Matérias Mais Lidas

imagemDez ótimas músicas do Iron Maiden escritas pelo agitado guitarrista Janick Gers

imagemBruno Valverde diz que preconceito contra ele veio mais da igreja do que dos metaleiros

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagemRegis Tadeu se garante e não retira uma palavra do que disse sobre Di'Anno e Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemA inesperada música do Whitesnake que serviu de inspiração para "Carry On" (Angra)

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemA "traumática" e "desagradável" experiência de ser preso, segundo Arnaldo Antunes

imagemA estratégia usada por Mille Petrozza, do Kreator, para "reaprender" músicas antigas

imagemJon Bon Jovi: quando ele levou um fora de Bruna Lombardi

imagemQuando Chorão, do Charlie Brown Jr, quase levou porrada do Rick Bonadio

Bruna Lombardi: quando ela foi assediada por Jon Bon Jovi e Donald Trump

imagemAC/DC: Angus Young recorda como fazia para ouvir rock em seus tempos de garoto

imagemEpisódio de Stranger Things 4 relembra Ozzy Osbourne e a "mordida do morcego"

imagemComo foram os últimos meses de Renato Russo e a causa da sua morte


V.A.I.N.: Segundo álbum desafia os ouvidos mais preguiçosos

Resenha - 8 - V.A.I.N.

Por Afonso Ellero
Em 27/09/14

A banda V.A.I.N. (Violent Attitude if Noticied) acaba de lançar seu mais recente álbum chamado simplesmente de "8".

Se você pensou que esse seria o oitavo registro da banda, se enganou, pois estamos falando do terceiro "full álbum" dessa que se auto rotula como uma banda de "Pós Punk Progressivo".

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Diferentemente de seu predecessor, "Timeline", a obra em questão mostra uma banda mais introspectiva e com uma sonoridade menos pesada, com altas doses de eletrônica em cada uma das, aí sim, "oito" canções distribuídas ao longo de quase 48 minutos.

"8" não é um álbum para ser ouvido enquanto se lava o carro, num churrasco ou balada. Sua sonoridade vai além do lugar comum e desafia nossa compreensão com sua letras subjetivas e arranjos de uma complexidade quase deselegante, que desafia os ouvidos mais preguiçosos.

Se me permitem fazer uma pequena analogia, diria que se esse trabalho deve ser digerido tal qual um Bourbon envelhecido, em doses homeopáticas, e não como uma cachaça qualquer.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Não é possível traçar uma similaridade com qualquer outra banda do gênero, o que não significa dizer que se trata de algo revolucionário e inovador. "8" é um verdadeiro caldeirão de influências que vão de David Bowie à Peter Gabriel, passando por Genesis e Jon Anderson.

A subjetividade lírica se mistura com arranjos forçosamente desconexos por vezes, nos remetendo àquela pseudo sofisticação do Jazz, que nos dá a impressão de que cada instrumento está tocando uma melodia diferente. No final tudo se ajeita e é possível entender a essência da proposta.

Não é difícil encontrar entre uma canção e outra aquele famoso efeito que dá a vós a sonoridade de um megafone. Aliás, com um pouco de atenção é possível encontrar inúmeros efeitos incidentais distribuídos aleatoriamente.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Se você prefere um som mais direto e de arranjos simples aconselho a ficar longe desse trabalho, mas caso você se considere um garimpeiro de sonoridades "8" é um álbum indispensável!
Longe de mim dizer que é um álbum "difícil", muito pelo contrário. É possível ouvi lo sem compromisso, mas confesso que não tem a mesma graça.

"8" foi concebido para se entender, se absorver, para mergulhar em seu universo lírico e sacar que suas melodias são pertinentes ao tema proposto. Sem querer viajar demais na filosofia eu diria que sua sonoridade é a trilha sonora das entrelinhas de suas histórias.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O álbum possui ótima arte gráfica que ficou a cargo de Erick Müller Thurm e foi gravado em três estúdios diferentes. Produzido por Will Geraldo e masterizado por Jon Astley a bolachinha fatalmente deu muito trabalho aos dois, dado a complexidade dos arranjos.

As "Oito Faces de "8":
"Just Another Day" é o abre alas e se mostra uma canção "tensa" dividida em dois climas distintos, calmo e intenso. Mas é a batida quase tribal d bateria que nos salta aos ouvidos, sendo o grande destaque da faixa.

"8", que dá nome ao álbum talvez seja a canção mais complexa do trabalho. Cheia de nuances melódicas e distorções de vós, possui um riff surpreendentemente simples e pesado que de uma hora pra outra se transforma em um som acústico de sutileza progressiva que lembra algumas bandas setentistas do gênero. A letra poderia ser usada em qualquer Thrash Metal. Passagens industriais e complexas se misturam deixando um "Q" de experimentalismo no ar. A canção tem a participação da pequena Lorena Geraldo (filha do vocalista Will Geraldo) nos vocais do segundo refrão. Mas a parte mais interessante e bonita fica por conta do coro de vozes infantes executados pelo Grupo Encanto da Paróquia Espírito Santo, de Jacareí/SP.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

"Delirium" é basicamente um acústico eletrônico que lembra alguma canção perdida do Genesis da década de 80. O feeling do violão acústico solando segue uma linha sofisticada e por vezes beira o blues.

"AloneAgain" confronta Deus e sua questionável "onipresença". Outra canção que mistura acústica e eletrônica com uma letra forte e pequenas passagens mais pesadas de guitarra contrastando com um piano que surge de repente. A canção tem a participação feminina de Cleo, nos vocais.

"TomorrowWon´tHappen" é a faixa instrumental do trabalho e assusta um pouco no começo com uma mistura improvável de Capital Inicial com U2, mas logo passa e segue com seu desfile de distorções de guitarra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"HandleWithCare", composição baseada em fatos reais, é minha preferida. Nem tanto pela sonoridade, mas pela história contada com uma melodia ora melancólica, ora intensa. Muita gente deve se identificar se prestar bem atenção na mensagem de sua letra.

"TreeTallEnough" não tem nada de trivial e mergulha de vez em arranjos eletrônicos com tudo o que tem direito. Batidas industriais e vocais trabalhados em efeitos diversos. Sem dúvida a faixa "menos rock" do trabalho.

"Salvation", talvez aqui colocada propositalmente, contrasta com a canção que a antecedeu e traz uma sonoridade que lembra o trabalho anterior da banda, o bom "Timeline". Rock direto com vocais cheio de efeitos e mais uma participação feminina, desta vez com Camila Pereira, dividindo o refrão.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp