matérias sobre "Traffic"Todas as matérias sobre "Cream"


Artur Menezes: vencedor do concurso para tocar no festival de Eric Clapton

Clapton: tragédia em quadrinhos; mera apelação?Clapton
Tragédia em quadrinhos; mera apelação?

Little Wing: a obra prima de Jimi HendrixLittle Wing
A obra prima de Jimi Hendrix

Guitarra: os melhores solos da história segundo a Guitar WorldGuitarra
Os melhores solos da história segundo a Guitar World


Guitarristas: Os 10 maiores dos anos 80 segundo a revista FuzzGuitarristas
Os 10 maiores dos anos 80 segundo a revista Fuzz

Ozzy Osbourne: dando chega mais em Mônica Apor na coletivaOzzy Osbourne
Dando "chega mais" em Mônica Apor na coletiva

A História Impopular dos Rolling Stones - Livro 1 - Brian JonesA História Impopular dos Rolling Stones - Livro 1 - Brian Jones
A História Impopular dos Rolling Stones - Livro 1 - Brian Jones

Lemmy: "as pessoas se tornam melhores quando morrem"Corey Talor: "Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"Metallica: James Hetfield explica decisão de abandonar seu perfil no InstagramGuns N' Roses: Por que tanta gente odeia Paul Huge Tobias?

Sobre Allan Lopes

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.