Witchhammer: Registro imprescindível do Metal mineiro

Resenha - Ode to Death - Witchhammer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maicon Leite
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Fundado no longínquo ano de 1986, o Witchhammer se tornou um dos principais nomes do Metal mineiro na época em que a cena estava em franca ascensão e revelava ao mundo uma quantidade assombrosa de bandas, algumas até hoje na ativa. No caso do Witch, como era chamado, houve um período de grande atividade, mas que por diversos motivos acabou sendo interrompido precocemente após o lançamento de "Blood on the Rocks" (1991), quando já gozava de grande prestigio. Entretanto, foi na década de 2000 que o Brasil viu resurgir esta lenda, com o lançamento de "Ode to Death", pela fiel companheira Cogumelo Records. Além de Teddy, Casito e Paulo Caetano (todos da formação original), a formação deste disco tinha em suas fileiras o guitarrista Rogério Sena (ex-Refen, Hellraiser), no lugar de Vermelho (Igor Farah).

Black Sabbath: os vocalistas misteriosos da bandaBlasfêmias?: Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Então, com a energia e gana pelo Metal renovado, logo no começo do álbum já temos um bom exemplo do que pode se esperar no decorrer de sua execução, ou seja, Thrash Metal com influências de Hardcore e Death Metal, sem se prender a rótulos ou formulas pré-estabelecidas, uma constante em sua carreira. "Oija Board" é a primeira bordoada, com um riff inicial insano e matador. "Wrath of Witchhammer" é pura pedrada, meio HC, meio Metal, com um trabalho de guitarras muito bem feito, tanto nos solos quantos nos riffs. "The Machine of War" é possui um trampo de vocal bem variado, já "Dartherium" é perfeita para abrir rodas violenta, tamanha sua agressividade e rapidez! (Nota: esta música é uma regravação, sendo que a versão original encontra-se no disco "The First and the Last", de 1988).

Um detalhe interessante do CD é que no intervalo das faixas há samples de discursos, sobre democracia, que combina perfeitamente com as letras de cunho político. "Me, Dawn Lawless Killer - Disgrace Maker" é muito boa, com riffs oitentistas e com muito peso, uma das melhores do play, destacando também as linhas do baixo. Perfeita! Outra faixa antiga é "Weekend in Auschwitz", que havia saído na clássica coletânea "Warfare Noise II", de 1987. "Remains the Same - Dartherium III" é outro destaque, com as guitarras em evidência, "riffando" muito, além de a cozinha debulhar tudo com muita pegada. O título e letra da música "Headbangers Unite" é muito bonito, mas pena que na realidade seja outra. O thrash rápido toma conta da música em seu minuto final, um verdadeiro convite ao headbanging e mosh, como deveria se supor. "Perseguição" fecha o disco com chave de ouro, sendo uma homenagem à banda Sagrado Inferno, um dos precursores da cena mineira dos anos 80 e pilar de tudo o que foi criado na terra do pão de queijo.

Atualmente o grupo encontra-se na ativa, fazendo shows e está em estúdio regravando "The First and the Last" de 1988, e será lançado como "The First and the Last (and Again)" adicionando músicas novas como "Metalanguage", "Sentimento Metálico" e "Witch". O Metal nacional agradece e aguarda ansiosamente este novo registro.

Witchhammer
Titulo: "Ode to Death"
Formato: CD
Local: Brasil
Estilo: Thrash Metal
Gravadora/Selo: Cogumelo Records
Ano de Lançamento: 2006

Tracklist:

1. Oija Board - 03:57
2. Me, Damn Lawless Killer (Disgrace Maker) - 04:03
3. Metaphysics - 03:11
4. Wrath of Witchhammer - 04:49
5. Dartherium - 06:00
6. The Machine of War - 03:39
7. Kill Us! - 03:31
8. Remains the Same (Dartherium III) - 06:15
9. Witchery - 04:26
10. Headbangers Unite - 03:32
11. Weekend in Auschwitz - 05:44
12. Worldegeneration - 03:59
13. Perseguição (Sagrado Inferno cover) - 03:08

Tempo total: 56:14

Formação:
Casito - Baixo/Vocal
Paulo Caetano - Guitarra/Vocal
Rogério Sena - Guitarra
Teddy - Bateria

Contatos & Links
https://www.facebook.com/pages/Witchhammer/199424720073330

Discografia:
Coletânea "Warfare Noise II" (Cogumelo, 1987)
LP "The First and the Last" (Cogumelo, 1988)
LP "Mirror, my Mirror" (Cogumelo, 1990)
LP "Blood on the Rocks" (Cogumelo, 1991)
CD "Mirror, my Mirror" (remix Cogumelo 2001)
CD "Ode to Death" (Cogumelo, 2006)

Videos:

"Headbangers Unite":

"Weekend in Auschwitz"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Witch Hammer"


Black Sabbath: os vocalistas misteriosos da bandaBlack Sabbath
Os vocalistas misteriosos da banda

Blasfêmias?: Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e DeusBlasfêmias?
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus


Sobre Maicon Leite

Maicon Leite é assessor de imprensa na Wargods Press, colaborador na revista Roadie Crew e um dos autores do livro Tá no Sangue! - A História do Rock Pesado Gaúcho, dentre outros projetos e publicações.

Mais matérias de Maicon Leite no Whiplash.Net.

adGoo336