Kappa Crucis: Um título que traduz exatamente o que a banda é

Resenha - Rocks - Kappa Crucis

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8


São quase 25 anos de carreira, mas "Rocks" é apenas o segundo álbum dos paulistas da Kappa Crucis. Tendo a frente os integrantes originais F. Dória (bateria) e G. Fischer (vocal/guitarra), hoje a banda de Apiaí é completada por R. Tramontin (baixo) e A. Stefanovich (teclados).

Metallica e Iron Maiden: veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUAHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1989

Poucas vezes um título soou tão bom para um álbum como "Rocks", se levarmos em conta o contexto musical do trabalho. Afinal, o disco que temos em mãos é uma aula abrangente do estilo de maior leque de subgêneros no mundo. Há de tudo um pouco em "Rocks" e tudo feito com maestria.

Até o 'reencarnado' Occult Rock aparece em meio às 10 composições e isso já fica evidente nas duas primeiras músicas. What Comes Down abre o disco onde a banda mescla o já citado gênero com um Progressivo em quase nove minutos de boas vindas, com ótimos arranjos e um bom trabalho da cozinha.

Mais direta e com uma cara bem Ghost B.C., Mecathronic é uma das melhores faixas do disco, com um bom pré-refrão e refrão. School Of Life demonstra a faceta Rock and Roll com bases de guitarras típicas e é a mais agressiva do disco, mesmo "Rocks" sendo um disco, de certa forma, 'suave'.

O lado Heavy Metal e maléfico da banda é apresentado em Strange Soul. Com mais um show de arranjos a composição possui uma aura obscura e mostra riffs pesados e uma interpretação vocal variada. Um lado progressivo e psicodélico é apresentado em Between Night And Day e ainda com uma veia Occult Rock, porém isso se restringe mais ao lado musical da coisa. O final da composição é apoteótico.

Além de toda essa versatilidade, "Rocks" mostra um resultado final muito bom se contarmos a ótima e equilibrada produção do trabalho, além da belíssima arte gráfica, que apesar de simples resume bem o contexto do disco. O novo álbum da Kappa Crucis já mostra que em 2014 a lista de melhores do ano será ainda mais acirrada.

http://www.kappacrucisband.com/
https://www.facebook.com/kappacrucisband


Outras resenhas de Rocks - Kappa Crucis

Kappa Crucis: Para quem gosta de músicas sem barreiras




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Kappa Crucis"


Metallica e Iron Maiden: veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUAMetallica e Iron Maiden
Veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUA

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1989Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1989

Steven Tyler: Há álbuns que prefiro esquecerSteven Tyler
"Há álbuns que prefiro esquecer"

Roqueiro poser: 100 regras essenciais para se tornar umRoqueiro poser
100 regras essenciais para se tornar um

Andre Matos: confira o incrível alcance do vocalistaAndre Matos
Confira o incrível alcance do vocalista

AC/DC: membros agradecem Steven Tyler, mas ele não lembraAC/DC
Membros agradecem Steven Tyler, mas ele não lembra

Foo Figthers: 1000 músicos tocam Learn To Fly na ItáliaFoo Figthers
1000 músicos tocam "Learn To Fly" na Itália


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336